Candidatos com recurso junto ao TSE tentam acelerar processo de contagem de votos

Expectativa de mudança de cenário na bancada federal 

POR THAISA GALVÃO

Dois candidatos a deputado federal na coligação do candidato a governador Carlos Eduardo Alves (PDT), não tiveram os votos computados.

Jumária Motta (Pode) e Kerinho (PDT).

Os dois tiveram os registros de candidaturas indeferidos, mas recorrem ao Tribunal Superior Eleitoral.

Caso os dois consigam ter os votos computados, e juntos eles consigam chegar a 30 mil, o que não será fácil, o quadro de deputados federais eleitos neste domingo no Rio Grande do Norte pode mudar.

Mas…repito…os dois terão que somar quase 30 mil votos, o que não é fácil.

E se isso acontecer?

Já há um trabalho extra junto à Justiça Eleitoral.

Os votos serão somados aos apurados para a coligação que só elegeu o deputado Walter Alves (MDB).

E 30 mil é o número que separa o primeiro suplente da coligação, Beto Rosado (PP), e o primeiro deputado eleito pela média, e não pelo quociente eleitoral, que é o deputado Fernando Mineiro…

Aí Beto com a média, superando Mineiro em votação, poderia assumir no lugar da segunda vaga do PT.

Mas isso…repito mais uma vez…

Passaria por um julgamento favorável aos dois no TSE, e num potencial eleitoral considerado pra lá de difícil.

É apenas um cenário que se desenha para as discussões internas, com pouca possibilidade de se transformar em quadro real.

Nos bastidores da Mossoró Rosada, que terminou o primeiro turno sem um mandato, aguardando o segundo turno para tentar emplacar o vice de Carlos Eduardo Alves, só se fala nessas contas…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

um × 4 =