Category Archives: Notícias

Carreata de Aécio Neves tem início em Mossoró

Mossoroenses dão início a mobilização na Praça do Museu

Começa na Praça do Museu carreata com centenas de carros de mossoroenses que estão, livre e espontaneamente proclamando Aécio presidente do Brasil.

“Aécio retoma o fio da meada virtuoso”; leia documento de apoio de Marina

Terceira candidata mais votada no primeiro turno das eleições presidenciais, Marina Silva (PSB) anunciou neste domingo (12) apoio formal a Aécio Neves (PSDB)

“Aécio retoma o fio da meada virtuoso e corretamente manifesta-se na forma de um compromisso forte, a exemplo de Lula em 2002, que assumiu compromissos com a manutenção do Plano Real, abrindo diálogo com os setores produtivos”, diz nota lida pela ex-senadora.

Leia a íntegra do documento lido por Marina:

‘Ontem, em Recife, o candidato Aécio Neves apresentou o documento ‘Juntos pela Democracia, pela Inclusão Social e pelo Desenvolvimento Sustentável’.

Quero, de início, deixar claro que entendo esse documento como uma carta compromisso com os brasileiros, com a nação.

Rejeito qualquer interpretação de que seja dirigida a mim, em busca de apoio.

Seria um amesquinhamento dos propósitos manifestados por Aécio imaginar que eles se dirigem a uma pessoa e não aos cidadãos e cidadãs brasileiros.

E seria um equívoco absoluto e uma ofensa imaginar que me tomo por detentora de poderes que são do povo ou que poderia vir a ser individualmente destinatária de promessas ou compromissos.

Os compromissos explicitados e assinados por Aécio têm como única destinatária a nação e a ela deve ser dada satisfação sobre seu cumprimento.

E é apenas nessa condição que os avaliei para orientar minha posição neste segundo turno das eleições presidenciais.

Estamos vivendo nestas eleições uma experiência intensa dos desafios da política.

Para mim eles começaram há um ano, quando fiz com Eduardo Campos a aliança que nos trouxe até aqui.

Pela primeira vez, a coligação de partidos se dava exclusivamente por meio de um programa, colocando as soluções para o país acima dos interesses específicos de cada um.

Em curto espaço de tempo, e sofrendo os ataques destrutivos de uma política patrimonialista, atrasada e movida por projetos de poder pelo poder, mantivemos nosso rumo, amadurecemos, fizemos a nova política na prática.

Os partidos de nossa aliança tomaram suas decisões e as anunciaram.

Hoje estou diante de minha decisão como cidadã e como parte do debate que está estabelecido na sociedade brasileira.

Me posicionarei.

Prefiro ser criticada lutando por aquilo que acredito ser o melhor para o Brasil, do que me tornar prisioneira do labirinto da defesa do meu interesse próprio, onde todos os caminhos e portas que percorresse e passasse, só me levariam ao abismo de meus interesses pessoais.

A política para mim não pode ser apenas, como diz Bauman, a arte de prometer as mesmas coisas.

Parodiando-o, eu digo que não pode ser a arte de fazer as mesmas coisas.

Ou seja, as velhas alianças pragmáticas, desqualificadas, sem o suporte de um programa a partir do qual dialogar com a nação.

Vejo no documento assinado por Aécio mais um elo no encadeamento de momentos históricos que fizeram bem ao Brasil e construíram a plataforma sobre a qual nos erguemos nas últimas décadas.

Ao final da presidência de Fernando Henrique Cardoso, a sociedade brasileira demonstrou que queria a alternância de poder, mas não a perda da estabilidade econômica.

E isso foi inequivocamente acatado pelo então candidato da oposição, Lula, num reconhecimento do mérito de seu antecessor e de que precisaria dessas conquistas para levar adiante o seu projeto de governo.

Agora, novamente, temos um momento em que a alternância de poder fará bem ao Brasil, e o que precisa ser reafirmado é o caminho dos avanços sociais, mas com gestão competente do Estado e com estabilidade econômica, agora abalada com a volta da inflação e a insegurança trazida pelo desmantelamento de importantes instituições públicas.

Aécio retoma o fio da meada virtuoso e corretamente manifesta-se na forma de um compromisso forte, a exemplo de Lula em 2002, que assumiu compromissos com a manutenção do Plano Real, abrindo diálogo com os setores produtivos.

Doze anos depois, temos um passo adiante, uma segunda carta aos brasileiros, intitulada: ‘Juntos pela democracia, a inclusão social e o desenvolvimento sustentável’.

Destaco os compromissos que me parecem cruciais na carta de Aécio:

O respeito aos valores democráticos, a ampliação dos espaços de exercício da democracia e o resgate das instituições de Estado.
A valorização da diversidade sociocultural brasileira e o combate a toda forma de discriminação.
A reforma política, a começar pelo fim da reeleição para cargos executivos, que tem sido fonte de corrupção e mau uso das instituições de Estado.
Sermos capazes de entender que, no mundo atual, a ampliação da participação popular no processo deliberativo, através da utilização das redes sociais, de conselhos e das audiências públicas sobre temas importantes, não se choca com os princípios da democracia representativa, que têm que ser preservados.
Compromissos sociais avançados com a Educação, a Saúde, a Reforma Agrária.
Prevenção frente a vulnerabilidade da juventude, rejeitando a prevalência da ótica da punição.
Lei para o Bolsa Família, transformando-o em programa de Estado.
Compromissos socioambientais de desmatamento zero, políticas corretas de Unidades de Conservação, trato adequado da questão energética, com diversificação de fontes e geração distribuída.
Inédita determinação de preparar o país para enfrentar as mudanças climáticas e fazer a transição para uma economia de baixo carbono, assumindo protagonismo global nessa área.
Manutenção das conquistas e compromisso de assegurar os direitos indígenas, de comunidades quilombolas e outras populações tradicionais. Manutenção da prerrogativa do Poder Executivo na demarcação de Terras indígenas.
Compromissos com as bases constitucionais da federação, fortalecendo estados e municípios e colocando o desenvolvimento regional como eixo central da discussão do Pacto Federativo.
Finalmente, destaco e apoio o apelo à união do Brasil e à busca de consenso para construir uma sociedade mais justa, democrática, decente e sustentável.

Entendo que os compromissos assumidos por Aécio são a base sobre a qual o pais pode dialogar de maneira saudável sobre seu presente e seu futuro.

É preciso, e faço um apelo enfático nesse sentido, que saiamos do território da política destrutiva para conseguir ver com clareza os temas estratégicos para o desenvolvimento do país e com tranquilidade para debatê-los tendo como horizonte o bem comum.

Não podemos mais continuar apostando no ódio, na calúnia e na desconstrução de pessoas e propostas apenas pela disputa de poder que dividem o Brasil.

O preço a pagar por isso é muito caro: é a estagnação do Brasil, com a retirada da ética das relações políticas.

É a substituição da diversidade pelo estigma, é a substituição da identidade nacional pela identidade partidária raivosa e vingativa.

É ferir de morte a democracia.

Chegou o momento de interromper esse caminho suicida e apostar, mais uma vez, na alternância de poder sob a batuta da sociedade, dos interesses do país e do bem comum.

É com esse sentimento que, tendo em vista os compromissos assumidos por Aécio Neves, declaro meu voto e meu apoio neste segundo turno.

Votarei em Aécio e o apoiarei, votando nesses compromissos, dando um crédito de confiança à sinceridade de propósitos do candidato e de seu partido e, principalmente, entregando à sociedade brasileira a tarefa de exigir que sejam cumpridos.

Faço esta declaração como cidadã brasileira independente que continuará livre e coerentemente, suas lutas e batalhas no caminho que escolheu.

Não estou com isso fazendo nenhum acordo ou aliança para governar.

O que me move é minha consciência e assumo a responsabilidade pelas minhas escolhas.

Marina Silva anuncia apoio a Aécio Neves

Líder da REDE que teve mais de 20 milhões de votos se posiciona sobre disputa da presidência da República

Link permanente da imagem incorporada

Na manhã deste domingo, a candidata Marina Silva (PSB), que chegou em terceiro lugar no primeiro turno das eleições presidenciais de 2014, anunciou seu apoio a Aécio Neves (PSDB). O PSB já havia declarado apoio ao candidato tucano.

Link permanente da imagem incorporada

Marina informou ainda que a Rede liberou o voto branco, nulo ou o voto em Aécio Neves, decidindo não endossar apoio à presidente Dilma. Carta enviada por Aécio Neves nesse sábado teve papel fundamental na decisão. Marina, no entanto, fez questão de ressaltar que interpreta a carta não como tentativa de atrair seu apoio, mas sim como “carta-compromisso endereçada ao povo brasileiro”.

Durante o anúncio, Marina mostrou dominar as técnicas do suspense. Ela caprichou no ‘marinês’ e conseguiu encaixar até uma citação ao sociólogo polonês Zygmunt Bauman, cujos livros a acompanharam na campanha presidencial.

Além da convergência nas questões macroeconômicas, ela citou ainda como pontos fundamentais de aproximação entre as plataformas tucanas e as que ela defende, como compromissos de âmbito energético, educação, fim da reeleição, transformação do Bolsa Familia em direito e não em favor do estado e direitos indígenas. Ela voltou a demonstrar que os ataques da campanha petista deixaram marcas profundas.

Impressionante!!! O PT está mais desorientado do que quando era um partido inviável da oposição

É a força de sua herança maldita se voltando contra ele próprio

Por: Reinaldo Azevedo

O PT está desorientado. Desorientado como nunca se viu. Não sabe o que pensar, o que fazer, o que falar. Se a dianteira do tucano Aécio Neves é de 2 pontos, de 8 ou de 18 — segundo os mais variados institutos —, isso, não sabemos. Mas ninguém duvida de que esteja à frente de Dilma — nem os próprios petistas. O PT não larga atrás no segundo turno desde 1989 (em 1994 e 1998, FHC se elegeu no primeiro). E isso, não tem jeito, acaba induzindo a erro. Dilma está falando bobagens sobre a investigação, João Santana erra a mão no horário eleitoral — o do tucano está muito melhor —, e os terroristas da Internet, atônitos, enfiam as patas traseiras pelas patas dianteiras, numa escalada de virulência também inédita.

Tudo isso vai caracterizando uma espécie de vale-tudo e de jogo sujo contraproducente. Neste domingo, Marina Silva tem tudo para anunciar o apoio a Aécio — algum efeito terá. De todo modo, parece que a esmagadora maioria do seu eleitorado já migrou para o tucano por conta própria. Como pano de fundo — e, ao mesmo tempo, protagonista —, o escândalo de dimensões inéditas na Petrobras. No Nordeste, o candidato do PSDB vai abrindo trincheiras, com o apoio do família Campos em Pernambuco, com um Tasso Jereissati senador no Ceará, com um ACM Neto na Bahia.

Dilma e a Petrobras
A candidata do PT está perplexa. Nem a maquiagem nem a marquetagem de João Santana conseguem esconder. Quando alguém, na sua condição, também presidente da República, usa o tempo para criticar a investigação e para acusar perseguição — não nos esqueçamos de que a operação Lava Jato nasceu de uma investigação da Polícia Federal —, eis, então, um sinal de que as coisas vão de mal a pior.

Dilma se queixa de “vazamentos seletivos”. Infelizmente para ela, os depoimentos que já começaram a causar um terremoto no mundo político — e estamos só no começo — não pertencem àquela parte da investigação coberta pelo sigilo de Justiça; não integram a fatia de depoimentos da chamada “delação premiada”.

Não tendo o que dizer, Dilma diz, então, qualquer coisa e pede que tudo seja divulgado, como se o “tudo” lhe pudesse ser benéfico. Ora, não nos esqueçamos de que, segundo apurou a VEJA, a parte sigilosa dos depoimentos atinge, por exemplo, o seu ministro das Minas e Energia, Edison Lobão, além de algumas cabeças coroadas do PMDB.

Pois é… Paulo Roberto contou tudo. As diretorias eram separadas em cotas partidárias. O PT tinha a de Serviços, a de Exploração e Produção e a de Gás e Energia. O PP ficava com a de Abastecimento — que era a do engenheiro —, e o PMDB, com a Internacional. Cada partido tinha o seu operador para cuidar do serviço sujo.

Ele deu detalhes de como a coisa funcionava, por exemplo, na de Serviços, que era comandada pelo petista Renato Duque:
“A diretoria de Serviços, através da comissão de licitação, ia no cadastro, escolhia as empresas de acordo com a complexidade da obra, de acordo com valor da obra aproximado, que já se tinha ideia etc., e separava as empresas. Então, quem fazia tudo isso era a comissão de licitação interna da companhia, da Petrobras”. Eis aí.

Que se note: em nenhum momento Paulo Roberto nega que ele próprio cometesse também os crimes. Ao contrário: ele narra a história na condição de um dos operadores. O que Dilma queria? Que os donos da Petrobras — os brasileiros — fossem privados dessas informações? Por quê?

O PT nega tudo e tal, mas as provas do crime estão lá, com a Polícia Federal, com o Ministério Público e com a Justiça. Na hora em que essa história chegar, de fato, aos engravatados é que a terra vai tremer. NOTEM QUE, ATÉ AGORA, NÃO SE SABE QUEM ERA O VERDADEIRO CHEFE DO ESQUEMA. Não se enganem: numa engrenagem como essa, alguém dava a última palavra e harmonizava os interesses. Quem???

Horário eleitoral
As circunstâncias estão forçando o horário eleitoral de Dilma na TV a ser reativo, tenso, mal- humorado, rancoroso e terrorista. O partido tenta empregar contra a Aécio a tática empregada contra Marina, sem se dar conta de que, de fato, não tirou votos da candidata do PSB com aquela retórica. Embora as pesquisas tenham deixado de apontar a tempo, eles estavam migrando para Aécio — ou voltando para ele, sabe-se lá.

Dia desses, no metrô, ouvi uma conversa de pessoas simples,  sem, vamos dizer, sotaque universitário. Uma das mulheres dizia à outra: “Cê vai ver: agora o PT vai começar a xingar o Aécio; eles sempre fazem isso…”. E, de fato, eles sempre fazem isso. E isso era de tal sorte esperado que há uma boa possibilidade de que ninguém dê bola.

O PT opta pelas piores práticas de demonização de pessoas e de sua biografia. Transformar Armínio Fraga e FHC em inimigos do salário mínimo é uma fraude, uma mentira, uma indignidade. Inferir que o ex-presidente agrediu nordestinos é indecoroso. Eis aí: de fato, a propaganda de Aécio passou a falar em nome da mudança e da esperança. Ao PT, restou o exercício do medo, do ódio e do ressentimento.

Faltam 13 dias para o segundo turno. Há pela frente os debates, que, agora sim, oporão de verdade os candidatos com chances de vencer a disputa. Dá para dizer que Aécio já ganhou? É claro que não! Mas já dá para afirmar com absoluta certeza que Dilma perdeu o juízo. Ao chamar de golpistas os eleitores que se negam a votar nela, evidenciou que, no fundo do peito, ainda nutre um profundo desprezo pela democracia. Pode ser inexperiência, né? Afinal, ela venceu até hoje 100% das eleições que disputou: UMA. Não deve saber que é a derrota que evidencia se o político aderiu ou não aos valores democráticos — afinal, é só nas tiranias que o mandatário vence sempre, governanta!

Parte da herança maldita do petismo o atropelou na reta final da disputa. À diferença de Dilma, eu respeito as urnas, mesmo quando não gosto do resultado — estou achando que, nesse caso, há uma boa chance de eu gostar. E, porque respeito, encerro assim: que o eleitor decida. A democracia existe para que ele exerça a sua soberania, não para que um partido vire o dono da sociedade.

Fonte: www.veja.com.br

 

Hoje tem carreata de Aécio Neves em Mossoró

Mobilização começa na praça do Museu Municipal 

Henrique fala sobre sua posição para presidente

Candidato ao PMDB se posiciona sobre disputa do Governo Federal

O candidato ao governo do Estado, Herique Eduardo Alves (PMDB), durante encontro com lideranças de partidos que apoiam seu nome, em Mossoró, neste sábado, 11, realizado no Hotel Thermas, encerrou com uma palavra de esclarecimento.

A despeito de se dizer surpreso com algumas falas de pessoas que lhe conhecem, no programa eleitoral do adversário, Robinson Faria (PSD), numa referência a postura do ex-presidente Lula – mesmo sem citar o nome do líder do PT -, Henrique disse que pediu e pede voto para a presidente de Dilma Rousseff.

E frisou que reafirmava sua posição, mesmo tendo ao seu lado lideranças como o senador José Agripino, que é um dos coordenadores da campanha de Aécio Neves, de quem também é amigo pessoal.

Aécio Neves também crer que…

…Só Cristo Salva!!!

Aécio Neves apresenta a mensagem do jornal Só Cristo Salva – Foto: iPad Skarlack

Só Cristo Salva!!!

Reflexão

Ao ser criado, o ser humano era a própria imagem do Criador (Gn.1:26,27). Tínha vida abençoada e toda a obra de Deus para desfrutar, mantendo vida saudável (Gn.1:29-30 e 2:7,8,9,15).

Gozava liberdade e autoridade sobre a criação, a despeito de ter Deus fixado um limite a ser obedecido (Gn. 2: 15-17).

Todavia, contrariamos os princípios estabelecidos por Deus e encontramo-nos em desarmonia com a natureza, com o próximo, com nós mesmos e com o Criador (Gn. 3:1-6).

Por isso a degradação humana, pois, como sentenciou Aristóteles: “O homem, quando perfeito, é o melhor dos animais, mas é também o pior de todos quando afastado da lei e da justiça…”.

A esta situação todos foram levados (Rom 3:23). É então, que cada um e, todos nós, em algum momento, reconhecemos que precisamos de direção. Isto, tanto física quanto espiritualmente falando.

Qual o caminho então, para a reconciliação com Deus? “Eu sou o caminho…”, proclamou Jesus Cristo (Jo 14:3).

O homem tem lançado mão de criações que o orientam, quando tenta chegar a algum local desejado. No passado, o instrumento era a bússula. Hoje, existe o Sistema de Posicionamento Global (GPS).

Mas, assim como no best-seller de Philip Pullman, no qual se baseia o filme “A Bússola de Ouro”, condenado até pelo Vaticano, pois prega um mundo sem esperança e sem salvação, senão na capacidade pessoal e individualista de controlar a situação e dominar os acontecimentos, a vida sem Jesus não leva a lugar nenhum.

Pois, Só Cristo Salva!

Por: Carlos Skarlack

Depois de Mossoró Henrique realiza mobilização em Felipe Guerra

Candidato ao Governo pelo PMDB reuniu lideranças e comandou mobilizações no Oeste neste sábado

O candidato ao Governo do Estado, Henrique Eduardo Alves (PMDB), cumpriu agenda na região Oeste, neste sábado, 11.

Pela manhã, ao lado do ministro Garibaldi Filho (PMDB) e do senador José Agripino (DEM) Henrique comandou reunião com as lideranças de Mossoró, Fafá Rosado, Sandra Rosado, Larissa Rosado e Leonardo Nogueira, no Hotel Thermas.

O encontrou teve participação de lideranças de vários municípios do Oeste e do Litoral, quando foram traçadas metas para a campanha de segundo turno.

No final da tarde, Henrique comandou carreata ao lado de Fafá, Sandra, Larissa e Leonardo Nogueira nos bairros Paredões, Bom Jardim e Santo Antônio.

Por volta das 19h, Henrique seguiu para o município de Felipe Guerra onde foi recebido por lideranças locais.

 

Robinson faz campanha na região metropolitana e visita Festa do Boi

Candidato ao Governo pelo PSD faz campanha neste domingo na Região Agreste 

 IMG-20141011-WA0306 IMG-20141011-WA0318

IMG-20141011-WA0271

A agenda de campanha de Robinson Faria (PSD) na tarde e noite deste sábado (11) foi dedicada a região metropolitana de Natal. Depois da agenda na região do Valeu do Açu, Robinson participou de caravana nos municípios de São Gonçalo, Macaíba, Natal e Parnamirim.

Em Natal, Robinson falou sobre os novos apoios e o crescimento da campanha neste segundo turno. “Todos os dias a nossa campanha cresce. Vamos continuar nossa caminhada com a força e a coragem de cada um de vocês”, destacou.

A caravana seguiu roteiro em São Gonçalo e Macaíba, onde o candidato recebeu –  ao lado do prefeito Fernando Cunha (Pros) – apoio dos vereadores Rodrigo Nasser (PSDB) e Antônio França (PTN) e das suplentes, Rosália Pinheiro (PMDB) e Chiquinha de Fragoso (PMDB). “Macaíba recebeu a nossa campanha de braços abertos com a juventude 55, o prefeito e os vereadores que irão caminhar conosco para a vitória. Macaíba terá um governador amigos das pessoas, amigo dos que mais precisam”, comentou Robinson.

Em Parnamirim, Robinson percorreu a cidade ao lado do deputado estadual eleito Carlos Augusto Maia (PTdoB) e visitou os estandes e áreas de lazer da Festa do Boi onde recebeu o carinho da população.

Acompanharam a agenda deste sábado, a senadora eleita Fátima Bezerra (PT), o deputado federal reeleito Fábio Faria (PSD), o deputado estadual reeleito Fernando Mineiro (PT), o vereador de Natal, Hugo Manso (PT) e lideranças da região.

Neste domingo, Robinson participará de agenda de campanha na região Agreste.