Emissários do PT espalham boato terrorista contra Aécio. Nunca vi tanta baixaria e desespero. Será tudo medo de perder a boquinha?

Outra pancada do blogueiro da Veja.com.br que tem mais de 300 mil acessos por dia

Por: Reinaldo Azevedo

Eu e todos os jornalistas que lidam com política e que são obrigados a transitar nos bastidores desta arte recebemos a informação, vinda na forma de boato, de que, na sexta-feira, uma acusação muito grave será levada ao ar contra o candidato tucano Aécio Neves. Qual acusação? Ninguém diz. Trata-se de terrorismo da pior espécie.

“Ah, mas será verdade ou mentira?” Que diferença faz? Desde quando terroristas ligam para isso? Não estão preocupados com essa bobagem. É que eles têm uma causa, não é? E, em nome dela, tudo é justificável. Vocês acham que aqueles celerados do Estado Islâmico, por exemplo, se ocupam de saber da justeza dos seus atos? Ou as pessoas estão com eles ou estão contra eles. É simples assim.

Essa máquina que está ativa no Brasil lava e suja reputações com a mesma sem-cerimônia. Se antigos inimigos se ajoelharem e reconhecerem o poder supremo do PT, prestando-lhe vassalagem, então passam a ser considerados homens de primeira linha. Não só recebem o certificado de pessoas honradas como podem ser sócios do poder, gozando de suas benesses. Perguntem a José Sarney, por exemplo, se ele, alguma vez, foi incomodado pelos “companheiros”. Nunca! Ao contrário: ele se tornou um sócio privilegiado no poder e, na sua capitania, continuou a ser rei.

Mas ai daquele, de dentro ou de fora do partido, que ouse desafiar o Supremo Mandatário. Aí, meus caros, vale literalmente tudo. Não! Eles não estão preparados para deixar o poder. Pior do que isso: se o eleitorado demonstra disposição de apeá-los do trono — o que é normal na democracia, que se caracteriza, entre outros atributos, pela alternância de poder —, então eles gritam: “Sabotagem! Golpe! Crime!”. E se organizam para o vale-tudo.

Sabem por que um terrorista nunca se arrepende dos atos mais detestáveis? Porque ele se considera uma vítima e acha que está apenas reagindo. Não é assim com todos os celerados do já citado Estado Islâmico? Eles não dizem abertamente que estão apenas respondendo a supostas agressões dos países ocidentais? Quando cortam uma cabeça, eles pretendem fazê-lo na condição de ofendidos.

Assim estão agindo alguns terroristas eleitorais no Brasil. Eles consideram ilegítimo que seu adversário vença a eleição e acham que isso só será possível com um… golpe. Infelizmente, até a presidente Dilma — também candidata Dilma — empregou essa palavra. Se vem ou não a tal “bomba”, não sei. O simples fato de o boato circular nos bastidores já é um troço asqueroso. Em si, já se trata de ação terrorista.

Independentemente de afinidades eletivas e de escolhas, espero que as pessoas responsáveis saibam repelir esse tipo de comportamento. E, claro!, é importante que a campanha de Aécio esteja preparada para golpes muito abaixo da linha da cintura. Que os eleitores sejam advertidos, se for o caso, para o risco de atentados terroristas, como fazem os governos diante da iminência de um ataque. Nunca vi nada parecido. Nunca vi tanto ódio sendo destilado. Nunca vi tanta gente desesperada com a possibilidade de perder uma boquinha. Sim, meus caros, algo bem mais sonante do que valores ideológicos move os terroristas.

Confrontos políticos os mais duros fazem parte do jogo; o terrorismo não!

O desespero, reitero, é inédito. Talvez haja um quê de ideologia… Mas o que apavora mesmo é o medo de perder a boquinha, não é mesmo? Vai que essa gente seja obrigada a trabalhar… Se forem obrigados a fazê-lo, ainda acabam criando um partido de trabalhadores!

Fonte: www.veja.com.br

Garibaldi participa de carreata ao lado de Sandra e Larissa

Deputadas comandam mobilização com presença do ministro da Previdência Social na cidade de Mossoró

Garibaldi, Sandra e Larissa em carreata no Aeroporto – Fotos: iPad Skarlack

A última parte da agenda do ministro Garibaldi Filho (PMDB), nesta manhã de quinta-feira, 16, em Mossoró, é uma carreata iniciada no bairro Aeroporto.

A mobilização iniciada às 8h, na Cobal, teve ainda uma escala na Rádio Difusora AM, quando Garibaldi Filho concedeu entrevista ao apresentador J. Nobre e aos diretores da emissora, Paulo Afonso Linhares e Emerson Linhares.

Garibaldi Filho cumprirá agenda em Mossoró até o próximo sábado.

 

PT e seus braços na imprensa tentam fazer com o juiz Sérgio Moro o mesmo que fizeram com Joaquim Barbosa

Coluna da Veja.com.br bate nos “ladravazes e vagabundos” sem pena nem dó 

Por: Reinaldo Azevedo

Espero que Deus me fulmine antes com um raio, daqueles que eram muito comuns no Velho Testamento — sem chance para apelo a instância inferior (já que se tratava de uma decisão do Supremo) —, se, algum dia, eu me sentir tentado a censurar um juiz por ter cumprido a sua função só para proteger um partido da minha predileção.

A que me refiro? Leio colunistas isentos como militantes do Talibã a condenar o juiz Sérgio Moro por ter autorizado a divulgação do depoimento de Paulo Roberto Costa, que não estava protegido pelo sigilo de justiça. Um desses colunistas chega a afirmar que o Moro poderia ter esperado mais três semanas. A afirmação é explícita, é arreganhada: o sujeito acha que a ignorância do que lá foi dito faria bem ao brasileiro. Desligadas as urnas, então o eleitor ficaria sabendo: “Ah, então, dos 3% da propina, 2% iam para o PT? Que bom que ninguém me avisou antes!”.

O mesmo senhor vetusto que afirma essa barbaridade babava de satisfação com os vazamentos sobre o suposto cartel de trens em São Paulo, que vinham do Cade — cuja investigação, esta sim, estava e está protegida por sigilo. Que tipo de gente é essa que cobra que se omita dos brasileiros o conteúdo de uma investigação aberta, pública, e que se regozija com a divulgação ilegal de informações? Eu respondo: é uma gente que pretende que petistas e, no geral, esquerdistas estejam acima da moralidade comum e mereçam um tipo especial de proteção.

Sempre que leio um troço asqueroso assim, como aconteceu há pouco, fico com vergonha em lugar da pessoa. Sobretudo porque o sujeito serviria para ser meu pai. Coloco-me no lugar do suposto filho e fico com vergonha. Graças a Deus, o Rubão nunca me fez passar por isso. Quem era o Rubão? Ora, o meu pai, que jamais justificaria a ação de ladravazes e vagabundos só porque fossem seus amigos ideológicos. Até porque não era amigo nem de ladravazes nem de vagabundos. Ganhava a vida trocando molas de caminhão, como operário. Em vez de culpar os outros por isso e por aquilo, ele preferiu me passar uma orientação: “Estude!”.

Daqui a pouco, tentarão mandar o juiz Sérgio Moro para a guilhotina moral, como fizeram com Joaquim Barbosa. Não que ambos sejam iguais ou operem com os mesmos critérios. Nada disso! A única coisa que os une é tomar decisões que estão em desacordo com o partido oficial e com seus porta-vozes oficiosos na imprensa. Para essa gente, uma verdadeira indústria criminosa que estava em ação tem de ser omitida para que ela não contamine a decisão do eleitor. Que caráter tem uma pessoa que defende que a ignorância faz bem à democracia?

É uma gente literalmente nojenta.

Fonte: www.veja.com.br

“Não tem sapato alto nesse palanque porque aqui é de sandália havaiana ou de pé no chão”, diz Robinson

Candidato ao Governo pelo PSD comenta resultado de pesquisa Ibope 

São Paulo do Potengi1 15.10.14

Em São Paulo do Potengi, após saber dos números da pesquisa Ibope que o colocam sete pontos percentuais à frente do adversário na disputa do segundo turno, o candidato ao Governo do Estado, Robinson Faria (PSD), afirmou que não vai reduzir o ritmo de campanha, nem agir como se a vitória estivesse garantida. “Sapato alto aqui nesse palanque não tem. É de sandália havaiana ou de pé no chão. Vamos manter a luta, não vamos baixar a guarda, não vamos perder um minuto de trabalho”, discursou Robinson.

Com a senadora eleita Fátima Bezerra (PT) e o prefeito do município Naldinho, Robinson disse que muito da sua garra e resistência se deve ao fato de terem acreditado que ele não teria coragem de enfrentar um candidato com tantos apoios. “O adversário achava que não ia ter alguém que topasse a parada de enfrentar o acordão. Mas apareceu não um homem arrogante e sim um homem corajoso. Essa coragem Deus me deu e é com essa coragem que formamos esse palanque e demos a oportunidade a vocês de terem uma eleição democrática. Esse é o palanque da liberdade que conquistou o povo do Rio Grande do Norte”, afirmou.

Em seu discurso, a senadora eleita Fátima Bezerra disse que o povo deu uma lição de coragem e de ousadia ao elegê-la e mandar a eleição para o segundo turno. “O povo está tendo a oportunidade de aprofundar o debate e ter mais segurança para fazer a escolha. E hoje em São Paulo do Potengi estamos comemorando a primeira pesquisa do segundo turno que coloca Robinson rumo à vitória”, disse.

© 2014 Microsoft Termos Privacidade e cookies Desenvolvedores Português (Brasil)

Ministro Garibaldi Filho inicia caminhada no bairro Aeroporto

Ministro continua agenda com caminhada no bairro Aeroporto 

O ministro Garibaldi Filho inicia caminhada no bairro Aeroporto ao lado das deputadas Sandra e Larissa Rosado e da vereadora Izabel Montenegro.

Ministro Garibaldi Filho participa de entrevista na rádio Difusora

Ministro participa de entrevista ao lado das deputadas Sandra Rosado e Larissa Rosado e da vereadora Izabel Montegro

O ministro da Previdência, Garibaldi Filho, concede entrevista ao programa J. Nobre na rádio Difusora de Mossoró e conversa com os diretores da emissora, Paulo Afonso Linhares e Emenrson Linhares.

Garibaldi Filho inicia agenda em Mossoró

Ministro visita o mercado da Cobal ao lado da deputada estadual Larissa Rosado 

Garibaldi e Larissa conversam com comerciantes na Cobal – Foto: Assessoria

O ministro da Previdência, Garibaldi Filho (PMDB) começa a cumprir agenda política em Mossoró.

Ao lado da deputada estadual, Larissa Rosado (PSD) Garibaldi visita a Cobal.

Mais detalhes, em instantes.

Chico da Prefeitura reforça campanhas de Robinson e Dilma em Mossoró

Primeira dama Amélia Ciarlini comanda mobilização ao lado do ex-deputado Francisco José 

DSC_0078

DSC_0018 DSC_0074

A primeira dama de Mossoró, Amélia Ciarlini e o ex-deputado Francisco José, comandaram a mobilização da liberdade nesta quarta-feira, 15, na casa do ex-vereador Chico da Prefeitura. A população do bairro Barrocas se organizou para vibrar com a militância o resultado da pesquisa Ibope que coloca Robinson Faria oito pontos na frente de seu adversário neste segundo turno. De acordo com a sondagem divulgada ontem pela InterTV Cabugi, Robinson tem 54% e Henrique 46% dos votos válidos.

Para Amélia Ciarlini, esta era a certeza que o povo do Rio Grande do Norte queria ver para confirmar que Robinson será o próximo governador do Estado. “Estamos na frente para o governo e pode esperar porque na próxima pesquisa Dilma também vai estar na frente”, garantiu a primeira dama, para vibração dos eleitores.

Chico da Prefeitura reforçou a importância do voto casado e lembrou a importância para eleger Robinson e Dilma para ajudar o prefeito Francisco José Júnior a continuar mudando os rumos de Mossoró. “A história agora é outra, Mossoró vive um novo momento e essa luta não pode parar. Preciso, de novo, do apoio dos amigos para elegermos Robinson e Dilma pelo bem do Rio Grande do Norte e do Brasil”, completou.

Tudo igual no Datafolha. E por que isso é especialmente bom para Aécio

Confira opinião de blogueiro da Veja

Por: Reinaldo Azevedo

Nada mudou na pesquisa Datafolha. Tudo segue como na semana passada, mas a situação melhorou para o tucano Aécio Neves, já digo por quê. Segundo o instituto, se a eleição fosse hoje, ele teria 51% dos votos válidos, contra os mesmos 49% dela. Brancos e nulos somam 6%, mesmo percentual dos que dizem que não votarão em ninguém. Considerado o conjunto dos votos, o tucano variou de 46% para 45% na semana passada, e a petista, de 44% para 43% — ambos oscilaram 1 ponto para baixo, dentro da margem de erro, que é de 2 pontos para mais ou para menos. O Datafolha ouviu 9.081 eleitores em 366 municípios. O nível de confiança do levantamento é 95% (em 100 pesquisas com a mesma metodologia, os resultados estarão dentro da margem de erro em 95 ocasiões). O registro do estudo no TSE (Tribunal Superior Eleitoral) é BR 01098/2014. Daqui a pouco, o Jornal Nacional divulga os números do Ibope. Duvido que sejam diferentes disso.

Alguns dados da pesquisa indicam que ele leva uma ligeira vantagem nos dados, digamos, laterais. O índice dos que dizem que votarão com certeza em cada um dos candidatos é o mesmo: 42%. Ocorre que 18% dizem que podem votar em Aécio, contra 15% que afirmam o mesmo sobre Dilma. A rejeição a ela é ligeiramente maior do que a dele: 42% a 38%. Sim, tudo está na margem de erro, mas é muito provável que a situação seja favorável ao tucano.

Muito bem: por que afirmo que Aécio está melhor hoje do que na semana passada? Porque, até agora, ele não havia apanhado tanto no horário eleitoral gratuito. Como o PT havia se ocupado em desconstruir Marina Silva, ele havia ficado um pouco de lado. Agora, o alvo da campanha suja é ele — e põe campanha suja nisso! O levantamento foi feito nestas terça e quarta e, portanto, já sob o impacto, tendo havido algum, do debate havido na Band.

O PT já investiu contra FHC, já investiu contra o governo de Minas, já tentou provocar uma guerra do Nordeste contra o Sudeste… Até agora, sem efeito nenhum.

Outro elemento pode contar em favor do tucano, mas aí não se trata de ciência, de lógica, de nada, apenas de fatos informados pela história, que podem ou não se repetir: petistas têm sempre menos votos do que lhes conferem as pesquisas, e tucanos, sempre mais. Por que tem sido assim? Por causa da patrulha que os “companheiros” exercem na rua, na chuva, na fazenda, numa casinha de sapé ou nas redes sociais. Por incrível que pareça, existe um voto antipetista que tem medo de dizer seu nome.

Audiência termina sem acordo e Nogueirão continua penhorado

O estádio Leonardo Nogueira continuará penhorado pela Justiça do Trabalho, pelo menos, até o próximo dia 25 de novembro.


Nessa data ocorrerá uma nova audiência entre os representantes da Liga Desportiva Mossoroense e um ex-empregado da entidade, com a participação da Prefeitura de Mossoró.
Esse foi o resultado da audiência de conciliação presidida pelo juiz Vladimir Paes de Castro, nesta quarta-feira (15), na 3ª Vara do Trabalho de Mossoró, para tentar garantir o pagamento de uma dívida trabalhista de R$ 172.841,62.
A expectativa, entretanto, era de que a Liga fizesse uma proposta de conciliação para justificar a retirada do estádio Nogueirão do último leilão realizado pelo Tribunal Regional do Trabalho da 21ª Região (TRT-RN), no final de setembro.
Quitação
E Francisco Braz, que se apresentou como representante da Liga, propôs a quitação da dívida com o pagamento de 20 parcelas de R$ 5 mil e mais 15 parcelas de R$ 7 mil.
O trabalhador não aceitou a proposta e apresentou uma contraproposta que o representante da Liga Desportiva ofereça “proposta razoável” e inclua outros dois processos trabalhistas na negociação, com dívidas em torno de R$ 50 mil cada um.
Durante a audiência, os representantes do município fizeram juntada da escritura pública de doação do terreno onde o estádio funciona.
Diante do impasse, o juiz Vladimir Paes de Castro marcou uma nova audiência para novembro. Enquanto isso, o estádio continua penhorado.
Com informações da Justiça do Trabalho.