Presidente da Assembleia de Deus pede votos para candidaturas de evangélicos

Pastor Martim: “Alguns dos nossos irmãos estão pleiteando uma cadeira na assembleia e câmara; eles professam a nossa fé”

5Y45Y45YYYYY

A Igreja Católica não foi a única a mandar artigo para seus adeptos. No Boletim Semanal da Igreja Evangélica Assembleia de Deus no RN, o pastor presidente Martim Alves da Silva, também escreve falando sobre política e, dentre outras declarações, ressalta candidatura de evangélicos que disputam na Assembleia Legislativa e Câmara Federal, em Brasília. Sobre a disputa pelo Governo do Estado não há qualquer comentário.

“Não devemos escolher representantes para defender a Igreja, quem faz isso é Jesus que já morreu por ela. Devemos escolher como nossos representantes, principalmente os legisladores, homens e mulheres que tenham compromisso com as Sagradas Escrituras e que tenham bom testemunho na família, na igreja, na política”, afirmou o pastor presidente, acrescentando, em seguida, a candidatura dos irmãos.

“Alguns dos nossos irmãos estão pleiteando uma cadeira na assembleia legislativa e na câmara federal; eles professam a nossa fé, têm a Bíblia como regra de fé e prática, e certamente, eleitos, defenderão projetos que visem melhorar a vida da sociedade sempre observando os preceitos bíblicos”, apontou ele no texto, sem citar nomes.

Apesar de não serem falados, é público que os principais nomes evangélicos na disputa são o do ex-vereador Adenúbio Melo e do atual vereador Jacó Jacome, candidatos a deputado estadual; e o de Antônio Jácome, candidato a deputado federal. “Portanto, quero aconselhar aos meus amados irmãos, membros e congregados da nossa IEADERN, que na hora de exercerem o seu legítimo dever de votar procurem saber se o candidato que você está escolhendo é uma pessoa que tem compromisso com Deus, se a vida dele é pautada pelos valores cristãos, se os seus valores de família estão de acordo com a Bíblia Sagrada”, acrescentou o pastor, num claro pedido de voto aos evangélicos.

“Só assim podemos acreditar, que o nosso representante poderá defender, nos plenários das casas legislativas, os interesses da família e da sociedade conforme o projeto divino”, afirmou Martim Alves da Silva, alertando também para o fato da “decisão de escolher um candidato é individual. Porém, as consequências virão de forma que afeta toda a coletividade”.

Fonte: www.jornaldehoje.com.br

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

3 × 3 =