No ar: Programa Só Cristo Salva

Neste domingo, das 13h às 15h, na Rádio Difusora de Mossoró-RN

mick e sky

Carlos Skarlack e Michele Fonseca no estúdio da Rádio Difusora de Mossoró-RN

O programa Só Cristo Salva, na rádio Difusora de Mossoró-RN – AM 1.170khz, no ar, das 13h às às 15h, neste domingo, 9.

Com “este que vos fala” e Michele Fonseca.

Acesse via www.difusoramossoro.com.br.

Aécio Neves: ‘Para a direita não adianta me empurrar que eu não vou’

Aécio diz que vai ser oposição vigilante e fiscalizadora para que os escândalos não sejam “varridos para debaixo do tapete – O Globo / Pablo Jacob

Por Maria Lima, Lydia Medeiros e Silvia Fonseca

RIO – Aécio Neves chega caminhando sozinho pela rua. Vem do pediatra e entra na casa do amigo onde daria entrevista, em Ipanema, contando que os filhos gêmeos, nascidos prematuros, engordaram. Diz que depois de olhar tanto no olho da adversária que o derrotou na campanha mais acirrada da História não abdicará de seu papel de fazer oposição. Admite erros. Mas diz que, pela primeira vez, o PT enfrentará uma “oposição conectada com a sociedade, e isso os assusta”.

Como o senhor viu a entrevista da presidente Dilma, que chamou de lorota o corte de ministérios e de ideia maluca sua proposta de choque de gestão?

A candidata Dilma estaria muito envergonhada da presidente Dilma. Para a candidata, aumentar juros era tirar comida da mesa dos pobres. Três dias depois da eleição, o BC aumentou os juros. Para a candidata, não havia inflação. A presidente agora admite que há e que é preciso controlá-la. A candidata dizia que as contas públicas estavam em ordem, e descobrimos que tivemos um setembro com o pior resultado da história. A candidata dizia que cumpriria o superávit fiscal, e agora se prepara para pedir a revisão da meta de 1,9%. Estamos assistindo ao maior estelionato eleitoral da História. O choque de gestão, que incomoda tanto o PT, nada mais é do que gastar menos com o Estado e mais com as políticas fins. É o contrário do que o PT pratica. O próximo mandato, que se inicia, já começa envelhecido. A presidente não se acha no dever de sequer sinalizar como será a política econômica. E é curioso vermos a presidente correndo desesperada atrás de um banqueiro para a Fazenda. Eu hoje chego na minha casa, coloco a cabeça no travesseiro e durmo com a consciência muito tranquila. Fiz uma campanha falando a verdade, não fugi dos temas áridos, sinalizei na direção da política econômica que achava correta. Não sei se a candidata eleita pode fazer o mesmo.

A oposição também não está envelhecida?

A oposição sai extremamente revigorada da eleição. A campanha teve duas marcas muito fortes. A primeira, protagonizada pelo PT e pela candidata que venceu: a utilização sem limites da máquina pública, do terrorismo eleitoral, aterrorizando beneficiários do Bolsa Família, do Minha Casa Minha Vida. Inúmeras regiões ouviram durante meses, isso sim uma grande lorota, que, se o 45 ganhasse, seriam desfiliados dos programas. Infelizmente, essa é uma marca perversa. Mas há uma outra, extraordinária, que é um combustível para construir essa nova oposição. O Brasil acordou, foi às ruas. Minha candidatura passou a ser um movimento. Nosso e desafio é manter vivo esse sentimento de mudança, por ética.

Como atuar de forma diferente?

Pela primeira vez, o PT governará com uma oposição conectada com a sociedade. O sentimento pós-eleição foi quase como se tivéssemos ganhado. E os primeiros movimentos da presidente são de desperdiçar a oportunidade de renovar, de admitir equívocos, mudar rumos. Ela começa com o mesmo roteiro: reúne partidos para discutir um projeto de reforma política ou uma agenda de crescimento? Não! Reúnem-se em torno da divisão de ministérios, de nacos de poder. As pessoas não se sentam para ouvir da presidente: “Quero o apoio para um grande projeto de país.” Era o que eu faria. A grande pergunta dos brasileiros será: para que novo mandato se não há projeto novo de país? Para continuar distribuindo cargos e espaço de poder para as pessoas fazerem negócios? A presidente corre o risco de começar o mandato com sentimento de fim de festa.

O PSDB fará um “governo paralelo”?

Vamos constituir dez grupos, de dez áreas específicas, para acompanhar as ações do governo. Comparar compromissos de campanha com o que acontece em cada área. Queremos subsidiar nossos companheiros, lideranças da sociedade, vereadores, governadores, parlamentares.

Isso não reforça o discurso de que vocês precisam desmontar o palanque?

Chega a ser risível ouvir o PT falar que é hora de descer do palanque. O PT, sempre que perdeu, nunca desceu. E quando venceu também não desceu. E quem paga a conta são os brasileiros. Cumprimentei a presidente pela vitória. Agora vou cumprir o papel que me foi determinado por praticamente metade da população. Vamos ser oposição vigilante, fiscalizadora, e não vamos deixar que varram para debaixo do tapete, como querem fazer, esses gravíssimos escândalos que estão aí.

Mas não houve acordo na CPI da Petrobras para blindar políticos, com apoio do PSDB?

Quero dizer de forma peremptória e definitiva: vamos às últimas consequências nessas investigações, não importa a quem atinjam. Até pelo nível de insegurança de setores da base do governo, o que pode estar vindo por aí é algo muito, mas muito grave. Não depende mais apenas da ação do Congresso ou da Justiça no país, porque essa organização criminosa que, segundo a PF, se institucionalizou na Petrobras, tem ramificações fora do Brasil. E outros países estão agindo. Nosso papel é não permitir, do ponto de vista político, tentativas de limitação das investigações. Se alguém pensou em algum acordo, e no caso do deputado Carlos Sampaio ele foi ingenuamente levado a isso, será corrigido.

A desconstrução marcou a campanha. Como enfrentar isso em 2018?

O marketing petista deseduca a população porque não permite o debate. Será que vai dar certo sempre? Queremos transformar o Bolsa Família em política de Estado para que saia dessa perversa agenda eleitoral. Apresentamos o projeto, e agora ficou claro porque o PT votou contra. O PT prefere ter um programa para manipular as vésperas das eleições, como se fosse uma bondade. Há uma manipulação vergonhosa de instituições como Ipea e IBGE. A presidente usou o marketing de que tinha tirado não sei quantos milhões da miséria já sabendo que a miséria aumentara. Mais um estelionato. Setembro foi o pior mês do século em geração de emprego. Há 20 milhões de jovens sem ensino fundamental e médio. Nossa educação, comparativamente a nossos vizinhos, é péssima. E o governo acha que política social é o Bolsa Família. Não. Tem que ser saúde, educação de qualidade e geração de emprego para incorporar essas pessoas ao mercado formal.

Como o PSDB se manterá unido com uma disputa interna que se anuncia para 2018?

Antecipar uma divisão no PSDB hoje é uma bobagem. Não tenho obsessão em ser candidato a presidente. O que há hoje é um PSDB, ao lado de outras forças, conectado a setores da sociedade com os quais não estávamos vinculados. Esse é o grande fato novo. Lá na frente, o candidato será aquele que tiver melhores condições de vencer.

Há uma nova direita indo às ruas e pedindo a volta dos militares. Como fazer com que o PSDB não se confunda com esse movimento?

Com nosso DNA. Sou filho da democracia. O que houve foi a utilização de movimentos da sociedade por uma minoria nostálgica que nada tem a ver conosco e com nossa história. A agenda conservadora, antidemocrática, totalitária, é a do PT. Esse documento do PT, lançado depois das eleições, é muito grave. Fala no cerceamento da liberdade da imprensa, de um projeto hegemônico de país, sem alternância de poder. Fala de uma democracia direta que, de alguma forma, suplantaria ou diminuiria a participação do Congresso na definição das políticas públicas. Teve um momento na campanha do meu avô Tancredo, em 1984, que pregaram uns cartazes em Brasília com o símbolo do comunismo. Era um movimento da direita mais radical para dizer que ele era comunista. Tancredo disse: “Olha, para a esquerda não adianta me empurrar que eu não vou.” Ele era um homem de centro. E, agora, eu digo: “Para a direita não adianta me empurrar que eu não vou”.

E os erros na campanha? Faltou conexão com minorias, movimentos de base?

Faltaram poucos votos que não conseguimos por falta de estrutura. Nas eleições municipais teremos candidatos com capilaridade em segmentos muito mais amplos. Em dezembro, reuniremos a Executiva com esse foco. Faremos ampla campanha, uma semana de filiação no Brasil. Com gente nas ruas, sindicatos, universidades. Estarei em Maceió, numa grande teleconferência, para sinalizar que o Nordeste sempre será prioridade para o PSDB. As pessoas estão procurando saber como participar, como se filiar. Isso nunca acontecera. Voltamos a ser depositários da confiança de parcela importante da sociedade que nunca fez política e está querendo fazer.

Quais foram os erros em Minas? É consenso que o senhor perdeu porque foi derrotado lá.

Ainda estou tentando entender. Meus adversários tiveram ação organizada muito forte nas regiões mais pobres de Minas. Temos imagens de deputados com megafones dizendo: “Aécio vai acabar com o Bolsa Família”. Os Correios não levavam nosso material, e não estávamos atentos. Houve talvez certa negligência do nosso pessoal. E nossa candidatura estadual também não foi bem. No segundo turno, a força do governador eleito acabou sendo um contraponto forte. Ninguém é invencível. Eu não sou infalível. É do jogo político. Souberam ser mais competentes do que nós. A responsabilidade é minha mesmo. Vamos recuperar esse espaço. Lançar candidato a prefeito em Belo Horizonte, onde ganhamos por 60% a 30%, e em todas a grandes cidades.

E a derrota no Rio?

Eu ter tido 45% dos votos no Rio foi um ato de heroísmo. Os dois candidatos do segundo turno estavam com Dilma. E ainda espalharam jornais apócrifos me colocando como inimigo do Rio.

A aliança de oposição será mantida?

É bom que a oposição tenha várias caras. É um erro estratégico, além de gesto de absoluta arrogância, achar que sou o líder das oposições. Não sou. Somos um conjunto de pessoas credenciadas para falar em nome de uma parcela importante da população. Sou cioso da autonomia do Congresso. Mas gostaria de ver alguma forma essa aliança reeditada na eleição para a presidência da Câmara. Quem sabe num gesto em direção do PSB. A mim agradaria, mas é uma decisão que será tomada com absoluta autonomia pelos deputados.

O senhor sempre repete a frase de Tancredo que ser presidente, mais do que projeto, é destino. Ainda concorda?

Não é obsessão, como jamais foi. Sou hoje um homem de bem com a vida, conheci um Brasil novo, vibrante, com esperança. Não é frase de efeito. Vi coisas de emocionar. Gente que via esperança em mim. E isso é muito sério.

Read more: http://oglobo.globo.com/brasil/aecio-neves-para-direita-nao-adianta-me-empurrar-que-eu-nao-vou-14512157#ixzz3IaIplYyn

Lição de vida

Escrito por Dorgival Dantas 
Foi muito bom ter imaginado onde queria chegar. E maravilhoso chegar onde imaginei. DEUS criou um plano perfeito para minha vida, assim como criou um para você. Tudo que deu certo agradeço a ele, já as coisas que não deram muito certo, culpo apenas a mim, poderia com certeza ter feito melhor. Não posso culpar ninguém e muito menos DEUS por MINHAS FALHAS. Tudo muito interessante até agora, só tenho a agradecer a todos que tanto tem me ajudado. Não sei se amanhã continuara sendo assim, apenas sei, que continuarei dando meu melhor, não só como profissional mas, também como ser humano. Não lembro nada de bom que eu tenha conseguido através de raivas, muito pelo contrário, por isso, a algum tempo resolvi excluir essa palavra do meu dicionário e da minha vida. Incrível como fiz a coisa certa, só me trouxe felicidade, faça essa experiência e vai me agradecer depois. Não permita que ninguém consiga te fazer raiva, nem ligue para humilhações, veja tudo como presentes, não receba, deixe com quem quiser te presentear. A paciência foi uma das coisas que mais me ajudou, meus gritos mais altos, dei fazendo silêncio. Procuro usar bem os olhos e os ouvidos, fazer menos uso da boca, confiar mais no escudo que na espada e assim vou vivendo sem reclamar tanto. Não posso exigir que ninguém faça por mim quando eu precisar, posso a penas fazer tudo que estiver ao meu alcance quando alguém precisar de mim. Espero que saiba onde quer chegar, confie em DEUS e faça a sua parte. Boa sorte e até breve.
*Dorgival Dantas é cantor e compositor 

Censo de servidores da Câmara Municipal se encerra nesta segunda-feira

Francisco Carlos anuncia que o prazo do Censo não será prorrogado
Vereador Francisco Carlos (1)
Termina nesta segunda-feira, 10, o prazo para os servidores efetivos, comissionados, assessores parlamentares e vereadores da Câmara Municipal de Mossoró preencher o censo dos servidores do Poder Legislativo. De acordo com o presidente da Câmara, vereador Francisco Carlos, o prazo não será prorrogado.

O censo é uma recomendação dos órgãos de controle e possibilita ao gestor informações necessárias para orientar decisões administrativas de ordem técnica e financeira. Segundo Francisco Carlos, o censo é uma importante ferramenta para a transparência administrativa. “Através do censo é possível garantir que os serviços estejam sendo prestados pelas pessoas designadas para tal função, possibilitando eventuais correções na administração pública”, afirmou o presidente.

Para o preenchimento do censo, o servidor deve apresentar documentação pessoal e anexar a cópia da última declaração de imposto de renda.

Coluna Só Cristo Salva

Da Gazeta do Oeste

Confira um resumo da coluna Só Cristo Salva, no jornal Gazeta do Oeste, deste sábado 8, com Michele Fonseca.

Só Cristo Salva!

Bom domingo

Reflexão do dia:

Bem-aventurado o homem que não anda segundo o conselho dos ímpios, nem se detém no caminho dos pecadores, nem se assenta na roda dos escarnecedores.
Antes tem o seu prazer na lei do Senhor, e na sua lei medita de dia e de noite.
Pois será como a árvore plantada junto a ribeiros de águas, a qual dá o seu fruto no seu tempo; as suas folhas não cairão, e tudo quanto fizer prosperará.
¶ Não são assim os ímpios; mas são como a moinha que o vento espalha.
Por isso os ímpios não subsistirão no juízo, nem os pecadores na congregação dos justos.
Porque o Senhor conhece o caminho dos justos; porém o caminho dos ímpios perecerá.

Salmos 1:1-6

Robinson Faria convida Sílvio Santos para posse em Natal

Governador eleito participa do Teleton, apresentado ao vivo, por Sílvio Santos, no SBT

Governador eleito, Robinson Faria, é destaque no programa Teleton, apresentado por Sílvio Santos, no SBT

O governador eleito do Rio Grande do Norte, Robinson Faria (PSD), convidou o empresário e apresentador, Sílvio Santos, para participar de sua posse, no dia 1º de janeiro de 2015, em Natal.

A revelação foi feita pelo próprio Sílvio Santos, às 23h, durante apresentação do programa Teleton, promoção social do SBT, que arrecada recursos para investir em instituições em várias partes do Brasil.

O Teleton é apresentado ao vivo, pelo SBT, e Sílvio Santos assumiu por volta das 22h.

Ao convidar sua filha, Patrícia Abravanel, Sílvio pediu apresentou sua família.

E na plateia, Robinson Faria, estava ao lado do filho, deputado federal reeleito, Fábio Faria (PSD), que é marido de Patrícia Abravanel.

Inicialmente, Patrícia aproveitou para falar do filho dela e de Fábio, destacando que “o menino é importante, pois é neto de Sílvio Santos, o outro avô é governador, o pai deputado federal”.

Momento depois, ao voltar a citar Fábio Faria, Sílvio Santo chegou a considerar que Robinson Faria é mais bonito que Fábio Faria.

E, em seguida, revelou que teria sido convidado, pelo governador eleito, a participar de sua posse, em Natal.

Na oportunidade, Patrícia Abravanel ofereceu a roupa que o filho Pedro, usou quando saiu da maternidade para ser leiloada por telespectadores do SBT.

 

 

De volta ao batente

Estou de volta pra casa

Olá, boa noite!

Como diria Lulu Santos: ‘Estou voltando pra casa…”

Depois de cinco dias fora do ar – aqui -, o titular está de volta.

E, em primeiro lugar,quero agradecer a Deus pelos dias de bençãos na ESLAVE – Escola de Líderes Vitória em Cristo -, comandada pelo pastor Silas Malafaia, em Fortaleza (CE).

E ao competente trabalho realizado pela interina, a jornalista Karla Viegas, que comandou o blog deste terça-feira, 4.

Com uma interina competente, assim, já vou planejar as férias de final de ano.

Valeu, Viegas.

Deus vai continuar lhe abençoando.

Ao trabalho!

 

Enem 2014: Candidata de 32 anos morre em escola onde faria a prova, em Olinda (PE)

Edvania Florindo, que sofreu um edema agudo pulmonar, tinha uma filha de 4 anos. Pelo Twitter, Dilma lamentou morte

O corpo de Edvania Florinda de Assis, de 32 anos, é levado por socorristas. Ela teve AVC fatal. Rodrigo Carvalho / JC Imagem / Agência O Globo – Terceiro / Agência O Globo

RECIFE – Uma candidata do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) morreu no Colégio Santa Emília, no bairro do Jardim Atlântico, em Olinda (PE), onde faria a prova neste sábado. Segundo o Instituto Médico Legal (IML), a comerciante Edvania Florinda de Assis, de 32 anos, sofreu um edema agudo pulmonar. Ela chegou a ser atendida pela equipe do Serviço de Atendimento Móvel de Emergência (Samu), mas não resistiu e faleceu no local, por insuficiência respiratória. À noite, a presidente Dilma Rousseff lamentou a morte pelo Twitter.

De acordo com funcionários que trabalham na entrada da escola, Edvania foi, primeiramente, a uma outra unidade do Colégio Santa Emília, a cerca de 1km de distância, no mesmo bairro do Jardim Atlântico. Quando percebeu que estava no prédio errado, correu para o endereço certo. Ela atravessou os portões de entrada quatro minutos antes do seu fechamento, mas desmaiou em seguida. Acordou pouco depois, mas logo desmaiou de novo. Edvania foi socorrida pela enfermeira do local e pela equipe do Samu, que não puderam salvá-la.

Irmão de Edvania, o operador de máquias Abdias Domingos Gomes, de 42 anos, contou que ela estudava Nutrição no Centro Universitário Maurício de Nassau (Unissau). Ela pretendia fazer para entrar na Faculdade de Nutrição da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE).

– Ela tinha muita esperança. Estava em busca de um sonho e aconteceu a tragédia. A gente não sabe nem explicar – desabafou Gomes, segundo quem a irmã jamais se queixara de dor ou problemas respiratórios.

Edvania estava acompanhada do sobrinho e do marido, Ginaldo Antonio de Araújo, com quem tinha uma filha de 4 anos de idade. Ginaldo, que também é comerciante, contou que eles estavam juntos há seis anos.

Pelo Twitter, a presidente Dilma lamentou: “Presto minha solidariedade à família e aos amigos da candidata Edivana de Assis, cuja morte ocorreu qdo se preparava p/ as provas em Olinda”.

O Instituto Nacional de Estudos Educacionais Anísio Teixeira (Inep) também divulgou uma nota.

“O Instituto Nacional de Estudos Educacionais Anísio Teixeira (Inep) lamenta profundamente a morte da participante do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) de 2014 Edivania Florinda de Assis, ocorrida neste sábado, 8, em Olinda, no Colégio Santa Emília, onde faria as provas. Nesta oportunidade, o Inep se solidariza com a sua família.”

Fonte: Globo.com

Enem tem 65 eliminados por uso indevido de celular

Número é superior ao de excluídos em 2013

A aplicação das provas do primeiro dia do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) de 2014 transcorreu “dentro da normalidade nos 1.752 municípios”, na avaliação do Ministério da Educação (MEC), embora 65 inscritos tenham sido eliminados por uso indevido de telefones celulares. O número já ultrapassa os 47 candidatos que foram excluídos do Enem no ano passado.

De acordo com a nota, o MEC, o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) e parceiros institucionais monitoraram pelas redes sociais as postagens relacionadas ao Enem.

O comunicado diz ainda que o ministro da Educação, Henrique Paim, lamentou profundamente o falecimento da participante Edivania Florinda de Assis na escola em que realizaria a prova, em Olinda (PE), e transmitiu a sua solidariedade aos parentes da candidata. Paim também agradeceu a todos os parceiros e desejou uma boa prova aos estudantes que vão participar do exame amanhã (9).

Neste domingo serão aplicadas as provas de linguagens, códigos e suas tecnologias, redação e matemática e suas tecnologias. Os participantes terão 5 horas e 30 minutos para resolver as questões e escrever a redação.

Os portões serão abertos às 12h e serão fechados às 13h, no horário de Brasília. Os participantes devem levar documento de identificação original com foto, cartão de confirmação da inscrição e caneta esferográfica preta em material transparente.

Além de servir como meio de ingresso a instituições federais de educação superior, a nota do Enem permite o acesso a políticas públicas como o Programa Universidade para Todos (ProUni), o Financiamento Estudantil (Fies), o Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego (Pronatec) e o Ciência sem Fronteiras.

Fonte: Terra