CARTA ABERTA: HERBET MOTA

“NUNCA SE VENCE UMA ‘GUERRA’ LUTANDO SOZINHO” 

POR HERBET MOTA

A imagem pode conter: 1 pessoa, sorrindo, texto

 

NUNCA SE VENCE UMA “GUERRA” LUTANDO SOZINHO*.

Caros Colegas Advogados e Advogadas:

É na condição de advogado com quase três décadas de permanente e intensa atuação, especialmente na seara do direito do trabalho, e trazendo comigo o conhecimento jurídico, a prática jurídica/processual, e a experiência, especialmente no campo das relações humanas (na minha ótica, a tríade imprescindível à composição da Lista Sêxtupla para o Quinto Constitucional do TRT-21), que expresso a minha vontade de, com humildade, confiança, compromisso e determinação, concorrer à vaga de desembargador federal.

Eis porque, convicto, entendo o Quinto Constitucional como um instrumento imprescindível à oxigenação do Poder Judiciário, principalmente por assegurar o ingresso, em suas fileiras, de profissionais com experiências distintas dos magistrados de carreira, não obstante o comum interesse na realização da Justiça. Assim, considero este um fator determinante para que o advogado, ao deixar a tribuna, passando para a bancada, na condição de desembargador, possa, por dever e afinidades, fazer Justiça sem olvidar advogados, jurisdicionados e serventuários.

E é exatamente com esta convicção, com o respeito e a atenção de sempre, que me dirijo a todos os colegas advogados e advogadas, para dizer-lhes que se for da vontade de Deus e deles, serei um dos nomes que comporão a Lista Sêxtupla. E não faço esta declaração por acaso. Não. É que, convicto e consciente sou candidato a me converter em um servidor público da Justiça; a ser um desembargador; um julgador; um fazedor de Justiça. E sendo escolhido pela minha categoria, o meu compromisso é de uma atuação no sistema jurídico do nosso país, pautada sempre e sempre na honradez, no respeito e, principalmente, na lealdade para com a Justiça, e na atenção à advocacia e aos jurisdicionados.

Neste aspecto, posso destacar que os valores com os quais sempre pautei a minha vida, além da minha experiência e saber jurídico, me credenciam para colocar a serviço do meu País e do meu Estado, na condição de desembargador egresso da efetiva advocacia, o inarredável dever de fazer Justiça.

Nesta salutar disputa, peço licença para dizer que conto com o aval dos colegas advogados e advogadas que, assim com o eu, desejam, lutam, e defendem, intransigentemente:

– Uma Justiça do Trabalho cada vez mais fortalecida, justa e célere;

– Uma Justiça do Trabalho que tenha nos seus quadros um representante do Quinto Constitucional que garanta o acesso à advocacia, não apenas no contato direto com o magistrado (isso é sagrado), mas, principalmente, como intermediário nas questões que envolvam a advocacia e a Justiça Obreira;

– Uma Justiça do Trabalho que tenha nos seus quadros um representante do Quinto Constitucional que jamais deixe de lado o dever de cumprir a lei e ter sempre a consciência de que é um servidor público do Judiciário;

– Uma Justiça do Trabalho que tenha nos seus quadros um representante do Quinto Constitucional que desempenhe a sua função com honradez, respeito e lealdade para com a Justiça.

HERBERT OLIVEIRA MOTA
Advogado OAB-RN 2697

(*) Célebre frase da letra da música “Por quem os sinos dobram” do grande Raul Seixas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

cinco × cinco =