Hospital Veterinário da Ufersa retoma atividades

Agendamento é feito via telefone

Sushi, um gato persa que tem suspeita de câncer vai retomar tratamento com a abertura do Hospital Veterinário/Foto: Assecom/Ufersa

Há 10 meses sem atender nenhum animal, o Hospital Veterinário da Universidade Federal Rural do Semi-Árido (Hovet) retomou as atividades nesta segunda-feira, 11. Com a pandemia do novo Coronavírus a unidade ficou sem funcionar. O retorno mesmo sendo de forma gradual beneficia estudantes residentes que precisam da prática médica, bem como a população que não tem como pagar pelo serviço clínico e cirúrgico que é oferecido pela rede particular.

ATENDIMENTO – No primeiro dia de reabertura seis animais receberam atendimento no Hospital Veterinário da Universidade.

AGENDAMENTO – O agendamento será feito, exclusivamente, por telefone através do número: 3317-8310. Semanalmente serão marcadas 30 consultas, sendo 6 atendimentos diários. A linha para marcação da consulta será liberada a partir das 8h da manhã, sendo bloqueada ao completar o quantitativo estipulado de 30 consultas. Para animais silvestres e grandes animais não é preciso de agendamento.

Trator é furtado da Secretaria de Agricultura em Mossoró

Fato aconteceu no fim de semana

No último fim de semana foi levado um trator do pátio da Secretaria de Agricultura de Mossoró e ninguém viu, já que por memorando circular foi suspenso o patrulhamento da Guarda Civil.

Foi registrado boletim de ocorrência e a polícia esteve no local.

O trator foi adquirido por meio de emenda do deputado federal Beto Rosado.

 

ESPAÇO DO GIVVA

OPINIÃO

POR GIVANILDO SILVA

Givanildo Silva é radialista-jornalista-advogado

Considerando-se que o município de Mossoró, recentemente, habilitou-se junto ao Tesouro Nacional para captar financiamento de 150 milhões de reais, na Caixa Econômica Federal, a calamidade financeira e administrativa decretada pela atual administração somente se justifica sob um aspecto.
Previsão de tempos vindouros sombrios, no que não estaria errada, pois, com cerca de vinte milhões de desempregados perambulando pelas ruas das cidades, com o governo federal sem caixa e a incerteza em face da covid-19, a perspectiva é de um 21 de sabor ardido.
No entanto, a proposta, que depende de aval da Assembleia Legislativa, pode carecer de pressupostos que a embasem.
Em 07.01.20

HORA DE UMA PAUSA

TEMPO DE REPOR ENERGIAS

A partir desta quinta-feira (7), o titular deste espaço se afasta por 10 dias para um merecido período de férias.

Tempo para uma missão evangelizadora na terra de José de Alencar.

Neste período, fiquem na companhia da jornalista Karla Viegas e do jornalista-radialista-advogado. Givanildo Silva, em comentários diários.

 

 

Obama critica invasão do Capitólio e diz não se surpreender com Trump

Ex-presidente se pronunciou através do Twitter

Imagem

O ex-presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, divulgou na noite de hoje uma nota criticando a invasão de manifestantes ao Congresso do país durante a sessão de confirmação da eleição do democrata Joe Biden. No texto, Obama repudiou as acusações feitas por Donald Trump, sem provas, de que houve fraude eleitoral, mas disse não se surpreender com a postura do republicano.

“A História se lembrará corretamente da violência de hoje no Capitólio — incitada por um presidente em exercício que tem continuamente e sem provas mentido sobre o resultado de uma eleição legal — como um momento de grande desonra e vergonha para a nossa nação. Estaríamos nos enganando se tratássemos essa questão como uma surpresa completa.”

O ex-presidente ainda criticou ainda o que classifica como “narrativa fantasiosa” que se afastou cada vez mais da realidade. “Por dois meses, um partido político e seu ecossistema midiático têm frequentemente evitado dizer a verdade a seus seguidores: que esta não foi uma eleição apertada e que o presidente eleito Joe Biden tomará posse em 20 de janeiro”, escreveu.

Obama ainda convocou as lideranças republicanas a “escolher a realidade” em detrimento de “seguir pelo caminho de atiçar fogos”, e citou a equipe do estado da Georgia por “se recusarem a serem intimidados e cumprir com sua missão de forma honrada”. “Precisamos de líderes como esses agora e nos dias, semanas e meses que o presidente eleito Biden tem pela frente enquanto trabalha para recuperar um propósito comum em nossa política. É dever de todos nós, americanos, independentemente de partidos, apoiá-lo nesse objetivo.”

 

Apoiadora de Trump morre após ser atingida por tiro dentro do Capitólio

Mulher teria sido atingida no ombro e atendida no local

Mulher ferida é retirada do Capitólio dos EUA pela equipe de emergência em 6 de janeiro de 2021   — Foto: Reprodução/MSNBC

Uma mulher morreu depois de ter sido baleada nesta quarta-feira (6) durante a invasão do Capitólio por apoiadores de Donald Trump.

A emissora de TV KUSI, de San Diego, na Califórina, falou com seu marido e informa que se trata de uma militar veterana. Ashli Babbit serviu por 14 anos na Força Aérea e seu companheiro disse que ela era muito patriota e grande apoiadora de Trump.

Mais cedo, o jornal “Washington Post” afirmou que ela foi atingida no ombro. A polícia investiga o que aconteceu.

“Mulher branca, baleada no ombro”, disse um dos atendentes que a levou a uma ambulância com paramédicos que chegou ao local para prestar socorro, de acordo com o Washington Post. Policiais do Capitólio abriram caminho para que o veículo se aproximasse.

Diversos relatos na imprensa já falavam de uma mulher gravemente ferida, retirada ensanguentada de dentro do salão onde ocorria a sessão que iria certificar a vitória de Joe Biden nas eleições presidenciais de 2020.

Apoiadores de Trump, que não aceitam o resultado, interromperam a sessão ao invadir o local. Deputados e senadores foram retirados do prédio pouco antes da invasão.

Em mensagem nas redes sociais, o presidente Donald Trump pediu que os seus partidários protestassem “pacificamente” e que confiassem nas forças de segurança americanas. Entretanto, momentos antes, houve vandalismo e confrontos durante a tentativa de invasão, quando extremistas conseguiram ultrapassar as barreiras de segurança e entrar no Capitólio.

Por causa dos confrontos, a prefeita de Washington, Muriel Bowser, declarou toque de recolher na cidade a partir das 18h (locais, 20h de Brasília). A medida ficará em vigor por 12 horas. A prefeitura também fechou os centros de testagem para a Covid-19 até amanhã.

O governador de Virginia, Ralph Northam, declarou estado de emergência e também estabeleceu um toque de recolher a partir das 18 horas nas regiões de Arlington e Alexandria, que ficam nas proximidades de Washington DC.

Anunciada reabertura do Thermas; previsão de 150 empregos

Previsão é de 150 empregos

O município de Mossoró recebe nesta quarta-feira (06) um importante reforço para fortalecimento da economia e turismo. O empresário do ramo de hotelaria Arikeme Barreto anunciou, em reunião na Prefeitura de Mossoró a reabertura do Hotel Thermas até o dia 30 de janeiro. A expectativa é gerar 150 novos empregos no município.

A medida foi informada pelo empresário em reunião no Palácio da Resistência ao prefeito de Mossoró Allyson Bezerra e a equipe econômica do município, formada pelo secretário de Desenvolvimento Econômico Franklin Filgueira, o secretário-chefe de Gabinete da Prefeitura Kadson Eduardo, o consultor-geral do município Humberto Fernandes e o secretário da Fazenda Ivo Franklin.

O prefeito de Mossoró Allyson Bezerra destaca que a Prefeitura tem total interesse na reabertura do hotel e que o proprietário pode contar com todo o apoio do município.

Fonte: Assessoria da PMM

Apoiadores de Trump invadem Congresso dos EUA

Grupo entrou no Capitólio para interromper sessão do Colégio Eleitoral

Um grupo de apoiadores do presidente dos EUA, Donald Trump invadiu o Capitólio para interromper a sessão de contagem de votos do Colégio Eleitoral.

Momentos antes, Donald Trump discurso em Washington e afirmou que não aceitaria o resultado eleitoral.

VEJA VOTOS

Segurança é reforçada no Capitólio após retirada de extremistas apoiadores de Trump — Foto: Julio Cortez/AP

Segurança é reforçada no Capitólio após retirada de extremistas apoiadores de Trump — Foto: Julio Cortez/AP

Forças de segurança fazem varredura e retiram apoiadores de Trump após invasão ao Capitólio — Foto: Jacquelyn Martin/AP

Forças de segurança fazem varredura e retiram apoiadores de Trump após invasão ao Capitólio — Foto: Jacquelyn Martin/AP

Apoiadores de Trump são detidos após invadir Congresso dos EUA e paralisar sessão que confirmaria vitória de Biden — Foto: Andrew Harnik/AP

Apoiadores de Trump são detidos após invadir Congresso dos EUA e paralisar sessão que confirmaria vitória de Biden — Foto: Andrew Harnik/AP

Policiais apontam armas para invasores que tentam adentrar o plenário da Câmara dos EUA, no Capitólio — Foto: J. Scott Applewhite/AP

Policiais apontam armas para invasores que tentam adentrar o plenário da Câmara dos EUA, no Capitólio — Foto: J. Scott Applewhite/AP

Apoiador de Donald Trump posa sentado na cadeira da parlamentar democrata Nancy Pelosi, presidente da Câmara de Representantes, no gabilete dela no Capitólio após invasão — Foto: Saul Loeb/AFP

Apoiador de Donald Trump posa sentado na cadeira da parlamentar democrata Nancy Pelosi, presidente da Câmara de Representantes, no gabilete dela no Capitólio após invasão — Foto: Saul Loeb/AFP

Apoiador de Trump de pendura da beira da galeria no plenário do Senado dos EUA, após invasão do Capitólio — Foto: Win McNamee/Getty Images/AFP

Apoiador de Trump de pendura da beira da galeria no plenário do Senado dos EUA, após invasão do Capitólio — Foto: Win McNamee/Getty Images/AFP

Guarda Nacional dos EUA chega ao Capitólio após invasão de apoiadores de Donald Trump — Foto: Reprodução/GloboNews

Guarda Nacional dos EUA chega ao Capitólio após invasão de apoiadores de Donald Trump — Foto: Reprodução/GloboNews

Apoiador de Trump invade Congresso dos EUA — Foto: Reprodução/GloboNews

Pessoas se escondem em galeria do Capitólio durante invasão de apoiadores de Donald Trump — Foto: Andrew Harnik/AP

Pessoas se escondem em galeria do Capitólio durante invasão de apoiadores de Donald Trump — Foto: Andrew Harnik/AP

RN tem 120.836 casos confirmados e 3.059 mortes por Covid-19

Secretaria de Saúde aponta 13 mortes a mais nas últimas 24h

Testes para Covid-19 sendo feitos no IMT da UFRN  — Foto: Anastácia Vaz/UFRN

O Rio Grande do Norte chegou a 120.836 casos de Covid-19 desde o início da pandemia. As mortes já são 3.059 neste mesmo período. Os números foram atualizados na edição desta quarta-feira (6) do boletim epidemiológico divulgado pela Secretaria de Estado da Saúde Pública (Sesap). Outros 492 óbitos estão sob investigação.

Em comparação com o boletim do dia anterior, foram registradas 13 novas mortes, sendo quatro nas últimas 24 horas – em Mossoró, Natal, Patu e Ceará-Mirim. Os casos a mais são 812 confirmados neste período.

O boletim aponta ainda que o estado aumentou de 60.444 para 61.676 o número de casos suspeitos de Covid-19. Os casos descartados são 279.746. O número de confirmados recuperados é de 68.394, e o de inconclusivos, tratados como “Síndrome Gripal não especificada”, foi para 65.755.

O RN tem 459 pessoas internadas por causa da Covid-19, sendo 304 na rede pública e 155 na rede privada. A taxa de ocupação dos leitos críticos (semi-intensivo e UTIs) é de 64% na rede pública e de 58% na rede privada.

O número de testes realizados para Covid-19 no estado segue desatualizado em 385.269, sendo 205.269 RT-PCR (conhecidos também como Swab) e 180.000 sorológicos.

Números do coronavírus no RN

120.836 casos confirmados
3.059 mortes
61.676 casos suspeitos
279.746 casos descartados
68.394 confirmados recuperados
ande do Norte chegou a 120.836 casos de Covid-19 desde o início da pandemia. As mortes já são 3.059 neste mesmo período. Os n

ROSALBA SE PRONUNCIA E REAFIRMA QUE DEIXOU A PREFEITURA SANEADA FINANCEIRAMENTE E COM R$ 100 MILHÕES PARA OBRAS

EX-PREFEITA DIZ QUE “NÃO ESPERAVA VIR NESSE MOMENTO ME PRONUNCIAR SOBRE O ÓBVIO”

A imagem pode conter: Mardônia De Farias Nóbrega, sentando

“Jamais pensei em precisaria vir nesse momento me pronunciar sobre o óbvio, informações públicas, mas o óbvio precisa ser dito uma vez que alguns não entenderam que terminada a campanha se deve descer do palanque e buscar fazer o que se propôs”.

Foi assim que a ex-prefeita de Mossoró, Rosalba Ciarlini iniciou o seu primeiro pronunciamento oficial, depois de deixar o cargo, através de sua conta no Twitter, na noite desta segunda-feira (4).

Ao fazer uma série de esclarecimentos que revelam desconhecimento da estrutura administrativa da Prefeitura de Mossoró, por parte do prefeito, Allyson Bezerra e parte do seu secretariado, Rosalba reafirma que depois de recuperar as finanças municipais, deixou o município saneamento e, com R$ 100 milhões para obras.

Confira o pronunciamento de Rosalba, via Twitter:

Jamais pensei que precisaria vir nesse momento me pronunciar sobre o óbvio, informações públicas, mas o óbvio precisa ser dito uma vez que alguns não entenderam que terminada a campanha se deve descer do palanque e buscar fazer o que se propôs…

Dos servidores efetivos. No ano anterior à nossa posse, dos 12 meses da folha, só 9 roram pagos; 3 meses de salários atrasados. Nos 48 meses da nossa administração pagamentos 51 folhas salarias. Folha de dezembro, por exemplo foi paga no dia 18 do mês…

Quando nosso país foi golpeado pela pandemia e tivemos, não por nossa vontade, mas por uma necessidade daqueles primeiros meses que sequer conhecíamos esse vírus tão danoso, que decretar o fechamento do comércio e diversos setores da economia, sabendo que isto.

E isto foi uma grande vitória. Devido ao golpe nas receitas causado pela retração da economia  para SALVAR VIDAS, decretei a excepcionalidade esse ano do pagamento do décimo terceiro no mês de aniversário de cada servidor. O pagamento seria após a volta da normalidade econômica.

Num primeiro momento a projeção é de que não haveria receitas para pagar este benefício, mas mesmo a chegada de uma nítida 2ª onda que trouxe mais reflexos na economia, conseguimos honrar mais de 90% e ainda os aniversariantes dos 3 primeiros meses não tiveram nenhuma mudança. 

Ou seja, do ponto de vista da queda da arrecadação que houve, preservamos o máximo que a arrecadação permitiu , com as receitas do dia 30 e 31 que não puderam ser debitadas em contas de servidores pelo recesso bancário deixamos programado o pagamento de mais uma parte para hoje. 

Ignorar a pandemia e negar os sacrífico e os impactos na arrecadação para querer fazer politicagem neste momento é zombar da inteligência das pessoas. Vamos a outro ponto: recurso para obras, deixo só de recursos Finisa mais de R$ 100 milhões para obras.

Eu gostaria de ter recebido a Prefeitura há 4 anos atrás como estou entregando, com R$ 100 milhões para obras, além de convênio do Pro-Transporte que recuperamos. Esse reequilíbrio de Mossoró foi atestado e afirmado pelo Tesouro Nacional para liberar o Finisa.

Jamais pensei em decretar calamidade financeira pelas fortes perdas na economia e nas receitas, causadas pela pandemia, para não ter risco de perder recursos como o do Finisa e do Pró-Transporte, além de não afugentar investidores e empresas que queiram investir na cidade. 

Mas se um grupo ou alguém que chega ao Executivo deseja propagar isto, só posso torcer para que a cidade, apesar disso, continue atraindo empresas, investimentos, indústrias, embora eu tenha noção do quanto isso atrapalha. 

Uma coisa importante para qualquer cidade, não apenas para Mossoró e tão simples que sequer deveria ser uma sugestão. Para não apenas acessar o sistema administrativo, mas para começar uma administração: escolher e nomear um secretário de administração.

Só para finalizar: entrego com R$ 100 milhões de obras contratadas, um Finisa. Recebi com telefones da prefeitura cortados, postos da cidade se negando a vender combustível para veículos da prefeitura. Sem obras e apenas 1 ambulância na cidade, todas outras quebradas. 

 

Atualização encerrada às 00h48