Entrevista: Francisco José Júnior

Prefeito de Mossoró anuncia que está em condições e enfrentará qualquer adversário nas eleições de 2016

O prefeito de Mossoró anuncia que está em condições jurídicas de disputar mais um mandato e, assim sendo, em 2016, não teme enfrentar qualquer adversário. Sobre a vitória de Robinson Faria (PSD), em Mossoró, ele lembra que foi quem esteve nas ruas fazendo campanha para o governador eleito. Confira a entrevista do prefeito, ao blog da jornalista Thaisa Galvão:

IMG_9532.PNG

Por: Thaisa Galvão

Thaisa Galvão – Na disputa pelo governo do Estado, Robinson Faria, o vencedor. Em Mossoró, o prefeito Francisco José Júnior pode ser chamado de ‘o grande vencedor’?

Francisco José Jr – Posso dizer que nós saímos bastante fortalecidos, com uma musculatura política muito fortalecida, porque a classe política mossoroense, toda, se voltou contra a minha administração. Aí agora a gente sai desse processo eleitoral com a presidente, com a senadora, e com o governador. Então isso vai dar um impulso ainda maior na nossa administração. O resultado das urnas de Mossoró deixou a cidade com uma expectativa muito boa, e nos deixou também, politicamente, muito fortalecidos, não só pelos 3, mas também pela eleição de Galeno, que foi um candidato que a gente trabalhou somente 40 dias e teve uma votação acima de um deputado estadual de Mossoró, que foi o deputado Leonardo. Mostrou que a nossa administração está sendo reconhecida pela população, e acredito que nosso grupo saiu muito fortalecido.

 

Thaisa Galvão – No primeiro turno, Robinson teve uma maioria superior a 23 mil votos em Mossoró, e no segundo turno a maioria passou para 48 mil. O que aconteceu para essa maioria mais que dobrar?

Francisco José Jr –Robinson quando começou a campanha, ele estava 20 pontos atrás de Henrique. Henrique toda vida que foi candidato a federal teve de 5 a 10 mil votos em Mossoró, e Robinson pra deputado estadual nunca passou de 100 votos na cidade, então era bastante desconhecido. Nós começamos a ir às ruas diariamente, mostrar o que Robinson fez na Assembleia, e dizer da importância dele ser governador pra cidade de Mossoró. Como eram 5 candidatos que nós trabalhávamos diariamente, a gente fez um trabalho dizendo ‘vote nos candidatos do prefeito’. Acredito que foi importante esse vínculo à nossa imagem, pra Robinson se tornar conhecido. Agora o voto livre do mossoroense, as lideranças comunitárias, a nossa própria bancada de vereadores, que nós temos 13, de 21, tudo isso, essa soma de esforços, deu essa virada no primeiro turno para 23 mil votos no primeiro turno. No segundo turno fizemos uma campanha ainda mais maciça, nós tínhamos uma greve na Saúde que acabou na última semana da eleição, eu acho que isso contribuiu, o apoio do segmento evangélico que nós recebemos…

 

Thaisa Galvão – O grupo da governadora Rosalba Ciarlini diz que ela também deu apoio a Robinson no segundo turno. O que você diz?

Francisco José Jr – A gente sabe que uma vitória tem vários pais e uma derrota ela á órfã. A governadora, ela foi vítima desse acordão, teve o direito ceifado de ser candidata à reeleição, no primeiro turno votou nulo e no segundo turno, no sábado, ela foi a Mossoró e bateu uma foto com o 55 na roupa. Acredito que ela e o grupo político dela devem ter votado em Robinson, e isso, eu não quero contestar a liderança de Rosalba, mas eu quero dizer que a governadora Rosalba externou o voto, ela não trabalhou para o candidato Robinson. Ela não fez discurso, ela não fez campanha pra Robinson, ela externou seu voto. Que foi importante, foi, que contribuiu, contribuiu sim, mas não dizer que foi por causa dela que houve essa maioria. Como disse, foi uma soma de fatores, e principalmente o voto livre da nossa cidade.

 

Thaisa Galvão – O que se dizia era que o grupo dela trabalhava em silêncio…

Francisco José Jr – Olhe, o grupo dela é o mesmo grupo do deputado Betinho Rosado. E o grupo dele trabalhou conosco no primeiro turno e ajudou para que a gente pudesse ter essa maioria de 23 mil votos. Então não foi porque a governadora, no sábado, véspera da eleição, disse que votaria em Robinson, que teve essa maioria. Nós tínhamos 200 pessoas diariamente nas ruas, visitando as casas, mostrando a importância dessa eleição para o contexto político, administrativo e econômico da cidade.

Thaisa Galvão – O deputado eleito Betinho Rosado deu uma declaração atribuindo a ampliação da maioria de Robinson em Mossoró, à governadora Rosalba Ciarlini. Essa posição de Betinho pode significar um racha no grupo de Robinson em Mossoró?

Francisco José Jr – Acredito que não, até porque Betinho, Betinho pai e Betinho filho, eles sabem que o maior advogado que ele teve pra coligação com o nosso governador fui eu. Se não fosse, e eu digo sem medo de errar, e eles sabem disso, que se não fosse o papel do prefeito de Mossoró, Betinho não tinha conseguido se coligar com o nosso governador. Houve resistência muito grande de partidos aliados (ele não disse, mas a resistência foi do PT), mas eu cheguei a dizer que me afastaria da campanha se não aceitassem a coligação. Eu sei da importância de termos um deputado federal na cidade, assim como Fábio Faria, teremos dois deputados para trabalhar pela cidade. Há um respeito e o próprio Betinho (pai), já disse que iria ajudar, agora no fim do mandato, com emendas para o próximo ano. Acho que são fatos que estão criando de um racha, mas de alguém já pensando em 2016. Agora eu não penso em 2016, foram 3 eleições em 45 meses e eu tô cansado de eleição e concentrado 100% na nossa administração e eu sei que terei uma grande ajuda de Betinho em Brasília.

 

Thaisa Galvão – O prefeito de Mossoró vai indicar nomes para o Governo Robinson Faria?

Francisco José Jr – Primeiro eu apoiei Robinson por convicção, por idealismo, por ser presidente do meu partido, por conhecer trabalho dele como presidente da Assembleia, ele foi um dos melhores presidentes da Assembleia. Então sei do seu compromisso, da sua competência, da sua honestidade, e sei que fará um grande governo. E sei também que, por ser amigo dele, por conviver cm ele durante 14 anos, eu como prefeito da cidade não vou precisar marcar audiência pra conversar com ele, e vou ter um aliado político em Mossoró. Agora pela importância política que foi Mossoró, que levou Robinson para o segundo turno, que deu a maior votação proporcional, a maior maioria, eu acredito que Robinson deverá consultar, até pela aprovação de nossa administração, consultar algum venha a compor seu secretariado. Meu apoio nunca foi condicionado a ele e eu nunca escutei, da boca dele, esse assunto.

 

Thaisa Galvão – Você já teria algum nome? O nome do ex-deputado Francisco José pode ser um bom nome a ser indicado?

Francisco José Jr – Poder, pode. Meu pai é enfermeiro, foi vereador, foi secretário de estado, vai depender da pasta que me for oferecida porque temos que se preocupar nesse governo com uma composição técnica assim como fiz em Mossoró onde 60% do secretariado é composto por servidores de carreira, outros foram indicados pela universidade e o sucesso da nossa gestão é justamente esse governo técnico. Acredito que ele pregou isso na campanha e fará um governo técnico.

Thaisa Galvão – A eleição suplementar foi o primeiro embate do prefeito de Mossoró com os grandes grupos. Você enfrentou Sandra Rosado, Larissa Rosado, Garibaldi Filho, Henrique Alves, José Agripino. Na eleição estadual acrescente-se a estes nomes Fafá Rosado e Leonardo Nogueira. Nos dois casos os grandes grupos foram derrotados. O que está acontecendo?

Francisco José Jr – O eleitor está mais exigente e reconhece, como está mais politizado e antenado, reconhece um trabalho sério.  A marca da nossa gestão vem sendo transparência, seriedade e eficiência. É a primeira vez que um prefeito de Mossoró faz uma auditoria na sua folha de pagamento, nós fizemos. Estamos fazendo um cadastramento biométrico e vamos implementar ponto eletrônico em toda a estrutura do Município. No nosso governo só vai receber salario quem trabalhar, só vai receber hora extra e plantão, quem der. Além disso estamos ampliando e reformando 18 escolas, abrimos uma nova Base Integrada Cidadã, temos três UPAs, em Natal são duas e nós temos três, e com um diferencial: temos serviço de ortopedia, plantão odontológico que as UPAs de Natal não tem. Obras que tiramos do papel, adormecidas desde 2007, tudo isso em pouco tempo. Então a população reconhece isso e a nossa boa avaliação foi fundamental para o sucesso dessas urnas. E essa classe política de Mossoró, que ainda tem mandatos, porque são deputados de Mossoró, estavam boicotando a nossa gestão. Aí a população deu o recado.

 

Thaisa Galvão – A oposição ao seu nome em Mossoró costuma dizer que você teve sorte pois nunca passou de um vereador de 2 mil votos. Mas que tanta sorte é essa?

Francisco José Jr – Deus ajuda a quem trabalha. Eu sou uma pessoa que tem muita fé e estou cumprindo uma missão, Não acredito só em sorte, acredito em trabalho. Porque como é que se explica, o deputado Galeno, por exemplo, de São Miguel, foi o nosso candidato no lugar do meu pai que acabou não sendo, foram 40 dias de campanha e o deputado tirou 12.300 votos. Tirou 3 mil votos a mais do que o deputado Leonardo Nogueira. Isso é sorte? Deixo essa interrogação. Como é que o deputado Fábio Faria que em outras eleições tirou 3 mil votos, agora tirou 12.400? Como é que Robinson, um simples desconhecido, deu essa virada? Se for sorte, quero continuar com essa sorte porque, graças a Deus, todos os nossos candidatos estão ganhando as eleições. Ontem mesmo tivemos a vitória do presidente da Câmara, do PSD, Jório Nogueira, e como eu disse, quem trabalha Deus ajuda, e quem está com Deus está com sorte.

 

Thaisa Galvão – Você tem um vice do PT, Luís Carlos. O Planalto já deu sinais de que vai colaborar com sua gestão?

Francisco José Jr – O governo federal já vinha ajudando nessa minha administração, era um parceiro que eu tinha forte. A deputada Fátima Bezerra vem me ajudando. Nós conseguimos 14 médicos do programa Mais Médicos, casas do Minha Casa Minha Vida, ambulância, carros para conselhos tutelares, tudo isso em pouco tempo. E agora com certeza vamos ter uma ajuda ainda maior, porque Fátima sai de deputada para Senado, tem muita força com o PT e o PT tem duas secretarias no nosso governo, tem o vice-prefeito, então é uma parceria que vem dando certo.

 

Thaisa Galvão – Como está sua relação com os servidores? Você enfrentou a greve na Saúde e certamente não foi a última…

Francisco José Jr – Melhor impossível. Ficamos arranhados por esse período, mas é porque estávamos analisando todos os impactos na folha de pagamento e esse plano de carreiras é de 2007. De lá pra cá ninguém fez nada, ninguém implantou. E nós atendemos 8 pontos cruciais do pleito da categoria e eles saíram felizes, muito motivados, e tenho certeza que a saúde será outra após essa greve. Nunca tive problema com servidor, também como presidente da Câmara, até porque só acredito em serviço público eficiente tendo um servidor reconhecido e motivado. Esse é nosso objetivo, reduzir a folha, com a biometria e o ponto eletrônico, para valorizar os servidores do Município.

 

Thaisa Galvão – E o futuro de Francisco José Júnior, já está traçado? Vai pra reeleição?

Francisco José Jr – As pessoas falam em sorte, pois eu tive sorte de, como presidente da Câmara, assumir a Prefeitura na interinidade, mas tive a competência e o dinamismo de transformar essa oportunidade em vitórias. E como sou de muita fé, Deus está no comando de tudo, e eu acredito nessa luz divina que está me iluminando e o futuro pertence a Ele. Estou preocupado agora em fazer a melhor administração que um prefeito já fez na cidade, e se isso vai credenciar para projetos futuros, quem vai dizer é o povo. Acredito que irei para reeleição porque é pouco tempo para trabalhar, quatro anos é pouco, imagine dois anos e meio. Acredito que precisarei de mais tempo para fazer as mudanças necessárias.

 

Thaisa Galvão – Juridicamente, você pode tentar reeleição? Fala-se que este já éo seu segundo mandato.

Francisco José Jr – Certeza que posso, até porque eu só tenho um diploma de prefeito proferido pelo TRE, e eu assumi de forma interina por determinação da Justiça Eleitoral que afastou a prefeita e se eu não assumisse que perderia meu mandato, teria que renunciar. E nós temos uma decisão do ministro Delgado, do TSE, afirmando que o presidente da Câmara assumindo um mandato tampão ele pode ir pra uma reeleição, assim como onze jurisprudências de Tribunais Regionais Eleitorais pelo país. Estamos bastante tranquilos e convictos que podemos ser candidato.

 

Thaisa Galvão – Numa disputa pela reeleição, quem você vai enfrentar pela frente? Rosalba, Sandra Rosado, Larissa Rosado, Fafá Rosado…outra briga de gigantes em Mossoró…

Francisco José Jr – Já foram duas brigas de gigantes. A primeira foi enfrentar a deputada Larissa, que saiu quase eleita da disputa com Cláudia Regina. Ela era a prefeita de fato e perdeu por uma diferença muito pequena, na reta final. E aí na suplementar ela tinha o reforço do PMDB mas nós conseguimos derrotar. E agora na estadual, além de toda a classe política, ainda teve o apoio de Cláudia e de Fafá e derrotamos novamente. Então a gente está tranquilo para enfrentar qualquer adversário. Não estamos preocupados com isso agora, mas qualquer que seja o adversário, se nossa administração estiver bem avaliada, e com certeza teremos também o apoio do governador Robinson Faria, então não estaremos mais sozinhos e acreditamos que chegaremos fortes numa reeleição.

1 Comentário para Entrevista: Francisco José Júnior

  1. Jair Antonio da Silva disse:

    Senhor prefeito, caso não tenham lhe informado ainda, eu faço agora: Existe a categoria dos FISCAIS AMBIENTAIS E URBANÍSTICOS do Município de Mossoró que estão em GREVE há 55 dias e estamos esperando a tal “valorização do servidor”, que o senhor tanto fala…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

onze − 2 =