MUITO BOM PARA O RIO GRANDE DO NORTE

ROGÉRIO MARINHO MINISTRO

POR CÉSAR SANTOS 

De Fato 

A nomeação de Rogério Marinho (PSDB) para o primeiro escalão do ministério do presidente Jair Bolsonaro não surpreende. Talvez a novidade tenha sido a pasta do Desenvolvimento Regional. Mas, todos sabiam que a qualquer momento o ex-deputado federal potiguar escalaria a rampa da Esplanada dos Ministérios.

Marinho ganhou força em Brasília quando foi escalado para ser o relator da reforma trabalhista. Realizou um trabalho consistente em defesa da modernização das leis trabalhistas. Ele cumpria o terceiro mandato na Câmara, onde conheceu e ganhou a simpatia de Jair Bolsonaro, também deputado naquele momento.

A reforma trabalhista deu a Rogério Marinho o estandarte do movimento reformista, apoiado pelo PIB brasileiro e acolhido no projeto econômico do governo Bolsonaro, conduzido pelo ministro Paulo Guedes. O prestígio de Marinho ganhou ainda mais força como um dos principais articuladores da reforma da Previdência, aprovada em 2019, já na condição de secretário especial da Previdência e do Trabalho do Ministério da Economia.

Vale lembrar que a relatoria da reforma trabalhista derrotou Marinho nas eleições de 2018. Ele foi rejeitado nas urnas pelo eleitor potiguar, interrompendo, dessa forma, três mandatos consecutivos na Câmara — entre 2007 e 2018. Políticos de esquerda, adversários da reforma trabalhista, vibraram e anunciaram o seu fim na vida pública. Não observaram, porém, que Rogério sacrificou a sua reeleição, mas estava convicto de que alçaria voo maior com a sua colaboração no processo de modernização das relações do trabalho no País.

Foi preciso ter coragem. Ele teve. Outros parlamentares do RN correram léguas da reforma trabalhista, se posicionando contra para não perder votos, sem levar em conta a importância de preparar o País para o futuro. Esses políticos, os que ficaram contra a reforma, se elegeram em 2018, mas a história vai contar que eles não acrescentaram absolutamente nada ao Brasil.

Agora,  Marinho está assumindo a pasta que comanda programas importantes do Governo Federal como o Minha Casa, Minha Vida, habitação popular, infraestrutura urbana e de segurança hídrica. Está muito mais forte do que era, sendo visto em Brasília como um dos auxiliares mais influentes do presidente Bolsonaro.

E, como tudo na vida o mundo dá voltas, o momento de Rogério Marinho reluz essa máxima popular. Exemplo: O Governo do Estado do RN, capitaneado por aqueles que “satanizaram” Marinho por conta da reforma trabalhista, agora terá que bater à porta do novo ministro do Desenvolvimento Regional para pedir a liberação de recursos para habitação popular, obras de recursos hídricos e infraestrutura urbana.

A governadora Fátima Bezerra (PT) já pode pedir a primeira audiência. O ministro Rogério Marinho é do RN e do Brasil.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

nove − oito =