Henrique encontra eleitora com retrato de 1970

Na carreata com Fafá e Leonardo candidato é homenageado por eleitora 

Rosalba participa de carreata em Mossoró

Governadora percorre alguns bairros ao lado de Betinho Segundo

A governadora do Estado, Rosalba Ciarlini, DEM, participa de carreata no Abolição III, ao lado do candidato a deputado federal, Betinho Segundo.

 

Fafá e Leonardo comandam carreata ao lado de Henrique Alves

Candidato ao Governo pelo PMDB comemora números da Pesquisa Ibope em Mossoró em carreata que percorre vários bairros 

Henrique Alves participa de carreata ao lado de Fafá e Leonardo em Mossoró – Fotos: iPad Skarlack

 

O candidato ao Governo do Estado, Henrique Eduardo Alves (PMDB) recebeu os números da Pesquisa Ibope, divulgada pela InterTV, às 19h, no bairro Boa Vista, em Mossoró.

Henrique Alves participa de carreata comandada pela ex-prefeita de Mossoró e candidata a deputada federal, Fafá Rosado (PMDB) e do deputado estadual e candidato à reeleição, Leonardo Nogueira (DEM).

A mobilização foi iniciada no bairro aeroporto às 18h e percorre vários bairros.

 

Pesquisa Ibope/InterTV Cabugi: Henrique tem 40% e Robinson 33%

Para o Senado Fátima tem 45% e Wilma de Faria 30%

A pesquisa Ibope/InterTV Cabugi divulgada no início da noite desta sexta-feira (3) mostra o candidato Henrique Eduardo Alves (PMDB) liderando com sete pontos de vantagem sobre o segundo lugar. Na última pesquisa antes das eleições, ele tem 40% das intenções de votos, enquanto Robinson Faria aparece com 33%.

O professor Robério Paulino (PSOL) está em terceiro lugar nas intenções de voto. Segundo o Ibope, ele tem 4%, enquanto Simone Dutra (PSTU) tem 1% e Araken Farias, 1%.

Na contagem dos votos válidos, Henrique tem 50%, Robinson 42%, Robério, 5%, Simone, 2% e Araken, 1%. Para esse cálculo, são excluídos os votos brancos, nulos e indecisos.

Em uma simulação de segundo turno entre os dois primeiros lugares, Henrique tem 42% e Robinson 36%. Os entrevistados que responderam votar em branco ou nulo correspondem a 15%, enquanto os indecisos somam 7%.

A pesquisa foi realizada entre os dias 1 e 3 de outubro, com 812 entrevistas em 40 municípios. A margem de erro é de três pontos percentuais.

Senado

O Ibope também ouviu os eleitores para saber das inteções de voto para o Senado. Fátima Bezerra (PT) aparece com 45% e Wilma de Faria (PSB) com 30%. Os entrevistados que responderam que vão votar branco ou nulo somam 15% e os indecisos são 7%.

Fonte: www.tribunadonorte.com.br

Uma avaliação sobre o debate da Globo

 

Eduardo Jorge, o Enéas dos malucos-beleza. Ou: Algemados, Luciana, deveriam ter sido membros do PSOL. Digo por quê!

Por: Reinaldo Azevedo

Não dá mais.

Acompanhei cuidadosamente o debate da noite de ontem e começo da madrugada de hoje na TV Globo. Escrevi, como vocês podem acompanhar, 40 posts ao longo de duas horas e dez minutos, registrando perguntas e respostas. Assim, experimentei de perto o horror e a picaretagem. Dos sete candidatos presentes, apenas três têm chances reais de se eleger presidente da República. Os outros são candidatos de si mesmos ou de sua grei de fanáticos. Quem perde com a obrigatoriedade de tê-los no debate é a população, é o eleitor.

Esqueçam. Não haverá tão facilmente uma reforma política e eleitoral que barre a sanha dos chamados nanicos, alguns deles vivendo exclusivamente do Fundo Partidário, uma das excrescências que existem no Brasil. A Lei Eleitoral impõe que as TVs e rádios, por serem concessões públicas, não privilegiem partidos. Ocorre que uma coisa é conceder privilégios. Outra, distinta, é tratar igualmente os desiguais.

Ora, quem eram os privilegiados de ontem à noite no debate da Globo, por força de uma interpretação vesga da lei? Juntos, Dilma Rousseff, do PT; Marina Silva, do PSB, e Aécio Neves, do PSDB, têm 85% do eleitorado brasileiro. Não obstante, os outros quatro, que somam 4%, foram tratados em pé de igualdade. E, como perguntaria o poeta Ascenso Ferreira, pra quê? Pra nada!

Eduardo Jorge, do PV, que tem até uma trajetória respeitável, tornou-se o Enéas dos malucos-beleza, o Ideiafix de Obelix, defensor da natureza, que gane quando vê alguma agressão à natureza. Não tem o que dizer, o que perguntar, o que propor, a não ser a sua pauta fixa: descriminalização do aborto e da maconha. Seria o caso de indagar onde está a sua sanidade, sendo, como é, um médico.

Mas isso é problema dele. Só é problema nosso quando, num debate para a Presidência, tendo a chance de fazer uma pergunta sobre a corrupção para a atual mandatária, dirige-lhe uma questão sobre… descriminação do aborto. Ideiafix!!! Não tem uma pauta de presidente. Usa o espaço para vender as suas teses, que inclui mato e feto moídos.

Luciana Genro, do PSOL, é o pior que pode produzir a ignorância esquerdista dos mimados. Suas teses são de um cretinismo espantoso mesmo para os padrões da esquerda. É grosseira, desinformada e autoritária. Por sorteio, usou mal o nosso tempo, o dela e o de Dilma, dirigindo duas perguntas bucéfalas à presidente. Na primeira, afirmou que a corrupção na Petrobras é fruto da associação da petista com a direita, como se a esquerda não praticasse corrupção. Pratica, sim. A começar do PSOL, o partido de Luciana, como lembrarei daqui a pouco.

Na segunda, deveria ter feito uma pergunta à presidente-candidata sobre programas sociais. Usou o tempo para defender a taxação pesada aos banqueiros e aos milionários. Tem uma cabecinha vulgar, populista, obscurantista. Dilma a ignorou e falou o que bem quis.

Luciana e Eduardo Jorge resolveram embarcar na onda e demonizar Levy Fidelix, cujas ideias margeiam o folclore. Por incrível que pareça, revejam o debate, quem argumentou com as leis certas e que organizam o estado de direito no Brasil foi o despreparado Levy. Luciana chegou a dizer que o homem deveria ter saído algemado do debate da Record. E afirmou: “Se tivesse uma lei anti-homofobia, tu teria (sic) saído algemado de lá”. A tiranazinha sem voto deixou claro por que quer uma lei anti-homofobia. Para encarcerar pessoas — ela, que se diz contra o encarceramento.

Algemados deveriam ter sido os membros do PSOL que estimularam a violência e o quebra-quebra do Rio, ao lado dos black blocs. Corrupção praticou a deputada Janira Rocha, do partido, quando admitiu que usou dinheiro de um sindicato em campanha eleitoral. Ou, então, a deputada Inês Pandeló, do PT, condenada em segunda instância por improbidade administrativa por extorquir parte do salário dos servidores do gabinete a título de “filantropia”. Tudo gente desta incrível e deseducada Luciana Genro, que, indagada sobre o que fazer com crianças viciadas, respondeu que é preciso desmilitarizar a polícia. No debate, Aécio deu-lhe um chega pra lá e a chamou de despreparada para disputar a Presidência. E tem razão.

A lei eleitoral não vai mudar tão facilmente. Mas a Justiça Eleitoral poderia ter o bom senso de pôr em prática os Artigos 5º e 220 da Constituição, que asseguram a livre expressão e repudiam a censura. O brasileiro tem o direito de assistir a um debate político relevante, com quem tem o que dizer. Ora, por que as TVs e rádios, que são empresas privadas, estão obrigadas a garantir a todos o mesmo tempo se o horário eleitoral gratuito não está e é distribuído segundo o número de deputados de cada partido? A resposta é esta: porque o número de deputados indica também a densidade eleitoral das legendas. Se é assim, por que a Globo ou a Jovem Pan são constrangidas por lei a garantir o mesmo tempo a quem tem e a quem não tem votos?

A interpretação que se dá a essa lei é contra o povo e a favor dos poderosos de turno, que jamais são confrontados como deveriam porque parte do tempo é ocupada por candidatos de si mesmos.

Fonte: www.veja.com.br

Valmir e Neto na Zona Rural

Candidatos a deputado federal e deputado estadual cumpre agenda no Jucuri

Foi na localidade do Jucuri que o candidato a deputado federal, Valmir Alves (PT), em companhia do candidato a deputado estadual, Neto Vale (PC do B) cumpriram o dia permitido para realização de comícios.

Outras comunidades foram visitadas nesta quinta-feira, 2.

Direito de resposta de Henrique contra Robinson antes do Jornal Hoje

Um dia depois do fim da propaganda eleitoral direito de resposta é apresentado  na televisão

Entre o Globo Esporte e o Jornal Hoje, desta sexta-feira, 3, uma veiculação chamou a atenção do editor do blog.

Um direito de resposta do candidato ao Governo do Estado, Henrique Alves (PMDB), contra o candidato Robinson Faria (PSD).

Vamos colher detalhes sobre o direito de resposta.

Desembargadora vai ouvir envolvidos em perfis falsos

Envolvidos em suposto uso de perfis falsos para caluniar Henrique Alves serão ouvidos por Zeneide Bezerra 

A corregedora eleitoral Zeneide Bezerra determinou nesta quinta-feira (2) a citação de todos os envolvidos no suposto uso de uma rede de perfis falsos usada para caluniar o candidato do PMDB, Henrique Alves, na internet.

O candidato do PSD ao Governo do Estado, Robinson Faria, o seu vice, Fábio Dantas, o blogueiro Bruno Giovanni Medeiros Oliveira e os demais citados têm cinco dias para apresentar as suas defesas junto ao Tribunal Regional Eleitoral (TRE).

Caso
A Coligação União Pela Mudança protocolou junto ao Tribunal Regional Eleitoral uma ação judicial eleitoral para a abertura de investigação sobre uma possível rede de perfis falsos usados nas redes sociais para caluniar o candidato do PMDB ao Governo do Estado, Henrique Alves. Os advogados pedem no processo a cassação do registro do candidato do PSD ao Governo do Estado, Robinson Faria, e de seu vice, Fábio Dantas, por “abuso de poder”.
A representação aponta que os responsáveis pelos perfis falsos são ligados ao candidato do PSD ao Governo do Estado, Robinson Faria, o candidato a vice-governador, Fábio Dantas, o blogueiro Bruno Giovanni, a media social Fernanda Andrade, a empresa Mais Data Soluções Technológicas, entre outros.

Robinson e BG
Segundo o texto, a rede utilizava perfis falsos e sites, além de alugar perfis famosos na internet, como o do Pinta Natalense, no Twitter, para realizar uma “campanha de difamação contra o candidato do PMDB”, segundo os termos da ação.
O blogueiro Bruno Giovanni, do conhecido Blog do BG, é, segundo a representação, o responsável pelas redes sociais da campanha do vice-governador Robinson Faria ao Governo do Estado.
O contrato entre Bruno Giovanni se dá através da empresa C.F. de Macedo Moura Rodrigues, que possui o nome fantasia de Iluminar Som e Luz. Dados da prestação de contas do candidato Robinson Faria mostram que a empresa de Bruno Giovanni recebeu até o momento o valor de R$ 140 mil.

Fonte: www.nominuto.com

O Velho Apache Antenado não discute números de pesquisas

Mas a cada pesquisa do Instituto SETA aparecem questionamentos 

Há um ano, aqui, temos divulgado todas as pesquisas eleitorais publicadas no Rio Grande do Norte.

Independente do Instituto, dos números.

Aqui, só noticiamos, em respeito ao internauta.

Todavia, a cada pesquisa divulgada pelo Instituto SETA é feito um questionamento.

Primeiro, foi uma pesquisa que apareceu com mais de 100% na totalização, que obrigou o diretor da empresa se posicionar, através de Nota, afirmando que “houve um arredondamento dos números”.

Depois, se denunciou que o Instituto escolhe as mesmas cidades para pesquisa.

Agora, a jornalista Thaísa Galvão questiona o fato de, mesmo na reta final de campanha, a Pesquisa do SETA apresentar o aumento dos indecisos.

Porém, o domingo está chegando e, aí, saberemos se essas falhas são apenas por amadorismo, mesmo, do SETA, ou por fraude.

 

Cláudia Regina e Wellington Filho fazem mobilização para Henrique e Felipe Maia

Ex-prefeita e ex-vice-prefeito cumprem agenda na Estrada da Raiz 

Link permanente da imagem incorporada

A ex-prefeita cassada e afastada, Cláudia Regina (DEM) e o ex-vice-prefeito, Wellington Filho (PMDB) realizam mobilização em prol do candidato ao Governo do Estado, Henrique Alves (PMDB) e do deputado candidato à reeleição, Felipe Maia (DEM), nesta quinta-feira, 2.

A agenda foi cumprida na Estrada da Raiz e adjacências.