Secretarias vão realizar programação alusiva ao Dia Internacional da Mulher para servidoras nesta sexta (08)

Trabalho de conscientização da mulher é uma das ações programadas 

Pensando em proporcionar um momento especial para as mulheres que trabalham no Centro Administrativo Prefeito Alcides Belo, as secretarias de Saúde, Desenvolvimento Social, Educação e Cultura vão realizar uma manhã de atividades para as servidoras nesta sexta-feira (08) em comemoração ao Dia Internacional da Mulher. A programação vai começar a partir das 7h30 com ações de meditação, oficina de automassagem, sala sensorial, dança e um lanche coletivo no fim da manhã.

A coordenadora de Saúde da Mulher, Suiann Costa, explica que esses momentos são importantes para as servidoras porque vão motivá-las a se sentirem melhores, o que reflete no atendimento da população. “A gente precisa cuidar de quem cuida. A gente precisa parar e olhar mais para o servidor enquanto pessoa que diante das atribuições diárias precisa desses cuidados e desse olhar. Certamente a partir disso a gente consegue fazer nossas atividades de forma mais plena, porque quando estamos bem o acolhimento vai ser muito melhor para a sociedade e assim vamos poder emanar boas energias.”, explica Suiann.

O Centro de Referência da Mulher (CRM), que faz parte da Secretaria do Desenvolvimento Social e Juventude, fará um trabalho de conscientização sobre violência contra a mulher e os serviços oferecidos no equipamento. A SMDSJ também fará participação com atividades físicas voltadas às mulheres servidoras do Centro Administrativo e ao público feminino do local.

Já a Secretaria Municipal de Cultura ficou responsável pela decoração do Centro Administrativo, pela recepção do público e pela realização de inserções culturais durante a programação.

Governo do RN incentiva protagonismo de mulheres no campo por meio do projeto Governo Cidadão

Projeto Cidadão desenvolve ação em parceria com o Banco Mundial

Empoderar mulheres em todas as atividades da sociedade é o caminho para diminuir a desigualdade de gênero. É isso que o Governo do Estado, por meio do projeto Governo Cidadão e Banco Mundial, vem fazendo no Rio Grande do Norte através de ações de economia solidária e inclusão produtiva, que tem levado as mulheres do campo a uma posição de protagonistas da própria vida. Elas estão plantando, produzindo, confeccionando e comercializando seus produtos, ganhando autonomia, espaço e voz em casa e no trabalho.

“O Governo Cidadão planta sementes de empoderamento que irão redesenhar o cenário da mulher potiguar no futuro. Hoje muitas delas contam com a própria renda e não dependem de seus maridos. O RN agora tem milhares de mulheres com um ofício, com água na torneira, com produção para gerir, são empreendedoras, têm dignidade. Quase 54% dos beneficiados do projeto são do sexo feminino e 43% das associações são lideradas por mulheres. Em 19 delas, as mulheres somam 100% dos beneficiários”, destaca a governadora Fátima Bezerra.

É esta dignidade que está sendo levada pelas mais de 400 ações em desenvolvimento em todo o Estado como, por exemplo, na Associação do Sítio de Mansidão, em Apodi, favorecida com a implantação de uma agroindústria para o processamento de frutas tropicais para a produção de polpas.

“O Projeto Governo Cidadão chegou para nos trazer mais força, mostrando que somos capazes de ultrapassar as dificuldades inerentes à nossa luta. Mas nem sempre foi assim. Em nosso ‘Grupo de Mulheres em Busca de Igualdade’ tínhamos colegas que eram oprimidas pelos maridos, por suas famílias – achando tudo normal –, e hoje reconhecem essa repressão, sabem se defender, lutam por sua própria renda e repassam a importância da autonomia das mulheres para as gerações posteriores”, contou a presidente da associação, Maria Osana, destacando ainda que esse empoderamento a faz enxergar um futuro lindo, sólido, quando entrarão no grande mercado, prontas para competir de igual para igual com grandes empresas.

A gerente executiva do Governo Cidadão, Ana Guedes, destaca ainda que priorizar o desenvolvimento de habilidades aliado à inclusão social vem fazendo toda a diferença na vida de milhares de pessoas. Possibilitando que os jovens, outro grupo prioritário para o projeto, não precisem sair da Zona Rural para que tenham oportunidades. “Essas mulheres estão se empoderando, ampliando seus horizontes e gerando emprego e renda onde moram. É uma mudança significativa na vida dessas famílias”, registra Ana.

(RE)TWITTANDO

ALEXANDRE GARCIA 

A tática da tirania: fazer a cabeça dos jovens na escola; enfraquecer o estado pela corrupção; destruir a célula da nação, que é a família; criar diferenças entre irmãos; evitar a resistência pelo desarmamento civil. Aí, o que sobra, para garantir a liberdade e a democracia?

Quadrilhas explodem bancos e Correios em duas cidades do RN nesta madrugada

Os ataques ocorreram nos municípios de São José de Mipibu e Marcelino Vieira

Quadrilhas atacaram quatro bancos e uma agência dos Correios na madrugada desta sexta-feira, 8, em dois municípios do Rio Grande do Norte. O primeiro ataque ocorreu por volta das 2 horas e o segundo poucos minutos depois.

O bando explodiu as agências do Bradesco, do Banco do Brasil e da Caixa Econômica Federal em São José de Mipibu. Já em Marcelino Vieira, na região Oeste, os alvos foram o Bradesco e os Correios. Os bandidos ainda atiraram contra a base da Polícia Militar.

Ainda não se sabe os valores levados nas duas cidades. Os criminosos ainda atearam fogo em veículos. Ninguém foi preso.

Vídeos que circulam em grupos de whatsapp mostram os bandidos em fuga e atirando.


Fonte: Defato.com

LIVE: JAIR BOLSONARO

PRESIDENTE DA REPÚBLICA VOLTA AO FACEBOOK 

O presidente da República, Jair Bolsonaro voltou a se comunicara com seu eleitorado através do Facebook.

Na noite desta quinta-feira, 7, ele retomou a realização de LIVE.

Confira:

Tese defendida na Ufersa aponta alternativas para o setor salineiro do RN

Professor Rogério Taygra Vasconcelos Fernandes, apresenta uma alternativa intermediária

O Professor Doutor da Universidade Federal Rural do Semi-Árido, Rogério Taygra Vasconcelos Fernandes, apresenta uma alternativa intermediária para o conflito dos produtores de sal do Rio Grande do Norte com os órgãos de proteção ambiental. As informações são da assessoria de comunicação.

A tese “atividade salineira em manguezais: impactos ambientais e reflexos econômicos da recuperação ou compensação ambiental das áreas degradadas” traz à tona um problema antigo que vem atormentando os produtores de sal da Costa Branca do Rio Grande do Norte, conhecida também como território salineiro onde se concentra as principais indústrias salineiras do país, englobando os municípios de Grossos, Areia Branca, Mossoró, Porto do Mangue, Macau e Galinhos. Ela foi defendida junto ao Programa de Pós-Graduação em Ciência Animal, da Ufersa, com a orientação do professor José Luís Costa Novaes.

Mesmo sendo uma das principais atividades econômicas da região, a atividade salineira atravessa uma crise nunca vista. “É consenso entre os produtores que a atividade enfrenta hoje a pior crise, sendo de extrema urgência a adoção de novas práticas produtivas e comerciais”, afirma o professor Rogério Taygra. São dois os principais problemas enfrentados pelo setor. Um do ponto de vista econômico, ocasionado pela baixa no preço do sal decorrente da seca e a concorrência com o sal chileno, e o outro ligado a questão ambiental.

A principal questão envolve a ocupação das chamadas Áreas de Preservação Permanente – as APP – que são áreas que na sua grande maioria foram ocupadas antes da existência da legislação ambiental e hoje são proibidas de exploração. Para o professor Rogério Taygra é esse o principal conflito vivenciado pelo setor. De um lado, a legislação ambiental que proíbe a exploração do sal pela relevância ecológica e social dos manguezais e, do outro, as salinas que ocupam esses espaços há séculos. “A lei diz que esses espaços devem ser restituídos para a preservação ambiental”, frisa.

Diante dessa questão polêmica, o professor decidiu aprofundar os estudos da questão na sua pesquisa de doutorado. Segundo ele, o interesse pelo tema começou ainda na graduação, em 2008. “Nos últimos anos pude conhecer as dificuldades e potencialidades que o setor possui e, mais recentemente, acompanho à escalada do conflito envolvendo as questões ambientais do setor salineiro”, considerou. O professor acredita que a Universidade pode contribuir para a solução desse problema ao justificar a escolha dele na pesquisa de doutorado.

Para o professor Rogério Taygra o assunto é complexo, pois tanto os salineiros quanto os órgãos ambientais possuem razão em seus argumentos com motivações para seus posicionamentos. Para os salineiros, a desocupação dessas áreas poderão gerar impactos econômicos significantes, com reflexos na redução da arrecadação e da necessidade de trabalhadores, o que resultaria em sérios prejuízos socioeconômicos para as cidades onde as salinas se encontram.

Já os órgãos ambientais entendem que a lei deve ser aplicada independente da ocupação destas áreas uma vez que as áreas de Preservação Permanente são patrimônio natural e desempenham diversas funções ecológicas, como a redução da erosão costeira, captura e neutralização de poluentes, além de servir para a reprodução de múltiplas espécies marinhas, estuarias e dulcícolas (ambientes de água doce). Outro argumento dos ambientalistas se refere à importância econômica e social visto que são áreas usadas pera a pesca por populações da região.

SOLUÇÃO – Para o professor Rogério Taygra a questão não se trata de mostrar que tem razão ou quem perde ou ganha nesse conflito entre os salineiros e os órgãos de proteção ambiental. Mas buscar alternativas para a conciliação. “Na minha pesquisa estudamos os diversos cenários para a solução do conflito, que foram desde a desocupação total das APP, atualmente ocupadas pelas salinas, até a manutenção da situação atual, identificando qual seria o respectivo impacto econômico, e quais os reflexos ambientais”, revelou. O estudo mostrou que os dois cenários apontados resultam em impactos econômicos negativos.

Na sua pesquisa, o professor aponta uma alternativa intermediária consistindo na “desocupação de algumas áreas de APP, que trariam menor prejuízo econômico para os produtores de sal, e se manteriam as áreas de maior capacidade produtiva”. Segundo Rogério Taygra, neste cenário o estuário do rio Apodi/Mossoró quase triplicará as áreas conservadas, além de possibilitar aumento na geração de renda por meio da produtividade pesqueira. “Assim, teremos compensado os prejuízos econômicos provocados pela redução da área produtora do sal”, aponta o professor.

A alternativa apontada pela pesquisa para as áreas de preservação permanente é a de optar por medidas de compensação ambiental, bem como na cobrança pelo uso da terra. “Esse recurso arrecadado seria revertido para a manutenção de unidades de conservação, pesquisas na área de conservação ambiental e desenvolvimento sustentável, bem como ações voltadas para as comunidades tradicionais da região”, afirmou.

WORKSHOP – O professor Rogério Taygra acredita que a Universidade tem papel fundamental nesse processo uma vez que “a pesquisa científica pode propor soluções que ainda não são vislumbradas pelos atores envolvidos no conflito”. Para abordar o tema, a Universidade Federal Rural do Semi-Árido vai promover nessa sexta-feira, 08 de março, o II Workshop Indústria Salineira em Foco, no Auditório da Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação, localizado no Lado Leste do Campus Sede, em Mossoró. Na oportunidade, serão proferidas palestras que vão embasar a discussão de temáticas relacionadas à produção do sal no Rio Grande do Norte.

O professor Rogério Taygra será o primeiro palestrante do Workshop quando irá abordar a partir das 9h30, o tema: Salinas e manguezais: razões do conflito e caminhos para a conciliação. Às 10h, o palestrante será o professor Marcelo Tavares, com o tema: Atributos químicos e físicos do solo da planície hipersalina do estuário do Rio Apodi-Mossoró. As 10h30, o professor Francismar de Medeiros, abordará o tema: Viabilidade agroambiental do uso de resíduos provenientes da indústria salineira potiguar e, as 11h, o professor Clodomiro Alves Júnior, encerra o ciclo de palestras com o tema: Prospecção de tecnologias para a cadeira produtiva do Sal.

O Workshop prosseguirá à tarde, a partir das 14h, com uma Reunião Técnica sobre a aplicação de tecnologias na cadeia produtiva do sal. O Workshop é voltado para qualquer pessoa interessada em aprofundar os conhecimentos sobre a indústria salineira.

 

Após chuvas de fevereiro e março, nível de água da maior barragem do RN sobe 9%

Nível da Barragem Armando Ribeiro aumentou 34cm 

Parede da Barragem Armando Ribeiro Gonçalves, maior reservatório do RN, em 2018 — Foto: Bruno Andrade

O nível da barragem Armando Ribeiro Gonçalves, maior reservatório de água do Rio Grande do Norte, que fica em Itajá, na região Oeste, subiu 9% do dia 21 de fevereiro até esta quarta-feira (6), período em que aumentaram as chuvas no estado.

Ao todo, o nível da água na barragem aumentou 35 cm, o que corresponde a um volume de 19,7 milhões de metros cúbicos de água. Os dados são do Departamento Nacional de Obras Contra a Seca (Dnocs), que administra o local.

A barragem Armando Ribeiro Gonçalves é a maior do Rio Grande do Norte. Ela passou a ter, após as chuvas de fevereiro e março, 495,7 milhões de metros cúbicos de água, o que representa 20,66% da sua capacidade. Antes desse período chuvoso, a barragem tinha 11,33% da sua capacidade ocupada – 9% a menos. A Armando Ribeiro Gonçalves suporta, ao todo, 2,4 bilhões de metros cúbicos de água.

Construído em 1983, o reservatório de água é responsável pelo abastecimento de 35 municípios e atende uma população de quase meio milhão de pessoas.

Fonte: G1/RN

Começa prazo para participar da lista de espera do ProUni

Quem se inscreveu mas ainda não garantiu uma bolsa pode se manifestar

Começa hoje (7) o prazo para participar da lista de espera do Programa Universidade para Todos (ProUni). Aqueles que se inscreveram no programa, mas ainda não garantiram uma bolsa de estudos nas instituições particulares de ensino, podem manifestar interesse, na página do programa, até amanhã (8).

A lista de espera vale apenas para os cursos indicados na hora da inscrição. Cada participante pôde escolher até duas opções.

Podem participar da lista de espera, apenas para a primeira opção de curso, aqueles estudantes que não foram selecionados nem na primeira, nem na segunda chamada regular do programa. Aqueles que foram selecionados na segunda opção, mas cuja turma não foi formada, podem também se inscrever apenas para a primeira opção de curso.

Podem participar da lista de espera para a segunda opção de curso apenas aqueles cuja turma da primeira opção não foi formada, independentemente de terem sido selecionados nas chamadas regulares.

A relação dos candidatos participantes da lista de espera estará disponível para consulta pelas instituições no dia 11 de março.

Todos os candidatos da lista de espera terão que comparecer às respectivas instituições de ensino nas quais estão pleiteando uma vaga, para apresentar a documentação que comprove as informações prestadas na inscrição. O prazo para que isso seja feito é de 12 a 13 de março.

ProUni

Ao todo, 946.979 candidatos se inscreveram na primeira edição do ProUni deste ano, de acordo com o Ministério da Educação. Como cada candidato podia escolher até duas opções de curso, o número de inscrições chegou a 1.820.446.

Nesta edição são ofertadas 243.888 bolsas de estudo em 1.239 instituições particulares de ensino. Do total de bolsas, 116.813 são integrais e 127.075, parciais, de 50% do valor das mensalidades.

O ProUni concede bolsas de estudo integrais e parciais em cursos de graduação e sequenciais de formação específica, em instituições privadas de educação superior. Em contrapartida, o programa oferece isenção de tributos às instituições que aderem ao programa.

Os estudantes selecionados podem pleitear ainda Bolsa Permanência, para ajudar nos custos dos estudos, e usar o Fundo de Financiamento Estudantil (Fies) para garantir parte da mensalidade não coberta pela bolsa do programa.

 

URGENTE: LAVA JATO IDENTIFICA CONTATOS DE ALOYSIO COM GILMAR E PEDE SUSPEIÇÃO DO MINISTRO

OFÍCIO FOI ENCAMINHADO A RAQUEL DODGE 

A Lava Jato encaminhou à PGR pedido de suspeição do ministro Gilmar Mendes nas investigações envolvendo Paulo Preto e o ex-senador Aloysio Nunes Ferreira.

No ofício encaminhado a Raquel Dodge, a força-tarefa anexou extratos de ligações e mensagens que indicam intensa articulação entre o advogado José Roberto Santoro, o ex-senador Aloysio Nunes, o ex-ministro Raul Jungmann e o ministro do STF Gilmar Mendes.

Mendes acabou por conceder o habeas corpus, o que foi motivo de comemoração entre os interlocutores.

page6image2634316336
page9image2634586624
page9image2634586912
page10image2606630272
page11image2635652608
page11image2635653024

 

PUREZA – ASSALTANTES FAZEM ARRASTÃO EM RESIDÊNCIA, FOGEM E DEPOIS VOLTAM COM O CORPO DE UMA MULHER

CRIME OCORREU NA MADRUGADA DESTA QUARTA-FEIRA

Criminosos invadiram uma residência na madrugada desta quarta-feira (6) na zona rural do município de Pureza, distante 65 quilômetros de Natal, e fizeram um arrastão no local. Os bandidos ainda tentaram levar o dono da casa como refém, mas ele conseguiu fugir. Os bandidos foram embora, mas depois voltaram e deixaram sobre a cama de casal o corpo de uma mulher seminua. A mulher, que foi assassinada a tiros, ainda não foi identificada.

O crime aconteceu por volta das 2h, na comunidade de Bebida Velha, momento em que quatro homens chegaram à propriedade. Dois deles entraram na residência e fizeram toda a família refém. A mulher do dono da casa, os filhos, a sogra e netos foram trancados em um cômodo.

“Os criminosos ainda colocaram o dono da casa dentro do carro da família, mas ele conseguiu fugir. Então, os bandidos foram embora levando o carro, que é um veículo modelo Classic, duas TVs, celulares e uma caixa de som amplificada”, contou o sargento da PM Sebastião Galdino.

Ainda de acordo com o sargento, dois dos quatro bandidos voltaram pouco tempo depois. “Voltaram no carro em que eles estavam, e procuraram pelo dono da casa, que havia escapado. Só que ele e a família já haviam deixado a casa e estavam escondidos em algum outro lugar. Foi quando os assaltantes roubaram uma moto de um vizinho e foram novamente embora. Passou mais um tempo e eles retornaram à comunidade e deixaram a moto que haviam levado. Ninguém sabe por qual motivo. E mais uma vez foram embora”, acrescentou Galdino.

Por fim, o sargento contou que os vizinhos entraram na casa da família assaltada para ver o estrago que os bandidos haviam feito. Foi quando encontraram o corpo de uma mulher sobre a cama de casal. A mulher morta, que ninguém na região sabe quem é, estava seminua e coberta com um lençol. Havia marcas de tiros no rosto, nas costas e um dos braços estava quebrado.

“Também encontramos um preservativo dentro do quarto, mas só a perícia técnica poderá afirmar se também houve violência sexual”, complementou Galdino.

O carro do dono da casa ainda não foi encontrado. O caso será investigado pela Polícia Civil.

Por: G1RN.