Moro parabeniza Doria, que pede encontro

Governador de SP convida ex-ministro para conversa política

Moro parabeniza Doria, que pede encontro

Sergio Moro parabenizou João Doria pela vitória nas prévias tucanas e também cumprimentou Eduardo Leite “pelo bom combate”. Moro e Doria ficaram de se encontrar nas próximas semanas, após viagem do governador de São Paulo a Nova York.

Em entrevista mais cedo à CNN, o tucano disse que vai trabalhar para que a Terceira Via tenha um candidato único e deixou claro seu desejo de ser o nome a enfrentar Lula e Jair Bolsonaro.

Rachadinhas: 2ª Turma do STF julga na terça ações que podem arquivar caso de Flávio Bolsonaro

Gilmar Mendes libera processo para julgamento

O ministro Gilmar Mendes liberou para julgamento na Segunda Turma do Supremo Tribunal Federal (STF) duas ações que podem impactar as investigações do caso das rachadinhas na Assembleia Legislativa do Rio – que têm o atual senador Flávio Bolsonaro (Patriota-RJ) como um dos alvos.

Na próxima terça-feira (30), os ministros vão julgar:

  • um pedido da defesa de Flávio Bolsonaro para arquivar as investigações em razão de supostas irregularidades no processo;
  • uma ação do MP do Rio que questiona a decisão do Tribunal de Justiça fluminense que concedeu foro a Flávio Bolsonaro, enviado o processo para o Órgão Especial da corte.

Gilmar apresentou os processos para julgamento “em mesa”, ou seja, levou o caso direto ao plenário da Segunda Turma, sem inclusão prévia na pauta.

Segundo o Ministério Público, as chamadas rachadinhas eram o esquema segundo o qual assessores do gabinete de Flávio Bolsonaro, então deputado estadual, devolviam parte da remuneração que recebiam.

Na ação, que tramita sob sigilo, a defesa do parlamentar cita irregularidades que teriam sido cometidas durante as investigações. Entre elas, os relatórios produzidos pelo Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf) e compartilhados com o Ministério Público do Rio de Janeiro.

Em março, a Quinta Turma do Superior Tribunal de Justiça (STJ) considerou legal o compartilhamento com o MP do Rio de Janeiro dos dados reunidos pelo Coaf.

No pedido feito ao STF, a defesa do senador afirma que houve irregularidades na atuação do Coaf e do MP-RJ e que, por isso, todos os atos praticados a partir dos relatórios devem, segundo a defesa, ser considerados nulos.

Os relatórios do Coaf foram a base da investigação das rachadinhas. Mostraram indícios de que, no período em que Flávio Bolsonaro foi deputado estadual, funcionários dele devolviam parte dos salários que recebiam.

Fabricio Queiroz, ex-assessor de Flávio Bolsonaro, apareceu no documento com movimentação suspeita de R$ 1,2 milhão.

Os relatórios também ajudaram os promotores a investigar e identificar depósitos fracionados feitos em dinheiro vivo na conta de Flávio Bolsonaro e ainda uma série de transações imobiliárias suspeitas do senador.

Mandetta diz que União Brasil deve considerar apoio a Moro e nega desistência de sua candidatura

Ex-ministro concedeu entrevista nesta quinta-feira

Mandetta nega desistência de candidatura e diz que Bivar foi precipitado

Em entrevista à GloboNews, Luiz Henrique Mandetta (foto) foi questionado sobre a possibilidade de disputar a vice-presidência em uma chapa com Sergio Moro em 2022.

Sem responder diretamente à pergunta, o ex-ministro da Saúde afirmou que o apoio ao ex-juiz é uma alternativa que seu partido, a União Brasil, deve considerar.

“Acho que o partido deve sim considerar que ele é sim uma possível solução para levar a mensagem ao povo brasileiro.”

Mandetta disse enalteceu o trabalho de Moro como juiz e disse que costumava conversar com ele sobre propostas para 2022.

Tenho um respeito muito grande pela trajetória dele. É um brasileiro que enfrentou uma das missões mais duras da história do Judiciário no Brasil. […] Conversamos praticamente a cada 15 dias, eu ele e Amoêdo, em um grupo, discutindo o Brasil. Nosso pensamento de economia é muito similar.”

Como mostramos, Mandetta negou a informação divulgada por Luciano Bivar de que ele teria desistido de disputar a Presidência. Segundo o ex-ministro, o presidente do partido foi precipitado.

CANDIDATURA 

Na entrevista à GloboNews, Luiz Henrique Mandetta (foto) afirmou que não desistiu de disputar a Presidência em 2022como anunciado por Luciano Bivar mais cedo. O presidente do União Brasil disse que o ex-ministro da Saúde disputaria uma vaga no Senado ou na Câmara pelo Mato Grosso do Sul.

Mandetta afirmou que teve uma reunião com Bivar apenas para discutir possíveis cenários.

Acredito que ele deve tido uma outra interpretação e verbalizou dessa maneira. No Democratas, isso seria tratado ali dentro […] Eu nunca disse que seria candidato. A decisão não foi tomada. Continuo à disposição do partido, como sempre estive. Era uma reunião basicamente para fazer uma análise, preciptou-se em falar em desistência de campanha.”

O ex-ministro atribuiu a confusão a uma falta de entrosamento entre DEM e PSL, que formaram a União Brasil.

“Esse partido é uma fusão do DEM com o PSL. Toda essa discussão [sobre a candidatura] foi feita dentro do Democratas. Agora, o momento é de a gente conversar com essa fusão. Decidir se ela vai ter candidato próprio.”

Mandetta desiste de disputar o Planalto em 2022

Ex-ministro da Saúde, entusiasta da terceira via, era um dos presidenciáveis da União Brasil, partido resultante da fusão do DEM com o PSL

POR O ANTAGONISTA

Mandetta desiste de disputar o Planalto em 2022

Luiz Henrique Mandetta (foto) desistiu de disputar a Presidência da República em 2022 pela União Brasil, partido resultante da fusão entre a sua atual sigla, o DEM, e o PSL.

O comunicado foi feito à cúpula do novo partido em reunião nesta semana, segundo políticos presentes.

Mandetta era o último presidenciável nesse grupo político, uma vez que Rodrigo Pacheco trocou o DEM pelo PSD e José Luiz Datena deixou o PSL e deve concorrer a algum cargo em São Paulo também pelo PSD.

Luciano Bivar, como registramos, disse a O Antagonista que Mandetta vai disputar uma vaga na Câmara ou no Senado pelo Mato Grosso do Sul.

Bivar insiste que a União Brasil terá candidatura própria, mas as lideranças da nova legenda têm conversado com o Podemos (Sergio Moro), com o MDB (Simone Tebet) e com o PSDB (Eduardo Leite e João Doria).

O Antagonista entrou em contato com Mandetta, mas ainda não teve retorno. O ex-ministro da Saúde deixou o governo Bolsonaro logo no início da pandemia e, desde então, era colocado como presidenciável e um dos principais articuladores da chamada terceira via.

Santos Cruz na sigla de Moro ameaça arruinar imagem “militar” de Bolsonaro

O general Carlos Alberto Santos Cruz se filiou hoje ao Podemos

POR THAÍS OYAMA

Uol.com.br

Imagem

A entrada do militar no partido do ex-juiz Sergio Moro, hoje rival político de Jair Bolsonaro, representa para o ex-capitão uma simbologia e uma ameaça.

Santos Cruz é o único general brasileiro que foi à guerra. Em 2013, ele liderou no Congo a primeira missão da história da ONU de caráter ofensivo (com licença para matar). Comandou 22 mil capacetes azuis numa experiência que mudou os parâmetros de ação da organização e resultou num manual batizado com seu nome, o “Santos Cruz Report”.

Em 2019, o militar resolveu emprestar suas estrelas ao nascente governo Bolsonaro. Quatro outros generais da reserva fizeram o mesmo: Augusto Heleno, Fernando Azevedo e Silva, Eduardo Villas Bôas e o vice-presidente, Hamilton Mourão.

À exceção de Heleno, todos os demais ou deixaram o governo ou se distanciaram de Bolsonaro, num processo que refletiu a degradação da relação do presidente com os militares em geral, sobretudo os do Exército.

Agora, a ida de Santos Cruz para o partido de Moro simboliza algo mais que o esfriamento da relação entre Bolsonaro e as Forças Armadas: significa a passagem de um general respeitado e influente para a trincheira oposta à do ex-capitão. E o general entra em campo disposto a abrir fogo.

Em conversa com esta coluna, Santos Cruz, habitualmente discreto, não poupou munição contra Bolsonaro, que, segundo ele, “não possui nenhuma característica militar, como o respeito à hierarquia, disciplina e lealdade”; projetou uma fotografia “grotesca” do Brasil no exterior; “fez tudo para desmoralizar a direita” e causou “um prejuízo incalculável para a imagem das Forças Armadas”.

Bolsonaro e seus “super heróis do Whatsapp”, afirmou Santos Cruz, apenas fingem ser patriotas. “Patriota são os que unem o país, não esse bando de loucos”.

O militar ainda irá decidir se disputará uma vaga na Câmara ou no Senado. É certo, porém, que discursará com gosto nos comícios de Moro.

Será uma das primeiras vezes que um general falará num palanque o que há muito a categoria diz de Bolsonaro na surdina — e isso inclui aliados tão próximos do presidente quanto o general Heleno.

Em agosto de 2018, num encontro que reuniu o então candidato Jair Bolsonaro e uma dúzia de empresários pesos-pesado de São Paulo na casa do ex-secretário de governo Fabio Wajngarten, o general Heleno foi flagrado por um dos presentes no momento em que, comentando com um interlocutor desconhecido a performance do ex-capitão junto à plateia, disse dele coisas pouco lisonjeiras, entre as quais a de que era “muito despreparado”. A conversa, que Heleno não percebeu estar sendo gravada e filmada por celular, chegou ao presidente, que na época decidiu relevá-la.

A filiação de Santos Cruz ao Podemos é para Bolsonaro um marco simbólico e mal-vindo. Mas representa para o ex-capitão também uma ameaça: a de se ver despido das credenciais militares que nunca teve, só que agora em público.

 

“Nossa liderança tem que ser liberal na economia e apaixonada pelas causas sociais”

A afirmação foi feita por Santos Cruz durante o evento da sua filiação ao Podemos; segundo ele, país tem profundas desigualdades sociais

“Nossa liderança tem que ser liberal na economia e apaixonada pelas causas sociais”

Santos Cruz (foto, em pé) afirmou há pouco, durante o evento de sua filiação ao Podemos, que o líder do país tem que ser liberal na economia e apaixonado pelas causas sociais. Segundo ele, o Brasil é um país com profundas desigualdades que precisam ser reduzidas.

“Nossa liderança tem que ser liberal na economia e apaixonado pelas causas sociais”, disse.

O ex-ministro de Bolsonaro declarou que os investimentos em educação são essenciais para melhorar a vida das gerações futuras, para que tenham condições de prosperar.

“Já aprendi que na política eu tenho muito mais que ouvir do que falar”, diz Moro

A afirmação do ex-juiz, possível candidato do Podemos à Presidência da República, foi feita durante filiação de Santos Cruz ao partido

“Já aprendi que na política eu tenho muito mais que ouvir do que falar”, diz Moro

O ex-juiz Sergio Moro, possível candidato à presidência da República pelo Podemos, afirmou há pouco que tem se preocupado em ouvir especialistas e cidadãos com credibilidade para construir um projeto para recuperar o país. Segundo ele, a filiação de Santos Cruz ao partido ajudará na formulação de políticas públicas para reduzir as desigualdades do país.

“Já aprendi que na política tenho muito mais que ouvir do que falar. E fazer isso com humildade. O ato de hoje representa também um retrato para o que queremos do nosso projeto. Um projeto com base em ideias, objetivos a serem traçados claramente com especialistas, com a população e, acima de tudo, com pessoas de credibilidade”, disse.

MORRE HEVERTON CÂNDIDO

LUTO

Pode ser uma imagem de 8 pessoas, pessoas em pé e ao ar livre

 

Mossoró de luto.

Morreu o ator-=bailarino, Heverton Cândido.

Ele foi encontrado morto em sua residência.

Amigos revelam que ele estaria em depressão.

Descanse em paz, amigo.

Que Deus conforte sua família.

Sindilojas informa horário de funcionamento do comércio para Black Friday e Final de Ano

Calendário

O Sindilojas divulgou nesta quinta-feira (25) os horários do comércio em shoppings centers, galerias comerciais e os comércios de rua para o chamado Ciclo Natalino em Mossoró, além do período que compreende a Black Friday e o final de ano.

Como funcionará o comércio em shoppings centers, galerias comerciais e o comércio de rua:

26 e 27 de novembro, das 9h às 22h

19 de dezembro, das 10h às 22h

20 a 23 de dezembro, das 10h às 23h

Nas vésperas de Natal e Réveillon, o comércio abrirá da seguinte forma:

24 de dezembro, até às 19h

31 de dezembro, até as 18h

Os demais dias terão os horários já praticados pelas empresas, sem a necessidade de regulamentação pelo Sindilojas. A decisão dos horários foi negociada entre o Sindilojas RN, que representa os empresários potiguares, filiado à Fecomércio/RN, e o Sindicato Intermunicipal do Empregados do Comércio do Rio Grande do Norte, por meio de um aditivo da Convenção Coletiva 2021-2022.

Moro contra os extremos

Entrevista

Moro contra os extremos

Sergio Moro, em entrevista ao Portal B, descascou Lula e Jair Bolsonaro:

“Qual o projeto do governo federal hoje? O que ele quer? A única coisa que as pessoas percebem é o desejo de reeleição (…). Temos o outro extremo que é fundado em esquemas de corrupção. Tudo que aconteceu de errado entre 2014 e 2016 começou no governo Lula”.

Ele disse também:

“Quando se vê Lula elogiando ditaduras como a Nicarágua é uma preocupação. Do outro lado, o que se vê é o presidente agredindo jornalistas, principalmente mulheres. Precisamos respeitar as pessoas”.

Sobre seu crescimento nas pesquisas, ele comentou:

“Tem sido um bom início mas há um longo chão pela frente. Temos que fazer nossa lição de casa e é importante ter alternativas em relação a esses extremos”.

Foi o que Sergio Moro fez durante toda a entrevista, mantendo a mensagem (certeira) de que é contra os extremos e apresentando-se como o oposto do desastre lulista e do desastre bolsonarista.