Category Archives: Artigos

O POVO DE MOSSORÓ QUER AVANÇO

POPULAÇÃO ENTENDE QUE MUDAR, NÃO SIGNIFICA NECESSARIAMENTE, MELHORAR

POR GIVANILDO SILVA

Givanildo Silva é jornalista-radialista-advogado

ELEIÇÕES 2020 – O VOTO 

Em Mossoró, a palavra avançar está na boca de dois terços da população.

Que entendem que mudar, não necessariamente, significa melhorar.

PALAVRA BANALIZADA

A palavra mudança, tão banalizada, perdeu a força gravitacional, virando simples clichê, chavão, lugar-comum.

Aliás, no Brasil nos últimos 35 anos, os políticos que fizeram as maiores promessas de transformação foram, realmente, os que mais mudaram o país, só que para pior, adulterando-o, deturpando-o, deformando-o.

O CONJUNTO DA OBRA DE ROSALBA

A VOZ DA EXPERIÊNCIA
POR GIVANILDO SILVA
O conjunto da obra da prefeita Rosalba Ciarlini é espetacular.
É tanto que o discurso dela fica fácil, pois, em todos os bairros, e, praticamente, cada rua tem a sua marca, de reconhecido trabalho prestado à cidade.
Na presente campanha, Rosalba é a voz da experiência, pela espotaneidade com que fala e pela segurança que transmite, que passa.

ESPAÇO DO GIVVA: “O ERRO DE CLÁUDIA REGINA”

OPINIÃO

POR GIVANILDO SILVA

Givanildo Silva é radialista-jornalista-advogado

Na minha opinião, que não tem valor algum, pois se tivesse, já teria enricado, a doutora Cláudia Regina precipitou a sua volta.
22 seria o tempo ajustado, o que não a impediria de apoiar um dos candidatos à eleição municipal.
Ademais, é dona de juventude e logo adiante é 24, quando, sem Rosalba, a porteira vai estar escancarada, mas pode ter queimado a bala de prata.

ESPAÇO DO GIVVA: “O DISCURSO DA DEPUTADA ISOLDA PRECISA MELHORAR”

OPINIÃO

POR GIVANILDO SILVA

O discurso da deputada Isolda (PT) precisa melhorar, pois encontra-se completamente desajustado, impertinente.
Até agora, pelo menos, chulo, sem educação, indelicado, grosseiro, rude, desprovido do mínimo de refinamento.
Carregada de tanta vulgaridade, certamente, a candidata à Prefeitura continua apostando no extremismo da esquerda, enquanto Mossoró, há mais de trinta anos, tem rechaçado, nas pelejas municipais majoritárias, todo tipo de doutrina radical.

ESPAÇO DO GIVVA

OPINIÃO

SALTO PARA O FUTURO
Pelo que consigo ver do meu observatório, instalado nos Pintos, desenha-se uma boa briga, no processo eleitoral de Mossoró, em 2020.
Será entre os nobres deputados Alisson e Isolda, cada qual desejando abiscoitar o segundo lugar, na disputa que se avizinha.
O que, sem dúvida, constitui trampolim a vindouros embates, considerando-se a juventude de ambos, notadamente.
PADRE QUE FAZ DINHEIRO
Um padre de Goiás não chegaria a movimentar mais de dois bilhões de reais, sem o acumpliciamento de setores da cúpula da igreja católica, instituição de pouca fé, pois, nunca, consegue curar suas mazelas, fechar suas chagas.
O QUE ACONTECE NO RIO
O que está ocorrendo no Rio de Janeiro, prática, certamente, perfilhada em todos os estados brasileiros, é a prova do quanto o povo é escarnecido, ridicularizado. Na verdade, eliminado de ter esperança, fora do caminho da felicidade, dela completamente banido.
A corrupção causa tantos malefícios, que os danos são sentidos por gerações seguidas, matando muito mais do que qualquer pandemia, ou, no caso nosso, do que qualquer outra pandemia, .
A sociedade, se não possui tendência patológica ao suicídio,, precisa largar a tolerância excessiva, passando a enxergar, definitiva e rapidamente, a ética como valor moral absoluto, pois, somente assim, é que pode se livrar dos bandidos enfatiotados e, por conseguinte, deixar de ser eterno passivo.

BOLSONARO SEGUE LEVANDO LIDERANÇAS EVANGÉLICAS PARA O RALO

AGORA SEU NOVO ALIADO É O EX-PRESIDIÁRIO MICHEL TEMER

Que o presidente da República, Jair Bosonaro contou com apoio da grande maioria dos evangélicos do Brasil, isto é notório.

Então, seria natural que as lideranças evangélicas estivessem ao lado de Bolsonaro.

Todavia, com seguidos atos que desabonam qualquer manual de conduta cristã, Jair Bolsonaro vai levando, consigo, para a lama, inúmeros líderes evangélicos que esquecem que, insubstituível, somente Jesus.

Como explicar, então, que líderes evangélicos persistam em sua bajulação ao presidente que, mesmo diante dos mais de 101 mortos pela COVID-19, insiste e, persiste, em negar o inegável que é a devastação provocada pelo coronavírus?

E, depois de aliar-se ao Centrão – grupamento político que se esmera na defesa da corrupção -, tendo como novos aliados gente do nível de Roberto Jeferson e Valdemar Costa, ex-presidiários, agora o presidente convoca para o seu lado, o também ex-presidiário Michel Temer (ex-presidente).

Todavia, porém, entretanto, o entanto, a despeito de todas essas atitudes de Bolsonaro, continuamos a assistir renomados líderes evangélicos, até brigando nas redes sociais em defesa do presidente.

Vergonha alheia!

FELIZ DIA DOS PAIS

PARABÉNS!

A imagem pode conter: texto que diz "Pai, "Ensine seus filhos no caminho certo, e, mesmo quando envelhecerem, não se desviarão dele." Provérbios22:6 Feliz Dia dos Pais @ministeriosocristosalva josocrist osalva SALVA /socristosalva."

Rendemos Graças ao SENHOR por mais um Dia dos Pais, Parabenizando Todos os Papais: biológicos, adotivos, e os que representam a figura de Pai pra alguém, em Nome de JESUS, O PAI da Eternidade! PAI que nos adotou e que prometeu nunca nos abandonar!
Ao PAI dos Pais, CRISTO, a nossa Gratidão! E o pedido pra que Abençoe e Guarde todos os Pais da nossa Nação!!

Para procuradores, Aras explicitou a crise mais grave do Ministério Público Federal

Procurador escancara defesa de corruptos

POR GERSON CAMAROTTI

Integrantes do Ministério Público Federal (MPF) ouvidos pelo blog nesta quarta-feira (29) reconheceram que a instituição enfrenta sua mais grave crise desde que a estrutura atual do órgão foi estabelecida pela Constituição de 1988.

A percepção é a de que declarações do procurador-geral da República, Augusto Aras, nesta terça-feira (28) explicitaram a divisão no MPF. O PGR disse ser hora de “corrigir rumos” para que o “lavajatismo” passe e seja substituído no Ministério Público por outro modelo de enfrentamento à criminalidade.

“Há uma crise de desconfiança generalizada. A cúpula da PGR tenta controlar o órgão. Mas falta liderança na instituição. Ninguém aqui defende eventuais excessos. Mas isso não pode justificar um movimento para paralisar investigações e enfraquecer o combate à corrupção”, ressaltou um experiente subprocurador ouvido pelo blog, que pediu anonimato para evitar expor ainda mais a crise na instituição.

Aras deu a declaração ao participar de um debate virtual, promovido por um grupo de advogados.

Segundo o PGR, a “correção de rumos não significa redução do empenho no combate à corrupção”. Ainda no debate, Augusto Aras afirmou que a gestão dele visa acabar com o “punitivismo” do Ministério Público e que não pode existir “caixa-preta” no MP.

Fundeb melhorou porque o governo foi derrotado

A educação venceu

Sob Jair Bolsonaro, o Ministério da Educação amou o caos durante um ano e meio. E foi correspondido. Na estratégica votação em que a Câmara renovou e aperfeiçoou o Fundeb, fundo de financiamento do ensino básico, o governo fez o papel do jogador que levanta da mesa de pôquer sem dinheiro para o táxi. Perdeu todas as apostas. O Fundeb melhorou porque o governo fracassou nas suas tentativas de piorá-lo.

A emenda constitucional aprovada pela Câmara torna o Fundeb permanente e eleva de 10% para 23% a fatia da União no fundo. O governo quis adiar as novas regras para 2022. Perdeu. Tentou transferir 5% do fundo para um novo Bolsa Família, a ser criado. Não colou. Conseguiu destinar 5% para o ensino infantil. Mas teve de pingar 3% a mais no cesto. Propôs que a verba do salário dos professores pagasse aposentadorias. Foi ignorado.

Líder do centrão e novo herói da resistência de Bolsonaro, o deputado Arthur Lira (PP-AL) tentou adiar a sessão. Foi avisado pela sua tropa de que, entre a Educação e Bolsonaro, ficariam com as verbas que o Fundeb envia para as prefeituras dos municípios onde estão os votos. Bolsonaro aprendeu que a maneira mais rápida de acabar com a guerra ideológica na Educação é perdê-la. E a derrota foi feia. Votaram a favor de Bolsonaro, contra o Fundeb, apenas sete deputados.

Ironicamente, o pedaço do governo que entrou com a cara na surra da Câmara foi o Ministério da Economia. Coube à pasta chefiada por Paulo Guedes realizar as manobras que os deputados desmontaram. Empossado na semana passada, o novo ministro da Educação, Milton Ribeiro, virou um figurante com Covid-19.

 

Postagens pedindo a morte de Bolsonaro aborrecem Carluxo: “Não terão êxito”

Opinião

POR JOSIAS DE SOUZA

Apontado como chefe do chamado gabinete do ódio, o vereador carioca Carlos Bolsonaro irritou-se com “a imensa quantidade de pessoas” que viu nas redes sociais “pedindo a morte” do presidente da República. Lamentou a ausência de reação dos “líderes dos outros Poderes”. Absteve-se de citar nominalmente Dias Toffoli, Rodrigo Maia e Davi Alcolumbre, presidentes do Supremo, da Câmara e do Senado.

Horas antes da manifestação de Carluxo, Jair Bolsonaro fizera um novo exame para saber se foi infectado pelo coronavírus. Estava febril. Sentira mal-estar. “Eu vim do hospital, fiz uma chapa do pulmão, tá limpo o pulmão”, disse o presidente a apoiadores, no cercadinho do Alvorada. “Fui fazer exame do Covid agora há pouco, mas está tudo bem.”

Para Carluxo, as postagens desejando a morte do seu pai deveriam ser “motivo de solidariedade imediata dos líderes dos outros Poderes.” Espetou: “O que vemos novamente é a seletividade da indignação e ninguém chama os tais ‘desumanos’ de robôs. Não terão êxito!”