De Fuleco e Brazuca

Paulo Afonso Linhares

Paulo Artigo

Paulo Afonso Linhares

Após profunda reflexão acerca do comportamento colaboracionista das vítimas de um sequestro na Suécia (assalto ao Kreditbanken em Norrmalmstorg, Estocolmo, que durou de 23 a 28 de agosto de 1973), o criminólogo e psicólogo Nils Bejerot denominou esse intrigante estado emocional de “Síndrome de Estocolmo” (Stockholmssyndromet, em sueco). Caracteriza essa síndrome o envolvimento das vítimas com seus algozes em sequestros, situações de violência doméstica e familiar, cárcere privado ou submetidas a campos de concentração. A vítima desenvolve um mecanismo de defesa e se torna dependente psicologicamente do algoz, quando busca conquistar a simpatia deste, a ponto que, mesmo depois de finda a coação física e/ou psíquica, defende o coator, inclusive para livrá-lo de sanções jurídico-penais.

A lembrança dessa típica doença psicológica aleatória, para usar o jargão técnico da Psicologia, vem a propósito do estado psicológico coletivo dos brasileiros após a monumental derrota da ex-melhor-seleção-do-mundo, de 7 a 1, para a esquadra futebolística alemã comandada pelo glacial técnico Joachim Löw. O desalento causado por esse desastre inédito na história das copas mundiais de futebol impele a maioria da população brasileira a torcer para uma vitória alemã na final da Copa 2014, no Maracanã, contra os hermanos argentinos.

Em alguns casos mais graves de comprometimento psicológico, alguns brasileiros até chegam ao absurdo de desejar uma vitória da turma de Messi, o que projeta sobre nós e nossos descendentes, até a quinta geração, uma terrível maldição que é aguentar as fanfarrices argentinas; já não é suficiente as estultices do Dieguito Maradona, a insistir que é mejor que Pelé? Nem morto e com toda cocaína que pôde aspirar superaria o nosso eterno rei do futebol. Sem sombra de qualquer dúvida, brasileiro agora torcer por uma vitória argentina contra os alemães configura doença psicológica nada aleatória; é loucura mesmo, da mais agressiva e incurável. Tarja preta de lascar os tamancos!

A despeito de todo o desencanto e frustração com a humilhante derrota sofrida pela Famiglia Scolari frente à velha Mannschaft, como é conhecida a seleção da Alemanha, surpreendentemente as pessoas dos mais diversos rincões deste país demoraram uma nada para entender que se tratava apenas de um jogo de futebol, que o mundo não se acabou e que a vida segue seu curso,  sem que esse escorregão  da Canarinha tenha causado maior impacto. Quando vimos essa besteira do mascote Fuleco e da bola Brazuca, ficou evidente que no futebol mesmo a seleção dará com  os burros, ou melhor, com os tatus-bola n’água. E na tragédia agora já conhecida como “Mineiraço” os canarinhos do Filipão apanharam que só macaco para adivinhar dinheiro em feira. Afinal, uma coisa muito boa: o pobre homem satanizado por seis décadas como responsável pela derrota do Brasil na Copa de 1950, o goleiro Barbosa, pode agora descansar em paz, pois essa meninada de 2014, à frente o atacante Fred, que nada atacou, vai levar essa cruz por muitas décadas à frente. De Fuleco à Brazuca, o descompasso atual do futebol brasileiro, uma fratura exposta. Todavia, é forçoso reconhecer que tudo se resume a um mero jogo de futebol, algo que desperta em nós aquela dimensão eminentemente lúdica, uma brincadeira que galvaniza a atenção de todos os povos do mundo e movimenta montanhas de dinheiro.

Entretanto, como reza o provérbio português, “uma coisa é uma coisa, outra coisa é outra coisa.” Por isto, são bem distintas as posições da seleção brasileira de futebol e do Estado brasileiro na condição de anfitrião da Copa 2014. Se a seleção deu com a cara no chão o mesmo não ocorreu com o Brasil, nos seus diversos níveis de governo, apesar do descrédito inicial, inclusive de parte da própria FIFA. Com efeito, neste aspecto e a despeito de todos os percalços que cercam um evento dessa magnitude, a atuação do Estado brasileiro, mormente do governo federal, foi coroada de êxito. Tanto que até esse sucesso na realização  da Copa 2014 atenuou o enorme vexame que sofremos dentro das quatro linhas para o pragmático futebol alemão. Isto sem falar numa ponta de constrangimento que se apoderou destes, a exemplo do técnico Löw, que até procurou consolar os anfitriões brasileiros com palavras amáveis.

Consolo por consolo, vale mesmo lembrar que  a Nationalelf, outra alcunha da seleção alemã, levou uma chibatada de 9 a 0 frente à seleção da Inglaterra, em Oxford. Já faz um tempinho, foi em 13 de Março de 1909, mas, não se diz que essas coisas de futebol são eternas, as glórias e os desastres, tudo não conta? No entanto, para os inconsoláveis com o naufrágio desse Titanic verde-amarelo do capitão Scolari vale a achega de São José de Anchieta, o apóstolo do Brasil: “Quem se verga em tristeza, em consolo se alarga: por ti, depõe do peito a dura sobrecarga!” E para os  brasileiros já tocados pela “síndrome de Estocolmo” resta torcer para que nossos algozes germânicos botem muito chucrutes no doce de leite dos hermanos argentinos: Deutschland, Deutschland über alles! …

O Velho Apache Antenado é convocado a um tira-teima

Qual a situação do PV de Mossoró?

Uêba!!!

O Velho Apache Antenado foi instado a emitir sua opinião sobre o PV de Mossoró.

Aí, preferiu fazer suas, as palavras do filósofo Mução:

– É melhor não!

Todavia, porém, entretanto, no entanto, não teria como não oferecer sua parcela de contribuição ao tratado.

E, como o Velho Apache não especula, mas, informa, procurou a quem de direito.

Aguarde, então, entrevista exclusiva com o presidente estadual do PV, senador Paulo Dawin, que esclarece a posição do partido sobre o diretório de Mossoró.

O presidente local da sigla, secretário João Gentil, também foi procurado.

Aguarde.

 

Francisco José Júnior em Currais Novos

Prefeito de Mossoró participa de Festinha 

currais robinson

Neste sábado, 12, o prefeito de Mossoró Francisco José Júnior (PSD) cumpriu agenda no Seridó.

Integrou a comitiva do candidato ao Governo do Estado, Robinson Faria (PSD) na Feirinha de Currais Novos.

Site de Henrique disponibiliza ringtone para download

Candidato do PMDB inova e investe em tecnologia

O site de campanha do deputado Henrique Alves, candidato do PMDB ao Governo do Estado, disponibilizou hoje um toque de celular com o jingle da campanha para download. O toque de celular está disponível no endereço: wwww.henriquegovernador.com.br e também pode ser ouvido na página do candidato no facebook, “Henrique Governador”.

A música é uma releitura do mais famoso jingle da história política do Rio Grande do Norte, a Lambada do Bacurau, que fez sucesso na campanha de Aluízio Alves para o Governo do Estado, em 1982, e desde então é tocada em todas as eleições no RN.

 

Fim do vexame…

…Brasil perde para a Holanda por 3 a 0

Jogadores da Holanda comemoram o segundo gol contra o Brasil, no Mané Garrincha em Brasília

O Brasil termina a Copa do Mundo como começou: jogando ruim.

Perde por 3 a 0 para a Holanda.

Mais detales no Portal Difusora.

Robinson Faria também em Currais Novos

Candidato ao PSD também visita ex-prefeito Geraldo Gomes

Por: Thaisa Galvão

Sem a candidata ao Senado Fátima Bezerra (PT), o candidato a governador Robinson Faria (PSD) esperou só o adversário Henrique Alves (PMDB) sair da casa do ex-prefeito Geraldo Gomes (DEM) em Currais Novos Novos, para chegar…

Chegou acompanhado do prefeito de Mossoró, Francisco José Júnior (PSD).

A conversa dos 3 – Francisco José não acompanhou – ocorreu a 7 chaves.

Portas fechadas por mais de uma hora.

O candidato a deputado Francisco José (PROS), pai do prefeito de Mossoró, chegou quando a conversa estava bem adiantada, mas ficou do lado de fora com o filho, aguardando…

Abaixo, na cozinha de Geraldo Gomes, depois da conversa:

20140712-161906-58746848.jpg

Henrique, Wilma, Garialdi, João Maia em Currais Novos

Comitiva visita residência de ex-prefeito 

Por: Thaisa Galvão

O ex-prefeito Geraldo Gomes e o filho candidato a deputado Carlson Gomes são os queridinhos de Currais Novos.

Como os democratas não definiram para qual candidato a governador darão os votos, tem a simpatia de todos.

A casa de Geraldo e Carlson ficou cheia no final da manhã.

Por lá chegaram o candidato Henrique Alves (PMDB) com o vice João Maia (PMDB), o ministro Garibaldi Filho (PMDB) e o deputado democrata Felipe Maia.

Conversa amena de quem quer ganhar a amizade e depois o voto. 

De lá o grupo seguiu para a casa do ex-prefeito José Lins (PMDB) onde já estavam a candidata ao Senado, Wilma de Faria (PSB), o candidato a federal Walter Alves (PMDB) e o deputado estadual Ezequiel Ferreira de Souza (PMDB).

.

20140712-162017-58817916.jpg

Conversa indefinida…

Fotos Marcos Dantas

20140712-162059-58859829.jpg

De cima para baixo: Casa de Geraldo Gomes, casa de José Lins e casa de Vilton Cunha

Francisco José recebe apoio do prefeito de Boa Saúde

20140712-141037-51037123.jpg

Francisco José Júnior, Francisco José, Paulo Souza Filho e Paulo Souza – Foto: Heitor Gregório

O ex-deputado Francisco José (PROS) recebeu neste sábado, 12, o apoio do prefeito do município de Boa Saúde, Paulo Souza Filho.

O apoio foi articulado pelo prefeito de Mossoró, Francisco José Júnior, pai de Francisco José que fortalece seu projeto de se eleger deputado estadual.

Fonte: www.heitorgregório.com.br

Vexame de novo…

..Holanda faz 1 a 0 contra o Brasil

Gol de pênalti de Robin van Persi aos 3 minutos de jogo.

Lúcia Bessa será subsecretaria de Educação

Rina Márcia deverá ocupar subsecretaria de Saúde 

Lúcia Bessa – ao lado do esposo, Francisco José – deve ocupar subsecretaria de Educação

Começam a surgir os nomes que ocuparão as subsecretarias municipais.

De acordo com informação colhida pelo blog, dentre os nomes que deverão ocupar algumas subsecretarias, estão o de Lúcia Bessa, mão do prefeito Francisco José Júnior (PSD) e o de Rina Márcia, mãe da primeira dama e secretária do Desenvolvimento, Amélia Ciarlini.

A informação é de fonte com acesso ao processo de montagem da equipe de auxiliares do prefeito Francisco José Júnior.