Category Archives: Notícias

Operação Consilium combate atuação de facção criminosa e bloqueia mais de R$ 13 milhões

Operação foi chefiada pelo GAECO e foram cumpridos 40 mandados de prisão e outros 10, de busca e apreensão. Valores são investigados desde 2015

POR PORTAL NO AR

Uma operação do Ministério Público do Rio Grande do Norte (MPRN) deflagrada nesta terça-feira (12) combate a atuação de uma facção criminosa que age dentro de unidades prisionais do Estado. Contas bancárias de integrantes da organização criminosa ou de pessoas ligadas a eles foram bloqueadas. Ao todo, pelo que foi levantado durante a investigação, R$ 13.354.835,76 foram movimentados em 102 contas entre os anos de 2015 e 2017.

A operação “Consilium”, que significa Conselho, em latim foi deflagrada pelo Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado do MPRN (Gaeco), com o apoio da Polícia Militar e da Polícia Rodoviária Federal. Ao todo, foram cumpridos 40 mandados de prisão e outros 10, de busca e apreensão. Os mandados foram cumpridos na penitenciária Rogério Coutinho Madruga, na penitenciária estadual de Parnamirim, na penitenciária estadual do Seridó, na cadeia pública de Nova Cruz, na cadeia pública de Natal (Raimundo Nonato Fernandes) e no centro de detenção provisória de Macaíba; e ainda em residências nas cidades de Natal, Parnamirim e Macau.

A ação é fruto de uma investigação do MPRN iniciada após a onda de ataques a prédios públicos, ônibus, carros, acessos ao aeroporto internacional Aluízio Alves e até ao morro do Careca, um dos principais pontos turísticos de Natal, ocorrida entre os meses de julho e agosto do ano passado. Ao todo, segundo a Secretaria de Segurança Pública e Defesa Social (Sesed), foram registradas 107 ocorrências decorrentes de ataques provocados por integrantes ou simpatizantes da facção criminosa.

Durante a investigação, o MPRN ouviu testemunhas, colheu provas documentais, propôs medidas cautelares e conseguiu o afastamento de sigilo bancário dos investigados, que foram autorizadas judicialmente. Tudo isso resultou na obtenção de dados que corroboraram as evidências que embasaram a instauração da investigação, além de revelar a participação de novas pessoas e fatos para a investigação.

A operação Consilium tem por objetivo investigar o crime de constituir e integrar organização criminosa, previsto na Lei 12.850/2013. A apuração descortinou também uma série de crimes praticados pelos investigados, tais como homicídios, comércio ilegal de armas de fogo, tráfico de drogas, roubos, lavagem de dinheiro, falsificação de atestado médico, entre outros. Esses crimes serão devidamente apurados pelas autoridades competentes após o levantamento de sigilo e compartilhamento das provas.

Operação MPRN (1)

Email this to someoneShare on FacebookTweet about this on TwitterPin on PinterestShare on Google+

Operação da Polícia Federal afasta o superintendente do Ibama do RN

Clécio Santos foi afastado na manhã desta terça-feira

O superintendente do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (IBAMA) no Rio Grande do Norte, Clécio Santos, foi afastado do cargo na manhã desta terça-feira (12), durante a Operação Kodama deflagrada pela Polícia Federal.

A operação visa reunir provas dos crimes de prevaricação, corrupção ativa, corrupção passiva e lavagem de dinheiro. Também tem a missão de evitar atos lesivos que estariam ocorrendo no âmbito do Ibama com prejuízos ao meio ambiente do Rio Grande do Norte.

Cerca de 50 policiais federais participaram da operação, iniciada nas primeiras horas do dia. Eles cumprem 11 mandados de busca e apreensão em Natal, Goianinha, Ceará-Mirim e Tibau do Sul, além do afastamento do superintendente.

A investigação, iniciada nos primeiros meses deste ano, teve como ponto de partida os dados constantes no Relatório de Auditoria da Controladoria-Geral da União (CGU) e em um Processo administrativo Disciplinar instaurado Ibama, quando várias irregularidades restaram atribuídas ao superintendente desse órgão no RN.

Foram ainda identificadas em um primeiro momento pelo menos 10 condutas de favorecimento ilícito a pessoas físicas e jurídicas, as quais teriam sido beneficiadas indevidamente por meio da anulação de autos de infração, desembargo de atividade e restituição de bens apreendidos.

Mediante tais procedimentos, deu-se aparência de regularidade na aquisição de aproximadamente 8 toneladas de lagosta de origem não comprovada, como também, se conferiu legitimidade ao funcionamento irregular de empreendimento hoteleiro construído em área de preservação permanente e localizado na praia de Tibau do Sul.

Diante da gravidade dos fatos, a 14ª Vara da Justiça Federal/RN acolheu a representação policial e determinou o afastamento de Clécio Santos.

Email this to someoneShare on FacebookTweet about this on TwitterPin on PinterestShare on Google+

Vai começar o VI Caxa Mix

Evento acontece de 13 a 16 de setembro na Estação das Artes

Começa na próxima quarta-feira (13) às 19h na Estação das Artes Elizeu Ventania, o Casa Mix – VI Feirão Imobiliário Sinduscon. O evento é o mais importante da região no segmento da construção civil e reúne expositores que oferecem uma gama de produtos e serviços relacionados ao setor: decoração, paisagismo, material para construir ou reformar, linhas de créditos, empreendimentos e muitos outros.

Dentre as novidades para esta VI edição está a realização em paralelo, e no mesmo espaço, com outras feiras tradicionais do calendário de eventos de Mossoró, como a FICRO, a Feira de Turismo e a Feira de Automóveis. O período de realização do Casa Mix 2017 também coincide com o “Aquece Mossoró”, uma grande promoção que pretende estimular o consumo e movimentar o comércio local com uma série de ações, tais como aplicação de descontos atrativos e eliminação de impostos de produtos. .

Minicursos GratuitosDentro da programação do VI Casa Mix haverá também palestras e minicursos gratuitos. O objetivo desta iniciativa é promover e facilitar o aperfeiçoamento profissional dos trabalhadores do ramo da construção civil. Os cursos e palestras serão ministrados na Unidade Móvel da Construção Civil, estacionada na Estação das Artes durante a feira. O tema da palestra será: “Relações Humanas e Empreendedorismo na crise – Casos de Sucesso.” Os minicursos oferecidos serão “Pequenos Reparos Elétricos” e “Dicas de Segurança em Instalações Elétricas Residenciais.” As vagas são limitadas e para se inscrever o interessado deve entrar em contato com o Sinduscon através dos telefones (84) 3316-3726 / 98726-6324.

Email this to someoneShare on FacebookTweet about this on TwitterPin on PinterestShare on Google+

Vida e obra de Vingt-un

Uma justa homenagem

Um dos grandes intelectuais da história do Rio Grande do Norte será homenageado através de um vasto painel que retrata à contribuição à cultura do Estado e sua trajetória de vida. O Teatro Municipal Dix Huit Rosado (Av. Rio Branco S/N, Centro, Mossoró) abriga nos dias 25 e 26 de setembro o seminário “Cultura: O País Vingt-un – Contribuição do professor Vingt-un Rosado para a Cultura Potiguar”.

O debate terá a participação de escritores, pesquisadores, intelectuais, professores universitários, representantes de instituições, amigos e familiares do intelectual que irão apresentar aspectos sobre o trabalho desenvolvido pelo criador da Coleção Mossoroense.

O seminário é promovido pelo Governo do Estado (Fundação José Augusto, Secretaria Estadual de Educação) Fundação Vingt-un Rosado, Prefeitura de Mossoró (secretarias de Educação e de Cultura) e Sociedade Amigos da Pinacoteca. O evento é aberto ao público e as inscrições podem ser realizadas pelos telefones (84) 3315 50 80 e 3315 5046.

 

Palestra e Biografia

Na abertura, marcada para dia 25 às 19h, o jornalista e escritor Vicente Serejo realiza a palestra “Vingt-un: Uma militância Editorial”, fala sobre uma das ações mais contundentes de Vingt-un: a Coleção Mossoroense.

Na mesma noite será lançada a biografia autorizada “O Criador do País de Mossoró”, assinada pelo pesquisador Geraldo Maia, que versa sobre a vida e obra de Vingt- un.O livro tem a orelha assinada por Maria Lucia Rosado e ilustrações do artista visual Iran.

 

Mesas redondas

O dia 26 será dedicado a um amplo debate sobre a contribuição do professor à cultura do estado: a partir das 8h será realizada a mesa redonda “Vingt- un: com açúcar e com afeto”, com a participação dos familiares Cid Augusto, Betinho, Tasso (sobrinhos), Vingt-un e Frederico (netos) e do amigo Caio César Muniz, que trarão depoimentos e histórias sobre a obra do intelectual Vingt-un.

Às 14h tem início a mesa redonda “Vingt-un: professor e intelectual”, com a presença dos doutores e professores Ailton Fonseca (UERN), José Lacerda Felipe (UFRN), Ludmila Oliveira (ACJUS) e Aécio Cândido (UERN), que desenvolveram estudos científicos ou analisaram direta ou indiretamente a obra do professor.

A partir das 19h uma grande mesa redonda, “Vingt-un: Fazendo Escolas”, com a participação de representantes de instituições criadas e apoiadas pelo intelectual, encerra o seminário. Participam a prefeita de Mossoró, Rosalba Ciarlini (Museu Municipal Lauro Escóssia), o reitor da UERN, Pedro Fernandes Ribeiro, o reitor da UFERSA, José de Arimateia de Matos o pesquisador Wilson B. de Mouram da Biblioteca Ney Pontes, o presidente da Academia de Letras, Helder Heronildes, o presidente do ICOP, Benedito Vasconcelos Mendes e o presidente da Fundação Vingt-um Rosado, Dix-sept Sobrinho.

 

Biografia do intelectual

Jerônimo Vingt-un Rosado Maia nasceu em 25 de setembro de 1920, filho de Jerônimo Rosado e dona Isaura Rosado Maia. Era o vigésimo primeiro filho de uma família numerosa. O nome vem exatamente da sequência à ordem numérica francesa dos nomes que Jerônimo Rosado dava aos filhos,

Segundo o biógrafo Geraldo Maia, Vingt-un teve uma infância normal e desde cedo se dedicou aos empreendimentos intelectuais, preferindo acompanhar a atividade do irmão mais velho, Tércio, filho do primeiro matrimônio do seu pai, que era um homem culto, poeta, amante dos livros e pioneiro do cooperativismo no Estado. E foi ainda na juventude que começou a cultivar o gosto pelos livros e pela pesquisa histórica. Na adolescência atuou como bibliotecário no Colégio Santa Luzia.

Em 1940 partiu para Lavras/MG para estudar agronomia, onde desenvolveu gosto pelos livros, as letras e a pesquisa. Concluindo o curso em novembro de 1944, voltou para Mossoró para desenvolver atividades junto à empresa familiar que atuava na área de exploração de gesso e paralelamente começou a desenvolver um trabalho no campo cultural, que culminou com a criação da Coleção Mossoroense.

 

Caminho da Cultura

Apesar de pertencer à tradicional família de políticos que comanda Mossoró por gerações, preferiu enveredar mesmo pelo caminho da cultura. Na verdade, chegou mesmo a disputar dois cargos eletivos. A primeira vez candidatou-se a Prefeito de Mossoró, perdendo por uma margem de 0,4% em 1968. Em 1972 elegeu-se vereador com a maior votação proporcional da história de Mossoró, até aquela data. Mas foi mesmo na área cultural que se destacou, tornando-se ícone da cultura local. Em 1940, com apenas 20 anos, publicou o seu primeiro livro, que recebeu o título de “Mossoró; seguiram mais de 200 obras voltadas para a antropologia e estudo das secas.

Vingt-un esteve sempre presente em várias frentes de atividade cultural, tanto no município como no Estado. Foi professor fundador de três faculdades e idealizador da URRN, hoje Universidade do Estado do Rio Grande do Norte. Fundador e duas vezes diretor da ESAM, hoje Universidade Federal Rural do Semiárido e professor Honoris Causa da UERN.

Integrou o Conselho Estadual de Cultura, foi membro de quatro Academias em dois Estados da Federação, tendo sido criador e ex-presidente de duas delas, a Academia Norte-rio-grandense de Ciências e a Academia Cearense de Farmácia. Faleceu em 21 de dezembro de 2005, aos 85 anos de idade, deixando uma imensa contribuição intelectual para a história do Rio Grande do Norte.

 

Serviço

Seminário “Cultura: O País Vingt-un – Contribuição do professor Vingt –un Rosado para a Cultura Potiguar”.

Datas: 25 e 26 de setembro

Local: Teatro Dix Huit Rosado (Av. Rio Branco S/N, Centro, Mossoró)

Inscrições: 84) 3315 50 80 e 3315 5046.

Informações: www.cultura@rn.gov.br

Fonte: Fundação José Augusto

Email this to someoneShare on FacebookTweet about this on TwitterPin on PinterestShare on Google+

Mulher presa no RN com 45 mil comprimidos de ectasy

Presa segue para Sistema Penal do Estado

A mulher presa pela ontem (10/9) no aeroporto de Natal com 45 mil comprimidos de ecstasy passou por audiência de custódia.

Com a homologação do flagrante, a sua prisão foi transformada em preventiva e nesta segunda-feira ela seguiu para o Sistema Penal do RN.

 

Email this to someoneShare on FacebookTweet about this on TwitterPin on PinterestShare on Google+

Busca e apreensão agora??? Operação em curso busca salvar Joesley, Janot, Miller e Fachin

Fazer mandado de busca e apreensão só agora, uma semana depois, evidencia os procedimentos heterodoxos de Janot e Fachin; estão tentando salvar a própria pele

POR REINALDO AZEVEDO

Só hoje, dia 11 de setembro, a Polícia Federal e o Ministério Público Federal cumpriram mandado de busca e apreensão na casa do ex-procurador Marcelo Miller, no Rio, e em quatro endereços ligados à turma da J&F em São Paulo: as respectivas casas de Joesley Batista, Ricardo Saud e  Francisco Assis e Silva. A sede da holding também foi alvo da ação. O pedido foi feito por Rodrigo Janot e autorizado por Edson Fachin. É espantoso!

Janot e Fachin continuam a escarnecer da boa-fé dos brasileiros e a tratar a imprensa como um bando de idiotas. No primeiro caso, tem-se uma injustiça. O homem comum, coitado!, não é obrigado a conhecer detalhes da operação e da legislação. No segundo caso, bem, com raras exceções, trata-se apenas de uma avaliação objetiva. Ou, apesar de tudo e a despeito de tantos desmandos e ações inexplicáveis ou desastrosas, não estão lá os coleguinhas do jornalismo, na sua maioria, a puxar o saco da dupla de carniceiros institucionais? Essas áreas da imprensa se rendem por gosto ou ideologia, sei lá. E amplos setores da opinião pública acabam vítimas do ludíbrio. Vamos ver.

Faz uma semana hoje que Rodrigo Janot veio a público para anunciar que, a seu juízo, os senhores Joesley Batista, Ricardo Saud e Marcelo Miller haviam fraudado o processo de delação premiada. E ele não o fez por senso de justiça; ele não atuou dessa maneira para assegurar o triunfo da verdade. É que o gravador usado pelo chefão da J&F havia sido submetido a uma perícia, a pedido da defesa de Michel Temer, e gravações que tinham sido apagadas foram recuperadas.

Temerosos das consequências, os bandidos resolveram entregar outros arquivos, incluindo o que seguiu por engano. E todo os horrores estavam lá expostos, com todas as letras: atuação de um procurador na armação que resultou em flagrante armado contra o presidente da República; ação deliberada para envolver membros do Supremo numa armação que buscava desmoralizar o Supremo;  “entregar”, para empregar palavra usada pelo açougueiro, também o Poder Executivo. Joeley e Saud, como vimos, tinham um plano para, digamos assim, governar o Brasil em parceria com Janot.

Pois bem. O procurador-geral fez a sua “denúncia” na segunda-feira, dia 4, certo? Ele só pediu a suspensão temporária dos benefícios da delação de Joesley, Saud e Assis Silva na sexta. No mesmo dia 8, Fachin disse “sim” ao pedido maroto. E por que “maroto”? Porque o doutor resolveu pedir apenas a prisão temporária da turma, não a prisão preventiva, como seria o correto. O ministro, como sabemos, nem concordou inteiramente com a petição: deixou Miller de fora; viu na atuação do ex-procurador algo que classificou de “indícios não-indiciários”. O mundo ainda aguarda que ele explique o que quis dizer.

Pois bem! Agora, uma semana depois do anúncio de Janot, determina-se, então, o mandado de busca e apreensão??? Ora, é claro que essa operação existiria, não? Ou por que se decretar a prisão temporária de Joesley e Saud? A detenção temporária costuma servir justamente para que a Polícia Federal e o Ministério Público recolham material eventualmente importante para a investigação sem a interferência dos investigados.

E, por isso mesmo, estamos diante de um escândalo adicional. Então ficamos assim:
a: no dia 4, Janot admite que a delação premiada pode ser ter sido fraudada pelos beneficiários e por um então procurador;
b: ele só toma uma providência efetiva, bem mixuruca (prisão temporária), no dia 8;
c: Fachin autoriza a operação no mesmo dia, mas a prisão só acontece no dia 10 — e, ainda assim, porque os implicados se entregam;
d: desde o dia 4, os envolvidos sabem que haverá um mandado de busca e apreensão;
e: este só é realizado no dia 11, uma semana depois.

Logo, se os implicados tinham de dar sumiço a documentos e provas, tiveram uma semana para fazê-lo, não? Sem ser importunados por ninguém.

Sempre assim?
Aí cabe a pergunta? É sempre assim que agem a Procuradoria Geral da República e o Supremo Tribunal Federal? A resposta, obviamente, é “não”! Muito pelo contrário. Nesses casos, a surpresa faz toda a diferença, ora bolas! Vocês se deram conta de que a entrevista coletiva concedida por Janot, naquela segunda-feira, correspondeu a uma advertência aos criminosos? Vocês já imaginaram como teria sido a coleta de provas ao longo desses mais de três anos de Lava Jato se, a cada suspeita, o procurador-geral fosse à televisão para expor as suas hipóteses e teorias? Se Joeley, Saud, Miller e outros dispusessem de provas dando sopa, o que vocês achavam que eles fizeram com elas?

O que costuma acontecer é precisamente o contrário. As operações são mantidas em sigilo, e os mandados de prisão, temporária ou preventiva, são expedidos ao mesmo tempo em que se fazem a busca e apreensão. E assim se age justamente para que o investigado não tenha tempo de dar sumiço às provas.

Fazer o quê? Os brasileiros estão sendo continuamente enganados na sua boa-fé.

O que q uero dizer, meus caros, é que estamos no meio de uma operação para tentar salvar a pele de Joesley, de Miller de Janot e de Fachin.

Esse é o grande escândalo que não estão querendo enxergar.

Email this to someoneShare on FacebookTweet about this on TwitterPin on PinterestShare on Google+

Pela primeira vez, CASACOR terá ambientes com acessibilidade no RN

Tradicional mostra de arquitetura, design de interiores e paisagismo será realizado dia 14

POR DANILO SÁ

A CASACOR 2017, tradicional mostra de arquitetura, design de interiores e paisagismo, terá, pela primeira vez, ambientes com acessibilidade para pessoas com deficiência e/ou mobilidade reduzida em sua edição potiguar. O evento será realizado a partir do dia 14 no Aeroclube, e a ação é fruto de uma parceria da organização com a empresa Adapte Acessibilidade.

“A CASACOR acompanhará o que já é uma exigência do mercado. O respeito às pessoas que precisam da acessibilidade é uma questão cada vez mais fundamental na arquitetura e construção civil. Nosso trabalho em parceria com a CASACOR foi justamente colaborar para mostrar, junto à sociedade, como é importante construir espaços acessíveis”, disse Danielle Sá, arquiteta especialista em acessibilidade e diretora da Adapte.

As obras nos espaços da exposição foram realizadas com o acompanhamento direto da Adapte, tudo para que o evento consiga mostrar aos seus visitantes a importância da acessibilidade. A mostra ainda realizará, entre os dias 19 e 22 de setembro, a Semana CASACOR Inclusiva, para celebrar o Dia Nacional de Luta das Pessoas com Deficiência, no dia 21.

Localizado na Avenida Hermes da Fonseca, o Aeroclube foi totalmente reformado para receber mais de 30 ambientes, assinados por profissionais renomados da arquitetura, em uma área de 2.200 m². O evento, pertencente ao Grupo Abril, é a maior e mais completa mostra de arquitetura, design de interiores e paisagismo das Américas.

Email this to someoneShare on FacebookTweet about this on TwitterPin on PinterestShare on Google+

Comissão aprova redução de recesso parlamentar

Reinício no plenário será antecipado para 15 de janeiro

O recesso parlamentar na Câmara Municipal de Mossoró deverá ser reduzido em um mês. A Comissão de Constituição, Justiça e Redação (CCJR) aprovou, hoje (11), antecipação do início das atividades de plenário de 15 de fevereiro para 15 de janeiro.

O projeto de emenda à Lei Orgânica Municipal é de autoria da vereadora Izabel Montenegro (PMDB) e foi aprovado, na CCJR, com parecer favorável da relatora, vereadora Sandra Rosado (PSB). A proposta ainda precisa de votação final, no plenário.

Outras matérias

Ao todo, a Comissão de Constituição, Justiça e Redação analisou, hoje, 32 projetos. Entre eles, divulgação em portal da transparência da jornada de trabalho e órgão de lotação dos servidores da Prefeitura, efetivos, comissionados e estagiários.

A presidente da comissão, Sandra Rosado, informa que o colegiado também aprovou atuação de intérprete de Língua Brasileira de Sinais (Libras) em eventos da Prefeitura e criação da Frente Parlamentar em Defesa da Mulher na Câmara Municipal.

“Também designamos relatores para 15 outros projetos, os quais, junto com outros que já estão sendo relatados, serão votados nas próximas reuniões da CCJR. Confiamos que encerraremos o ano com todos os projetos votados na comissão”, diz Sandra.

Email this to someoneShare on FacebookTweet about this on TwitterPin on PinterestShare on Google+

MPF denuncia Lula e Gilberto Carvalho por corrupção passiva na Operação Zelotes

Ex-presidente é acusado de editar Medida Provisória para favorecer empresas do setor automotivo em troca de propina

O ex-presidente Lula - Foto: Nilton Fukuda/Estadão

Ministério Público Federal no Distrito Federal (MPF-DF) apresentou denúncia por corrupção passiva contra o ex-presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva.

A denúncia, oferecida dentro da Operação Zelotes, afirma que Lula editou uma medida provisória para favorecer empresas do setor automotivo em troca de recebimento de propina. Também foi denunciado por corrupção passiva o então chefe de gabinete de Lula, Gilberto Carvalho.

Em nota, o Instituto Lula disse que os procurados do MPF tentam “constranger” o ex-presidente. O texto diz ainda que a denúncia é “improcedente, injurídica e imoral” (veja o texto na íntegra ao final desta reportagem).

G1 tenta contato com Gilberto Carvalho, mas não havia conseguido até a última atualização desta reportagem. Em janeiro do ano passado, ao prestar depoimento na 10ª Vara Federal de Brasília, ele chamou de “absurda” a investigação da Operação Zelotes.

Segundo os investigadores do MPF, as empresas beneficiadas pela medida provisória pagaram a propina a intermediários, que ficaram encarregados de repassar o dinheiro para os agentes políticos.

Ainda de acordo com o MPF, os participantes do esquema prometeram R$ 6 milhões para Lula e Carvalho. O dinheiro, segundo as investigações, era para custear campanhas eleitorais do PT.

“Diante de tal promessa, os agentes públicos, infringindo dever funcional, favoreceram às montadoras de veículo MMC e Caoa ao editarem, em celeridade e procedimento atípicos, a Medida Provisória n° 471, em 23/11/2009, exatamente nos termos encomendados”, diz um trecho da denúncia.

Além de Lula e Carvalho, também foram denunciados:

  • José Ricardo da Silva (ex-conselheiro do Conselho Administrativo da Receita Federal) – corrupção ativa
  • Alexandre Paes dos Santos (lobista) – corrupção ativa
  • Paulo Arantes Ferraz (empresário da MMC – Mitsubishi) – corrupção ativa
  • Mauro Marcondes Machado (empresário) – corrupção ativa
  • Carlos Alberto de Oliveira Andrade (empresário do Grupo Caoa) – corrupção ativa

De acordo com a denúncia, a medida provisória alvo das investigações, editada em 2009, passou por avaliação dos corruptores antes de ser finalizada. Eles chegaram a fazer sugestões de alterações, segundo o MPF.

Veja a íntegra da nota do Instituto Lula:

Procuradores voltam a perseguir Lula com denúncia repetida

Mais uma vez membros do Ministério Público Federal abusam de suas prerrogativas legais para tentar constranger o ex-presidente Lula e manipulam o sistema judicial brasileiro para promover uma perseguição política que não pode mais ser disfarçada.

A nova denúncia do Ministério Público sobre a edição da Medida Provisória 471/2009 não é apenas improcedente, mas injurídica e imoral. Os procuradores que a assinam tentam explorar novamente um tema que já foi objeto de ação penal e julgamento na primeira instância há mais de um ano.

A Medida Provisória 471 foi editada em 2009, para prorrogar a vigência de incentivos fiscais que tornaram as regiões Nordeste, Norte e Centro-Oeste responsáveis por 13% dos empregos na indústria automobilística brasileira, e por mais de 10% das exportações de automóveis pelo país.

São absolutamente corretos os trâmites da medida, desde a edição até a aprovação pelo Congresso Nacional, que a converteu em lei sem votos contrários. Somente a sanha persecutória de determinados procuradores contra o ex-presidente Lula pode explicar a tentativa de criminalização de uma política de desenvolvimento regional iniciada em governo anterior ao dele.

Email this to someoneShare on FacebookTweet about this on TwitterPin on PinterestShare on Google+

Joesley e Saud chegam a Brasília, onde ficarão presos

Populares fazem “recepção” aos delatores 

Joesley Batista desembarca em hangar da Polícia Federal em Brasília. Empresário e Ricardo Saud serão levados à Superintendência da PF. Foto: André Dusek/Estadão

Joesley Batista e Ricardo Saud chegam a Brasília em avião da Polícia Federal Foto: Jorge William / Agência O Globo

Os empresário Joesley Batista, um dos do donos do grupo J&F, e o executivo da empresa Ricardo Saud chegaram a Brasília no início da tarde desta segunda-feira (11) em um avião da Polícia Federal. Eles foram presos neste domingo (10) em São Paulo e ficarão presos em Brasília por pelo mneos cinco dias.

Joesley e Saud tiveram a prisão temporária decretada pelo ministro Luiz Édson Fachin, do Supremo Tribunal Federal (STF).

Eles devem permanecer detidos ao menos por cinco dias, mas a prisão temporária pode ser prorrogada ou até mesmo convertida em preventiva, que não tem prazo determinado para terminar.

Joesley Batista e Ricardo Saud (Foto: Dida Sampaio/Estadão Conteúdo)Joesley Batista e Ricardo Saud (Foto: Dida Sampaio/Estadão Conteúdo)

Joesley Batista e Ricardo Saud (Foto: Dida Sampaio/Estadão Conteúdo)

Na última semana, o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, anunciou que revisaria os acordos de delação premiada dos executivos, com base na gravação de uma conversa na qual Joesley e Saud dão a entender que omitiram informações nos depoimentos à Procuradoria-Geral da República (PGR).

Nos diálogos, há trechos em que os executivos falam sobre Marcelo Miller, ex-procurador da República, que supostamente estava orientando os dirigentes da J&F a elaborar os termos de delação premiada, quando ainda fazia parte do MPF.

Em nota, as defesas de Joesley e Saud disseram que “não mentiram nem omitiram informações no processo que levou ao acordo de colaboração premiada e que estão cumprindo o acordo”.

Em Brasília, Joesley e Saud devem ser submetidos a exame de corpo de delito no Instituto Médico Legal (IML) para verificar em que condições foram detidos. Só depois, eles devem ser levados para a superintendência da Polícia Federal, onde ficarão detidos.

‘Recepção’

Por volta das 15h50, o comboio que levava Joesley e Saud chegou à superintendência da PF em Brasília (veja no vídeo abaixo).

Na porta da superitendência da PF, dez manifestantes aguardavam os executivos com cartazes contra a corrupção. Eles erguiam frases como: “Joesley, a Papuda te espera”, numa referência ao presídio do Distrito Federal.

Segundo o autônomo Joaquim José Gomes, um a intenção é “recepcionar” o dono da J&F.

“Estamos comemorando a prisão de Joesley. Antigamente só prendiam pretos e pobres. Hoje, estão indo [presos] brancos ricos e poderosos também”, afirmou o manifestante.

Manifestantes esperam Joesley e Saud na entrada da superintendência da PF, em Brasília (Foto: Alessandra Modzeleski)

Email this to someoneShare on FacebookTweet about this on TwitterPin on PinterestShare on Google+