Só Cristo Salva!

Reflexão

Mensagem de abertura da coluna Só Cristo Salva, do jornal Gazeta do Oeste, deste sábado, 19, assinada pela radialista-jornalista, Michele Fonseca:

“Eu Sou a Vida”

Não obstante os avanços indescritíveis da ciência, nenhum cientista consegue definir o que é a vida. Muito menos os biólogos, em que pese arriscarem que vida é um fenômeno que anima a matéria. Etimologicamente vida – do latim vita – encerra um conceito de variadas definições. Metafisicamente, a vida é um processo constante de relacionamentos. E, por mais que abordemos questões como a origem da vida na terra, a perspectiva de vida extraterrestre, ou ainda o conceito de vida artificial, menos claro torna-se para o ser humano o seu real conceito. Independentemente de qual seja a definição utilizada; se a do positivismo, dos bioquímicos, ou a de Stuart Kauffman – para quem a vida é como um sistema de agentes autônomos; ou mesmo a de Robert Pisig, segundo a qual vida é tudo o que maximiza o seu leque de possibilidades futuras. Nem mesmo a genética. E, por mais se esquadrinhe o processo de metabolismo ou que se multiplicasse o DNA, ainda assim, a controvérsia persistiria. Nem ao menos os gregos antigos, que enxergavam vida em quase tudo que os cercavam e, que buscavam explicações para tudo, alcançaram uma definição plausível. Assim é com os humanos, de Blaise Pascal ao mais rombudo dos homens. Todavia, a síntese de toda essa complexidade foi proferida por Jesus, quando em um dos mais fortes e incisivos enunciados já formulados em linguagem falada sentenciou: “Eu sou… a vida”. (Jo 14:6).

Fonte: Coluna Só Cristo Salva da Gazeta do Oeste

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

2 + dois =