Fafá e Leonardo botam bloco na rua com propaganda de candidatos majoritários

Exposição e distribuição de material de campanha de Henrique, Wilma e João Maia é realizada por candidatos proporcionais em Mossoró 

Fafá e cia

Estrutura de Fafá e Leonardo instalada em frente ao Treatro Dix-huit Rosado divulga e distribuição material de campanha também dos candidatos majoritários – Fotos: iPad Skarlack

Fafá e cia II Fafá e cia 4 Fafá e cia 5

Os candidatos a cargos eletivos com base em Mossoró começam a botar o bloco na rua.

Um exemplo dessa realidade são os stands que a ex-prefeita de Mossoró e candidata a deputado federal, Fafá Rosado (PMDB) e o deputado estadual e candidato à reeleição, Leoanrdo Nogueira (DEM).

Fafá e Leonardo tem montado estruras em ponstos estratégicos do centro de Mossoró, onde são expostos material de propaganda dos dois e também dos candidatos a governador, senador e vice-govenador, respectivamente, Henrique Alves (PMDB), Wilma de Faria (PSB) e João Maia (PR).

Juiz eleitoral reuniu representantes de partidos e candidatos

Patrício Lobo promove encontro com coligações e agentes da segurança

Representantes de partidos, candidatos e da segurança tiveram reunião no TRE – Fotos: iPad Skarlack

Foi realizada na tarde desta quarta-feira, 30, uma reunião do juiz da 33ª Zona Eleitoral de Mossoró, Patrício Lobo, com representantes de candidatos, partidos e coligações.

Também participaram agente da segurança que receberam uma série de orientações sobre procedimentos que deverão ser obervados durante as eleições de 2014.

Nesta quinta-feira, às 8h30, no TRE, em Mossoró, Patrício Lobo reunirá a imprensa, às 8h30.

Esse deverá ser o único contato co magistrado com a imprensa da cidade durante todo o processo eleitoral.

Mãe perde a guarda do filho e tenta se jogar de prédio

Tensão aconteceu no Fórum Miguel Seabra Fagundes de Natal

Por: Thaisa Galvão 

20140730-132629-48389372.jpg

Depois de saber que havia perdido a guarda do filho, uma mulher tentou se jogar do alto do Fórum Miguel Seabra Fagundes, em Natal.
Porém, o Corpo de Bombeiros chegou em tempo de resgatá-la.

Fonte: Blog de Thaisa Galvão

 

Governo do Estado vai pagar salários de julho também com atraso

Desembolso começa neste dia 31 e só termina em 8 de agosto

As Secretarias de Estado do Planejamento e das Finanças (Seplan) e da Administração e dos Recursos Humanos (Searh) divulgaram o calendário de pagamento dos salários dos servidores estaduais relativo ao mês de julho, que será da seguinte forma:

Nesta quinta-feira (31) será creditado o pagamento de todos os servidores da Segurança, Saúde e Educação (inclusive UERN), bem como todos os servidores do DETRAN, IDEMA, DEI, JUCERN e IPEM, independente do valor do salário, que representam um total de 60.055 servidores;

Ainda na quinta-feira, a partir do meio-dia, recebem os servidores ativos e inativos das demais áreas que ganham até R$ 2 mil líquidos – que somam 33.409 servidores;

No dia 8 de agosto, uma sexta-feira, serão creditados os salários dos servidores ativos e inativos que recebem acima de R$ 2 mil líquidos – 9.377 servidores no total.

93.464 servidores receberão o pagamento dentro do mês, o que equivale a 91% da folha do Estado.

Os outros 9% (9.377 servidores) receberão no dia 08 de agosto.

* Ascom/RN

Nota sobre nota

Apoio de Genivan a Francisco José foi comunicado a vereadores governistas  

O anúncio de que o vereador Genivan Vale estava fechado com o ex-deputado estadual Francisco José e, que passaria a integrar a bancada governista na Câmara Municipal de Mossoró foi feito na tarde desta terça-feira, 29.

Foi durante uma reunião da bancada governista na Câmara Municipal.

Também foi anunciado que Genivan Vale estaria fazendo a ponte com outros vereadores da oposição, dentre eles Tomaz Neto, do PDT.

O blog se reserva ao direito de não revelar as fontes que ouviram o anúncio, nem o local e o horário da reunião e muito menos a relação dos participantes do encontro.

Até pelo fato de terem sido vários os vereadores que receberam e repassaram a informação.

Inclusive em tom de comemoração por consideram que, por sua liderança, competência e honradez Genivan Vale só tem a acrescentar, tanto ao projeto de eleição de Francisco José quanto a bancada do prefeito Francisco José Júnior.

 

Genivan Vale diz que não fechou com Francisco José para deputado estadual

Vereador do PROS também afirma que não vai integrar a bancada do prefeito Francisco José Júnior

Sobre notícia veiculada por este blog segundo a qual Genivan Vale já fechou apoio ao nome do ex-deputado estadual Francisco José e, que passará a integrar a bancada do prefeito Francisco José Júnior (PSD) na Câmara Municipal de Mossoró, o vereador do PROS emitiu uma nota.

Confira

NOTA

Diferentemente de informações publicadas no blog do jornalista Carlos Skarlak, o vereador Genivan Vale (PROS) esclarece que não procede a informação de que teria fechado apoio a Francisco José (PROS), candidato a deputado estadual. Também não é verídica a notícia de que agora, o vereador integra a bancada governista da Câmara Municipal de Mossoró (CMM).

Genivan Vale informa que após a desistência da candidatura de Gilson Moura (PROS) à reeleição, candidato que iria apoiar nesta eleição, houve conversas com o prefeito Francisco José Júnior (PSD) no sentido de solicitar o apoio de Genivan Vale à candidatura de Francisco José.

O diálogo foi aberto tanto por relação de amizade com o candidato Francisco José, quanto por afinidades partidárias, pois ele pertence ao mesmo partido do vereador. No entanto, não há definição quanto ao seu posicionamento para a eleição de 2014.

Genivan Vale destaca que está focado em questões partidárias e deverá anunciar seu posicionamento até a próxima semana. Tão logo a decisão seja tomada, o vereador virá a público anunciar a definição de apoio da legenda, honrando com o seu compromisso de transparência e respeito à população. 

Atenciosamente,

Vereador Genivan Vale

Juiz Herval Sampaio descreve seu novo livro

“Abuso de Poder nas Eleições” é a nova obra de magistrado

Herval cassa prefeita de Baráuna de novo

Por: José Herval Sampaio Junior

Este livro intitulado de “Abuso do Poder nas Eleições”, Triste realidade da política (agem) brasileira, Ensaios foi feito de um modo bem distinto dos demais que abordam a temática. Na realidade procura ser um misto de teoria e prática em que o leitor ao mesmo tempo em que compreende todas as espécies de abuso de poder previstos em nosso ordenamento jurídico ao se depararem com as considerações iniciais que envolvem a matéria no início de cada capítulo, em seu desenvolvimento vai ter contato com os mais variados casos práticos reais que demonstram infelizmente o que ocorre Brasil afora na tentativa espúria de tomar o voto do cidadão a todo custo.

O livro foi dividido sistematicamente em 06 (seis) capítulos que são expostos da maneira mais didática possível, com uma linguagem acessível a todos, ou seja, busca atingir não só aos operários do Direito Eleitoral, mas na realidade tem como objetivo precípuo ser lido por toda a sociedade brasileira que precisa se conscientizar das manobras feitas por alguns membros da classe política para suprimir do cidadão o que lhe é mais valioso, o voto, ressaltando que infelizmente o próprio povo em sua maioria acaba participando ativamente dessas ilicitudes, devendo inclusive ser responsabilizado. A cada ensaio se faz questão de permitir ao leitor o acesso a todos os pormenores do caso analisado, retirando tão somente o nome dos envolvidos e as numerações que possam identifica-los, contudo registra-se que todos os processos trazidos a cotejo são públicos e suas decisões já foram devidamente publicadas na internet, logo o que o autor fez aqui foi uma compilação dos principais casos e adequando a uma exposição em forma de livro.

Como poderão ser vistos no decorrer da leitura, os ensaios prestigiaram a técnica de remissão aos precedentes com relação à tese jurídicas já definidas, em especial pelo Tribunal Superior Eleitoral, pois mesmo havendo uma diversidade fática muito grande, em que a ocorrência dos abusos estão mais do que comprovados com provas dentro dos autos, fez-se questão de permitir ao leitor o contato com as decisões semelhantes de diversos Tribunais, prestigiando-se a Corte Superior Eleitoral e ao do Tribunal Regional Eleitoral em que o autor fazia parte.

No primeiro capítulo, que para nós se constitui como o modus operandi do que cognominamos de politicagem brasileira, enfocamos sem cerimônia o que acontece nos bastidores de um processo eleitoral, a qual infelizmente está em total desconformidade com as previsões normativas que regem a espécie e que ao final o leitor vai perceber que é a grande realidade, pois em que pese ter acontecido em duas cidades da Região Nordeste do Brasil, se repetem a cada eleição em praticamente todas as cidades desse país, pois a cultura de alienação do eleitor está arraigada em nossa classe política e o próprio eleitor parece que gosta de ser enganado, ou melhor, quer levar algum tipo de vantagem nesse processo.

No segundo capítulo, trouxemos outra realidade infelizmente existente, a procura desenfreada em impedir a análise do efetivo abuso de poder, já que mesmo sendo inconteste o direito de ampla defesa, é inadmissível que alguns colegas insistam em trazer algumas questões processuais que não encontram amparo na jurisprudência dos Tribunais, em especial do TSE e que sequer se identificam com a peculiaridade do caso abordado e que com certeza servirão aos leitores para que se tirem as conclusões necessárias sobre o motivo de tal conduta, que na maioria das vezes somente atrasam o resultado final que se espera da Justiça Eleitoral.

No terceiro capítulo, enfocamos a primeira espécie de Abuso do Poder nas eleições, qual seja o político ou de autoridade, que na prática acaba assumindo um viés muito amplo, pois infelizmente quem detém o poder realmente tende a abusá-lo, como inclusive demonstra a história e a própria Teoria Geral do Estado. Os ensaios desse tipo de abuso são inacreditáveis, os governantes e seus grupos políticos não só são ousados, mas sinceramente talvez não acreditem que seus atos terão consequências, pois alguns deles são feitos sem a menor cerimônia, chegando-se a pensar em dado momento do processo, tamanha a insensatez dos atos que achassem que suas condutas seriam lícitas, mas o pior é vê que tais atos se repetem Brasil afora, sendo necessária a extirpação do famigerado instituto da reeleição, pois como os leitores verão difícil que os próprios governantes não incidam em conduta vedada nos termos da lei eleitoral.

No quarto capítulo, enfrentamos a força do poder econômico propriamente dito, em que se comprova que o seu uso desmedido atinge infelizmente o objetivo desejado. Nos ensaios trazidos, o leitor perceberá claramente o quão importante se constitui a prestação de contas perante a Justiça Eleitoral, contudo do mesmo modo e talvez com mais intensidade verá que na prática os políticos fingem que prestam contas à Justiça e o pior é que a Justiça também finge que julga as contas, pois a maioria esmagadora das receitas e despesas informadas não condizem com a realidade e são na maioria dos casos um acinte à população brasileira. As declarações de gastos ficam muito aquém da realidade, o que deixa margem para a ocorrência do abuso de poder econômico.

Já no quinto capítulo, tratamos da espécie de abuso de poder em mais evidência, pois a informação hoje é um dos bens mais valiosos. Sob o pálio do direito de liberdade de informação, as pessoas desejam descumprir os princípios e regras eleitorais, colocando a culpa em cima da Justiça Eleitoral. O abuso de poder midiático, que não deixa de ser uma espécie do próprio abuso do poder econômico. Demonstramos que infelizmente os grupos de comunicação são dominados pela classe política e os seus candidatos são expostos à população de um modo evidente ao ponto dos demais candidatos sequer terem como expor suas ideias, pois a massificação feita pelos poderosos retira o seu espaço, violando o princípio da isonomia.

Por fim, enunciamos a famigerada compra de votos, através de casos pitorescos em que o eleitor é violentado em sua consciência, comprovando-se o que afirmado inicialmente no que tange a compra do mandato. Os políticos, em sua grande maioria, tratam o processo eleitoral como um negócio e a primeira etapa é conseguir o dinheiro dos financiadores de campanha para após utilizarem na compra propriamente dita e os ensaios infelizmente demonstram que essa prática não é fácil de ser comprovada, pois a compra é feita na maioria das vezes de forma dissimulada e conta com o apoio dos próprios eleitores.

Enfim, como dito no início, o livro procura conscientizar o eleitor principalmente de que essas práticas são nocivas a toda coletividade e somente expurgando-as de nossa cultura politica podemos avançar como pais de primeiro mundo, em que o voto verdadeiramente vale para a escolha dos governantes e também vale na hora do efetivo exercício do poder e no Brasil infelizmente, em que peses os avanços legislativos, a prática demonstra justamente o contrário, a classe política quer que o eleitor brasileiro seja o mais alienado possível para que o cabresto continue sendo puxado pelos que detém o poder em sua acepção ampla.

Prefeito só receberá parecer sobre municipalização na terça-feira

Laudo da Secretaria de Infraestrutura e Habitação ainda não foi concluído e atrasa posição da Prefeitura de Mossoró

Abraão Dutra, secretário de Esportes, em reunião com o comandante do Corpo de Bombeiros em Mossoró, major Franklin – Foto: iPad Skarlack

O prefeito de Mossoró, Francisco José Júnior (PSD), pretendia se pronunciar sobre o processo de municipalização do estádio Leonardo Nogueira nesta quinta-feira, 30.

Porém, ainda não recebeu o parecer da equipe econômica.

De acordo com o secretário municipal de Esportes, Abradão Dutra, a comissão econômica está na dependência apenas do laudo da Secretria de Infaestrutura e Habitação.

A previsão é de que até o início da próxima semana o secretário José Couto Filho entregue seu laudo e, dessa forma, na reunião de terça-feira, da equipe econômica com o prefeito Francisco José Júnior deverá ser apresentado o parecer final.

Ao ser abordado pelo blog sobre a municipalização, o prefeito Francisco José Júnior afirmou que “vai dar tudo certo”.

O parecer do secretário de Esportes, Abradão Dutra, é a favor da municipalização.

 

Fábio Faria cumprirá agenda em Mossoró

Deputado federal reunirá vereadores e militância na sexta-feira

Fábio Faria ao lado do prefeito Francisco José Júnior – Foto: Assessoria

O deputado federal Fábio Faria (PSD) e que disputa um novo mandato cumprirá agenda em Mossoró na sexta-feira.

Deverá se reunir com vereadores e militantes de sua campanha.

Ainda não foi definida a agenda.

Não está descartada a participação do candidato ao Governo, Robinson Faria (PSD).

Ricardo de Dodoca não é mais presidente do PTB

Vereador entrega diretório ao presidente estadual Aldair Rocha

Ricardo de Dodoca apoio Francisco José

Ricardo de Dodoca apoia Francisco José e Robinson Faria e deixa a direção do PTB – Foto: Karla Viegas

Agora é oficial.

O vereadora Ricardo de Dodoca não é mais o presidente do PTB, em Mossoró.

Nesta terça-feira, 29, ele teve reunião com o presidente estadual da sigla, ex-secretário de Segurança Públia, Aldair Rocha.

Diante da posição de Ricardo de apoiar o candidato Robinson Faria, ao Governo do Estado, Aldair Rocha está substituindo o presidente do PTB, já que ele é candidato a deputado estadual e seu partido apoia o deputado federal Henrique Eduardo Alves, do PMDB, para governador.

Nesta quinta-feira, Aldair Rocha estará em Mossoró para passar o comando do PTB ao vereador Lucélio Guilherme.