A apenas dois dias da eleição, veja as agendas dos candidatos ao Governo do RN:

Confira os últimos compromissos dos candidatos ao Governo do Estado do RN

Por: Thaisa Galvão
O candidato Henrique Alves (PMDB) visita a Ceasa às 9 horas e depois segue com a Caravana 15 para o conjunto Guarapes.
Às 11 horas Henrique faz caminhada no Cidade de Nata e a partir das 15 horas faz carreata em Parnamirim com concentração no Parque Aristófanes Fernandes.
Depois a Carreata do 15 passa por Macaíba e termina o dia com a carreata do prefeito Carlos Eduardo na Zona Norte.
O candidato Robinson Faria (PSD) leva a Caravana da Vitória a partir das 10 horas para os bairros de Nazaré, Bom Pastor e Dix Sept Rosado.
Às 15 horas começa a Caminhada das Mulheres Pró Dilma e Robinson com saída da Praça Gentil Ferreira, no Alecrim.
Assim como Henrique, Robinson também passará com sua carreata por Macaíba, onde concluirá a agenda do dia.
Detalhe: os candidatos não poderão fazer discursos e as mobilizações não podem ter pontos fixos, portanto, concentrações estão proibidas pela Justiça Eleitoral.

Aécio lidera com nove pontos de vantagem sobre Dilma

Pesquisa ISTOÉ/Sensus mostra que o candidato do PSDB chega á reta final da campanha com 54,6% das intenções de voto e a petista soma 45,4%

Pesquisa ISTOÉ/Sensus realizada a partir da terça-feira 21 reafirma a liderança de Aécio Neves (PSDB) sobre a petista Dilma Rousseff nos últimos dias da disputa pela sucessão presidencial. Segundo o levantamento que entrevistou 2 mil eleitores de 24 Estados, o tucano soma 54,6% dos votos válidos, contra 45,4% obtidos pela presidenta Dilma Rousseff. Uma diferença de 9,2 pontos percentuais, o que equivale a aproximadamente 12,8 milhões de votos. A pesquisa também constatou que a dois dias das eleições 11,9% do eleitorado ainda não decidiu em quem votar. “Como no primeiro turno, deverá haver uma grande movimentação do eleitor no próprio dia da votação”, afirma Ricardo Guedes, diretor do Instituto Sensus. Se for considerado o número total de votos, a pesquisa indica que Aécio conta com o apoio de 48,1% do eleitorado e a candidata do PT 40%.

14983235364_cd8a5e56b2_o.jpg

De acordo com Guedes, a pesquisa realizada em cinco regiões do País e em 136 municípios  revela que o índice de rejeição à candidatura de Dilma Rousseff se mantém bastante elevado para quem disputa. 44,2% dos eleitores afirmaram que não votariam na presidenta de forma alguma. A rejeição contra o tucano Aécio Neves é de 33,7%. Segundo o diretor do Sensus, a taxa de rejeição pode indicar a capacidade de crescimento de cada um dos candidatos. Quanto maior a rejeição, menor a possibilidade de crescimento. Outro indicador apurado pela pesquisa Istoé/Sensus diz respeito á votação espontânea, quando nenhum nome é apresentado para o entrevistado. Nessa situação, Aécio também está à frente de Dilma, embora a petista esteja ocupando a Presidência da República desde janeiro de 2011. O tucano é citado espontaneamente por 47,8% dos eleitores e a petista por 39,4%. 0,2% citaram outros nomes e 12,8% disseram estar indecisos ou dispostos a votar em branco.
Para conquistar os indecisos as duas campanhas apostam as últimas fichas nos principais colégios eleitorais do País: São Paulo, Minas e Rio de Janeiro. O objetivo do PSDB e ampliar a vantagem obtida em São Paulo no primeiro turno e procurar virar o jogo em Minas e no Rio. Em São Paulo, Aécio intensificou a campanha de rua, com a participação constante do governador reeleito, Geraldo Alckmin, e do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso. De acordo com as pesquisas realizadas pelo comando da campanha de Aécio, em Minas o tucano já estaria na frente de Dilma e a vantagem veio aumentando dia a dia na última semana. Processo semelhante ocorreu em Pernambuco, depois de Aécio receber o apoio explícito da família de Eduardo Campos e do governador eleito, Paulo Câmara. Os mesmos levantamentos indicam que no Rio de Janeiro a candidatura do senador mineiro vem crescendo, mas ainda não ultrapassou a presidenta. Para reverter esse quadro, Aécio aposta no apoio de lideranças locais, basicamente de Romário, senador eleito pelo PSB, que deverá acompanhá-lo nos últimos atos de campanha. Para consolidar a liderança, Aécio tem usado os últimos programas no horário eleitoral gratuito para apresentar-se ao eleitor como o candidato da mudança contra o PT. Isso porque, as pesquisas internas mostram a maior parte do eleitor brasileiro se manifesta com o desejo de tirar o partido do governo.
No comando petista, embora não haja um consenso sobre qual a melhor opção a ser colocada em prática nos dois últimos dias de campanha, a ordem inicial é a de continuar a apostar na estratégia de desconstrução do adversário. Nas duas últimas semanas, o que se constatou é que, ao invés de usar parlamentares eleitos para esse tipo de ação – como costumava fazer o partido em eleições passadas — os petistas escalaram suas principais lideranças para a missão, inclusive o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e a própria candidata. Os petistas apostam no problema da falta d’água para tirar votos de Aécio em São Paulo e numa maior presença de Dilma em Minas para procurar se manter á frente do tucano no Estado.
PESQUISA ISTOÉ/Sensus
Realização – Sensus
Registro na Justiça Eleitoral – BR-01166/2014
Entrevistas – 2.000, em cinco regiões, 24 estados e 136 municípios do País
Metodologia – Cotas para sexo, idade, escolaridade, renda e urbano e rural
Campo – De 21 a 24 de outubro
Margem de erro – +/- 2,2%
Confiança – 95%

 

POLÍTICA: Doleiro Yousseff promete entregar à Justiça números de contas secretas do PT em paraísos fiscais

O Planalto sabia de tudo

Por: Ricardo Noblat

Capa da Veja

Capa da edição deste final de semana da revista Veja – Imagem: Site da Veja

Os trechos mais quentes da reportagem de VEJA deste fim de semana sobre as confissões à Justiça do doleiro Alberto Youssef, um dos cabeças do esquema de corrupção na Petrobras:

• — O Planalto sabia de tudo!
— Mas quem no Planalto? — perguntou o delegado.
— Lula e Dilma — respondeu o doleiro.

• Na semana passada ele aumentou de cerca de trinta para cinquenta o número de políticos e autoridades que se valiam da corrupção na Petrobras para financiar suas campanhas eleitorais. Aos investigadores Youssef detalhou seu papel de caixa do esquema, sua rotina de visitas aos gabinetes poderosos no Executivo e no Legislativo para tratar, em bom português, das operações de lavagem de dinheiro sujo obtido em transações tenebrosas na estatal. Cabia a ele expatriar e trazer de volta o dinheiro quando os envolvidos precisassem.

• Entre as muitas outras histórias consideradas convincentes pelos investigadores e que ajudam a determinar a alta posição do doleiro no esquema — e, consequentemente, sua relevância pa­ra a investigação —, estão lembranças de discussões telefônicas entre Lula e Paulo Roberto Costa sobre a ampliação dos “serviços”, antes prestados apenas ao PP, também em benefício do PT e do PMDB.

• “O Vaccari está enterrado”, comentou um dos interrogadores, referindo-se ao que o do­leiro já narrou sobre sua parceria com o tesoureiro nacional do PT, João Vaccari Neto. O doleiro se comprometeu a mostrar documentos que comprovam pelo menos dois pagamentos a Vaccari. O dinheiro, desviado dos cofres da Petrobras, teria sido repassado a partir de transações simuladas entre clientes do banco clandestino de Youssef e uma empresa de fachada criada por Vaccari.

Doleiro entrega Dilma, Lula e mais um monte de políticos

• O doleiro preso disse que as provas desses e de outros pagamentos estão guardadas em um arquivo com mais de 10 000 notas fiscais que serão apresentadas por ele como evidências. Nesse tesouro do crime organizado, segundo Youssef, está a prova de uma das revelações mais extraordinárias prometidas por ele, sobre a qual já falou aos investigadores: o número das contas secretas do PT que ele operava em nome do partido em paraísos fiscais. Youssef se comprometeu a dar à PF a localização, o número e os valores das operações que teria feito por instrução da cúpula do PT.

• Youssef dirá que um integrante da ­coor­denação da campanha presidencial do PT que ele conhecia pelo nome de “Felipe” lhe telefonou para marcar um encontro pessoal e adiantou o assunto: repatriar 20 milhões de reais que seriam usados na cam­panha presidencial de Dilma Rousseff. Depois de verificar a origem do telefonema, Youssef marcou o encontro que nunca se concretizou por ele ter se tornado hóspede da Polícia Federal em Curitiba.

Fonte: www.blogdonoblat.com.br

Em vídeo, Neymar anuncia apoio à candidatura de Aécio Neves

Craque do Barcelona teve foto manipulada por assessoria de Dilma e resolve gravar vídeo declarando voto no candidato do PSDB

Depois de Neymar ter uma imagem manipulada em que aparecia segurando uma placa declarando apoio a Dilma Roussef – quando na verdade Neymar apenas escrevera uma mensgaem de aniversário para o filho –, o atacante capitão da seleção brasileira e artilheiro do Barcelona divulgou um vídeo na noite desta quinta-feira em que declara apoio ao candidato do PSDB à Presidência, Aécio Neves. O apoio de Neymar é mais um conquistado por Aécio no mundo do futebol. Além do craque do Barça, Romário, Bebeto e Ronaldo, entre outros, divulgaram apoio ao tucano.

Humoristas de Mossoró no SBT: sobrou para o governo Rosalba

No The Noite com Danilo Gentile grupo de humor de Mossoró detona a saúde pública do Rio Grande do Norte

Quarteto de humor de Mossoró transforma setor da saúde pública do RN em piada nacional através do programa de Danilo Gentili no SBT – Fotos: iPad Skarlack

Na brincadeira de um grupo de humor, de Mossoró, onde duas senhoras são destaque, em rede nacional, durante entrevista ao programa The Noite, de Danilo Gentili, no SBT, na madrugada desta sexta-feira, 24, sobrou para o governo Rosalba Ciarlini.

Uma das senhoras do quarteto que tem mais dois jovens, instada a fazer um comentário detonou o sistema de saúde pública no Rio Grande do Norte.

Nem foi precisa citar o nome da governadora Rosalba Ciarlini.

A senhora – humorista? – convidou uma moça da plateia e fez uma representação em que o scrip era a seleção de pessoas – ou falta de critério – na hora de se realizar cirurgias no Estado.

Piadinha que, com certeza, a governadora Rosalba não deve ter motivos para rir.

Sandra e Larissa comandam mobilização pró Henrique

Deputadas do PSB intensificam campanha de Henrique nos últimos dias do calendário eleitoral

IMG_4873 IMG_4871 IMG_4869
O início da noite desta quinta-feira, 23, as deputadas Larissa e Sandra Rosado caminharam nos bairros Doze Anos, Boa Vista, Lagoa do Mato, Carnaubal e Belo Horizonte levando o nome do deputado Henrique para governador do Estado.

As deputadas foram acompanhadas pelos vereadores Lucelio Guilherme e Vingt un Neto.

Para comentarista da Veja denúncia de doleiro é caso de “Impeachement” de Dilma

Confira a opinião de blogueiro do site da revista Veja sobre grave acusação de Yousseff contra Dilma e Lula

Por: Reinaldo Azevedo

DILMA E LULA SABIAM DA ROUBALHEIRA NA PETROBRAS, DIZ YOUSSEF. SE FOR VERDADE, É MATÉRIA DE IMPEACHMENT SE ELA FOR REELEITA. JÁ SERIA AGORA, MAS NÃO HÁ TEMPO

Aquilo que os petistas tanto temiam desde o começo aconteceu: a operação Lava Jato bateu em Luiz Inácio Lula da Silva, ex-presidente da República, e em Dilma Roussef, Eles sabiam da roubalheira vigente na Petrobras. É o que o doleiro Alberto Youssef assegurou à Polícia Federal e ao Ministério Público no curso do processo de delação premiada. Está na capa da VEJA, que começa a circular daqui a pouco. Eis a imagem. Volto em seguida.

CAPA VEJA SABIA DE TUDO

Eu poderia engatar aqui aquela máxima de Carlos Lacerda sobre Getúlio Vargas, só para excitar a imaginação de Lula, trocando a personagem. Ficaria assim: “A Sra. Dilma Rousseff não deve ser eleita. Eleita não deve tomar posse. Empossada, devemos recorrer à revolução para impedi-la de governar.”

Mas aqueles eram tempos em que as pessoas prezavam muito pouco as instituições, a exemplo de certos partidos que estão por aí. Eu não! Eu prezo a lei e a ordem. Eu prezo a Constituição do meu país. Eu prezo os Poderes constituídos.

Se as acusações de Youssef se confirmarem, é claro que Dilma Rousseff tem de ser impedida de governar caso venha a ser reeleita, mas em razão de um processo de impeachment, regulado pela Lei 1.079, que estabelece:

Art. 2º Os crimes definidos nesta lei, ainda quando simplesmente tentados, são passíveis da pena de perda do cargo, com inabilitação, até cinco anos, para o exercício de qualquer função pública, imposta pelo Senado Federal nos processos contra o Presidente da República ou Ministros de Estado, contra os Ministros do Supremo Tribunal Federal ou contra o Procurador Geral da República.

E o texto legal estabelece os crimes que resultam em perda de mandato. Entre eles, estão:
– atuar contra a guarda e o legal emprego dos dinheiros públicos;
– não tornar efetiva a responsabilidade dos seus subordinados, quando manifesta em delitos funcionais ou na prática de atos contrários à Constituição;
– proceder de modo incompatível com a dignidade, a honra e o decoro do cargo;

Se é como diz Youssef — e lembro que ele está sob delação premiada; logo, se mentir, pode se complicar muito — , pode-se afirmar, de saída, que Dilma cometeu, quando menos, essas três infrações, sem prejuízo de outras.

Trecho do diálogo de Youssef com o juiz:
— O Planalto sabia de tudo!
— Mas quem no Planalto?, perguntou o delegado.
— Lula e Dilma, respondeu o doleiro.

Se Dilma for reeleita e se for verdade o que diz o doleiro, DEVEMOS RECORRER ÀS LEIS DA DEMOCRACIA — não a revoluções e a golpes — para impedir que governe. Afinal, nós estamos em 2014, não em 1954.

Fonte: www.veja.com.br

Petrolão: Dilma e Lula sabiam de tudo, diz Alberto Youssef à PF

Em depoimento prestado na última terça-feira, o doleiro que atuava como banco clandestino do petrolão implica a presidente e seu antecessor no esquema de corrupção

Capa da Veja

 

Na última terça-feira, o doleiro Alberto Youssef entrou na sala de interrogatórios da Polícia Federal em Curitiba para prestar mais um depoimento em seu processo de delação premiada. Como faz desde o dia 29 de setembro, sentou-se ao lado de seu advogado, pôs os braços sobre a mesa, olhou para a câmera posicionada à sua frente e se colocou à disposição das autoridades para contar tudo o que fez, viu e ouviu enquanto comandou um esquema de lavagem de dinheiro suspeito de movimentar 10 bilhões de reais. A temporada na cadeia produziu mudanças profundas em Youssef. Encarcerado desde março, o doleiro está bem mais magro, tem o rosto pálido, o cabelo raspado e não cultiva mais a barba. O estado de espírito também é outro. Antes afeito às sombras e ao silêncio, Youssef mostra desassombro para denunciar, apontar e distribuir responsabilidades na camarilha que assaltou durante quase uma década os cofres da Petrobras. Com a autoridade de quem atuava como o banco clandestino do esquema, ele adicionou novos personagens à trama criminosa, que agora atinge o topo da República. Perguntado sobre o nível de comprometimento de autoridades no esquema de corrupção na Petrobras, o doleiro foi taxativo:

— O Planalto sabia de tudo!

— Mas quem no Planalto?, perguntou o delegado.

— Lula e Dilma, respondeu o doleiro.

Conheça, nesta edição de VEJA, os detalhes do depoimento que Alberto Youssef prestou às autoridades.

Para ler a continuação dessa reportagem compre, a partir desta sexta-feira, a edição de VEJA no IBA, no tablet ou nas bancas.

Debate da Inter TV Cabugi

Considerações finais de Robinson Faria e Henrique Alves no terceiro bloco

Robinson Faria

O candidato ao Governo do RN, Robinson Faria (PSD) diz que há dois meses era ignorado pela classe política. Diz que existe preconceito pois só se poderia ser candidato ao Governo quem fosse das famílias Alves ou Maia….declara que sua caminhada foi de coragem e resistência. E diz que se fosse depender da classe política não seria candidato nunca ao Governo do Estado. Afirma que deu uma oportunidade ao Estado de ter uma eleição com opções, em uma eleição que seria de um candidato só, por aclamação, com um candidato só. Diz que fez uma campanha bonita e que vai fazer um governo da cidadania e que terá a marcada da eficiência, privilegiando os técnicos. E que está livre para fazer um governo desarmado dos coronéis da política do Estado. Robinson declara que venceu a tudo e a todos.

Henrique Alves

Eu quero agradecer a você que está em casa, em um debate onde procurou apresentar propostas, projetos, e foi assim em minha caminhada que começou aos 21 anos, combatendo a ditadura, que defendeu às Diretas Já, a Constituinte e fazendo que cada município do Estado tivesse um representante em Brasília. E diz que fez isso defendendo os municípios e os governadores que se elegeram, com ou sem o seu apoio e de seu partido. Diz que sua vida é limpa, mas considera natural que na vida faça inimigos que de forma irresponsável em alguns momentos o acusam. Diz que o estado de Rosalba e Robinson está ingovernável. E conclama a se mudar isso, não com o vice-governador de Rosalba. Defendo mudanças se buscando parcerias. Diz que com essa honestidade e responsabilidade pede o voto dos eleitores do Rio Grande do Norte.

Às 23h19

Segundo Bloco do Debate da InterTV Cabugi

Os principais momentos do segundo bloco

O candidato Henrique Alves começa perguntando sobre corrupção. E pergunta sobre o tema.

Robinson Faria diz que em seu governo haverá a marca da inovação. E para inovar, para quebrar o quadro dos candidatos do acordão, irá procurar órgãos com CGU, Ministério Público do Estado e Federal e defender que se crie um comitê de licitação para que sejam acompanhadas todas as licitações. Com participação da OAB. E diz que vai unificar setores de compras e que transperência será inovação.

Heenrique Alves diz que não vai fazer, pois já fez como presidente da Câmara Federal, diz que comandou a derrubada da PEC 37 e acabou com votação secreta para cassação de parlamentares. Hoje é voto aberto com o povo acompanhados. Henrique diz que já fez e quem já fez tem o compromisso de continuar fazendo. Defende transparência para o povo do Rio Grande do Norte.

Robinson diz que o candidato do acordão passou vários meses sem colocar em votação, que uma semana pendia para a Polícia Federal e no outro para o Ministério Público. E diz que o que o fez colocar em votação não foi o espírito moralizador mas sim o fato de o povo ir para as ruas. Diz que Henrique desejou aparecer.

Robinson pergunta sobre finanças do Estado. E diz que o RN vem perdendo sua capacidade de investimento. Antes, investimentos versos orçamento foi reduzido. E pergunta o que Herique vai fazer para recuperar capacita de investimento

Henrique di que esse governo que Robinson apoia, e diz que esse é o acordo com Rosalba apoiando Robinson. Diz que o governo Rosalba levou o Estado a um rombo mensal de R$ 20 milhões. Diz que vai fazer o REFIS e cita a busca compensação previdenciária e busca de recursos internos para fazer a reorganização das finanças para mostra o RN transparente e reorganizado.

Robinson diz que quem está em casa faça uma reflexão. E cita que o homem que diz que vai salvar o Estado, aderiu a Rosalba, presidente da Câmara Federal, prometeu que iria ajudar Rosalba, indiciou secretários, criou um Conselho Político, deitou e rolou e de nada valeu. E diz que Rosalba não teve ganho com parceria com Henrique.

Henrique diz que incrível a desinformação e á fé de Robinson e cita a barragem de Oiticica, irrigação da Chapada do Apodi, cita que Robinson pasou pelo PMDB e por outro partidos, em uma pula pula partidário.

Henrique pergunta sobre segurança.

Henrique diz que esse é um grande drama do Rio Grande do Norte e cita que ao lado da saúde é um dos principais problemas. E pergunta em seu governo. Que é de seu governo.

Robinon diz que é natural Henrique confundir segurança com saúde pois está saúde. E diz que seu governo tem compromisso de investir 10% de orçamento na segurança pública. Robinson diz que buscará orçamento para investir na convocação de novos policiais, aprovar o Ronda Quarteirão, a Fronteira Digital e devolver a estima dos policiais militares e fazer um Plano de Cargos e Carreira do setor é do tempo da didatura.

Não é nervosismo não, é indignação. E diz que vai unir PM, Polícia Civil, ITEP e Corpo de Bombeiros em um gabinete especial, com a polícia nas ruas. Diz que falta armamento, e cita um programa federal que veio ao Estado, mas os recursos voltaram. E diz que o Ronda Quarteirão foi um fracasso no Ceará.

Robinson diz que não adiante combater violência se o Estado também não tiver programas de lazer, de esporte. Robinson diz que no Rio de Janeiro as UPP´s não foram seguidas de outros projetos.

Robinson pergunta sobre saneamento básico. Candidato Henrique Alves, o coordenador de seu programa de governo é Jaime Mariz, que foi o mentor da venda da Cosern. E pergunta se Henrique pretende privatizar a Caern.

Henrique diz que a Caern realiza um trabalho exemplar. Destaca o trabalho de saneamento e lembra que exite R$ 1,4 para sanear Natal e 80% do Estado. Henrique elogia o trabalho da Caern pelo trabalho que vem realizando. E diz que é fundamental o armazenamento de água. E diz como governador será zero de política na gestão da Caern.

Robinson diz que quando assumiu a Caern era devedora e quando deixou o cargo não estava devendo. Robinson diz que hoje só tem 24% de saneamento e afirma que isso é uma vergonha para o Estado. Afirma que vai fazer parceria com o Governo Federal. Cita que Dilma vai ser eleita é vai parceria com ela.

Henrique diz que a presidente Dilma, sua candidata, já liberou recursos para saneamento de 80% de Natal e de todo Estado. O candidato defendo parceria com o Governo Federal para esse trabalho.

Às 23h10.