A força agregadora de Henrique Alves em Mossoró

Candidato ao Governo do Estado reuniu em seu palanque grupos de Fafá e Leonardo e de Sandra e Larissa Rosado 

 

Henrique uniu

A força agregadora de Henrique Alves em Mossoró – Fotos: iPad Skarlack

Henrique uniu IIIEm reunião política que comandou na segunda-feira transposta, em Mossoró, o prefeito Francisco José Júnior (PSD), sentenciou que o pleito de 2014, é uma espécie de primeiro turno para 2016, quando deverá buscar se reeleger.

Partindo desse princípio e, levando-se em conta que hoje reuniu em torno de seu nome para o Governo do Estado, nada menos do que a ex-prefeita da cidade por oito anos, Fafá Rosado – e seu grupo – e a deputada estadual, Larissa Rosado, que já disputou a Prefeitura Municipal quatro vezes – e seu grupo -, e que, são candidatas em potencial para 2016, temos que reconhecer a força pela união protagonizada por Henrique Eduardo Alves.

O próprio presidente da Câmara Federal e do PMDB-RN, deputado federal Henrique Alves, deixou claro que não foi fácil unir, ao seu lado e da candidata ao Senado, Wilma de Faria, os grupos políticos liderados por Fafá/Leonardo e Sandra/Larissa, quando ao encerrar a agenda de caminhadas da manhã deste sábado, 22, no Vuco-Vuco ele reconheceu e agradeceu:

– Os nossos adversários diziam que hoje aqui nós teríamos um palanque – de Sandra e Larissa – de um lado e o outro do lado de lá – de Fafá e Leonardo.

E, por dever de justiça é preciso reconhecer, até pelo que foi protagonizado pelas militâncias dos dois grupos da família Rosado, neste sábado, com cada uma exclamando palavras de ordem enaltecendo seus candidatos, que no cenário atual, apenas um político com o espírito de unir como Henrique Eduardo Alves, para manter em um só palanque Fafá, Leonardo, Sandra, Larissa Rosado e seus respectivos aliados.

Em um gesto de reconhecimento de suas limitações, Henrique foi afirmativo ao declarar que precisa agora, e no futuro, caso seja eleito governador do Rio Grande do Norte, da união da classe política para tentar solucionar os graves problemas existentes na saúde, educação, segurança e noutras áreas do serviço público do Estado.

Avisando que se eleito não irá governador olhando pelo retrovisor, Henrique declarou em um de seus discursos que, não importa apontar responsáveis para o caos denunciado no serviço público.

Para o candidato a governador pelo PMDB, o que se faz imperativo e unir forças em buscar das soluções.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

dezenove − nove =