Fogueiras e festejos juninos seguem proibidos por decreto no Rio Grande do Norte

Decisão do Governo

A realização de festejos juninos e o acendimento de fogueiras continuam proibidos no Rio Grande do Norte por causa da pandemia.

proibição foi determinada em decreto de junho de 2020 e, embora alguns artigos do documento tenham sido revogados, este continua em vigor.

“Fica proibida a realização de quaisquer atos que configurem festejos juninos no Estado do Rio Grande do Norte, incluindo o acendimento de fogueiras e fogos de artifício, de modo a diminuir as ocorrências de queimaduras e de síndromes respiratórias nos serviços de saúde públicos e privados”, diz a publicação.

O Rio Grande do Norte registra até a última quinta-feira (10) 278.163 casos confirmados e 6.405 mortes por Covid.

Bolsonaro entra em avião para cumprimentar passageiros, é xingado e diz que quem o hostilizou devia andar de jegue

Passageiros chamam presidente de “genocida”

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) foi vaiado e xingado ao entrar em um avião para cumprimentar passageiros nesta sexta-feira (11) no aeroporto de Vitória, no Espírito Santo.

O presidente foi ao estado para uma cerimônia de entrega de casas populares.

Ao chegar ao aeroporto de Vitória, Bolsonaro entrou em um avião da Azul prestes a decolar para Campinas. Um vídeo gravado por uma passageira permite ouvir ao menos três pessoas aos gritos de “Fora, fora, fora Bolsonaro” e “genocida”. Veja acima.

Crusoé: ‘o aloprado’ de Jair Bolsonaro

Outro crime do presidente

O auditor do TCU que criou um documento paralelo, falseando os números de mortes por Covid, enreda Bolsonaro numa possível operação para aliviar a barra do presidente na CPI

A reportagem de capa da nova edição da Crusoé compara o caso envolvendo a elaboração do ‘relatório paralelo’ sobre óbitos de Covid, pelas mãos do auditor do TCU Alexandre Marques, com o ‘escândalo dos aloprados’ do PT, em 2006. “Lançar uma cortina de fumaça sobre o número real de óbitos por Covid no país seria mais do que conveniente à narrativa de um presidente fustigado por uma CPI e cuja popularidade derrete.”

“Ocorre que, embora Bolsonaro tenha tentado conferir ao relatório ares de documento oficial do TCU, o material é uma mistureba de análises pessoais do auditor com trechos de um acórdão do tribunal que versava sobre critérios para transferência de recursos aos estados, com base em dados de óbitos por Covid declarados pelas Secretarias Estaduais de Saúde. A montagem jamais foi chancelada pela corte, conforme o TCU afirmou e reiterou ao longo da semana ao menos três vezes. É aí que as coisas começam a se complicar para Bolsonaro”, diz a revista.

Anvisa autoriza vacina da Pfizer contra Covid-19 para adolescentes a partir dos 12 anos

Bula da vacina passará a indicar nova faixa etária

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) autorizou, nesta sexta-feira (11), o uso da vacina da Pfizer contra a Covid-19 em adolescentes a partir dos 12 anos de idade no Brasil.

Agora, a bula da vacina no país passará a indicar esta nova faixa etária; antes, ela só podia ser aplicada em adolescentes a partir dos 16 anos. A vacina é a única que pode ser aplicadas em menores de 18 anos no Brasil.

Segundo a Anvisa, a ampliação da idade em adolescentes foi aprovada depois de a Pfizer apresentar estudos que indicaram a segurança e eficácia da vacina para este grupo. Os estudos foram desenvolvidos fora do Brasil e avaliados pela agência.

Nos Estados Unidos e na Europa, a Pfizer está testando sua vacina em bebês a partir dos 6 meses de idade e em crianças com 11 anos ou menos.

CPI aprova quebra de sigilos de Pazuello, Ernesto Araújo e de secretários do Ministério da Saúde

Requerimentos aprovados atingem vários alvos

A Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Covid-19 aprovou nesta quinta-feira (10) uma série de requerimentos que pediam a transferência do sigilo telefônico e telemático de alvos da investigação. Também foram aprovadas as transferências de sigilo bancário e fiscal de empresas de publicidade.

A transferência do sigilo telefônico inclui o registro e a duração de todas as ligações feitas e recebidas conforme período delimitado pelos senadores.

Já a transferência do sigilo telemático solicita o envio de uma série de informações, entre elas cópias do conteúdo armazenado, lista de contatos, cópia de e-mails e localizações de acesso à conta.

Entre os que tiveram o sigilo quebrado estão o ex-ministro da Saúde Eduardo Pazuello, o ex-ministro das Relações Exteriores Ernesto Araújo, o empresário bilionário Carlos Wizard, a coordenadora do Programa Nacional de Imunização (PNI), Francieli Fontana Fantinato, e o auditor do Tribunal de Contas da União (TCU) Alexandre Figueiredo Marques, apontado como autor de uma nota falsa sobre a quantidade de óbitos por Covid-19.

A CPI também aprovou a quebra de sigilo fiscal e bancário de empresas de publicidade. A ação visa apurar o disparo de mensagens em massa com conteúdos falsos sobre o combate à Covid-19 e quem teria financiado a propagação de Fake News.

A CPI ainda solicitou às empresas cópia dos contratos firmados com outras pessoas físicas e jurídicas, comprovante dos serviços, notas fiscais e detalhamento de contratos.

Foi aprovada a transferência do sigilo telefônico e telemático de:

  • Filipe Martins, assessor internacional da Presidência da República;
  • Ernesto Araújo, ex-ministro das Relações Exteriores;
  • Eduardo Pazuello, ex-ministro da Saúde;
  • Carlos Wizard, empresário;
  • Zoser Hardman, ex-assessor especial do Ministério da Saúde;
  • Túlio Silveira, representante da Precisa Medicamentos;
  • Paolo Zanotto, biologista;
  • Marcellus Campêlo, ex-secretário de Saúde do Amazonas;
  • Luciano Dias Azevedo, médico;
  • Hélio Angotti Neto, Secretário de Ciência, Tecnologia, Inovação e Insumos Estratégicos em Saúde do Ministério da Saúde;
  • Francisco Ferreira Filho, Coordenador do Comitê da Crise do Amazonas;
  • Francisco Emerson Maximiano, sócio da Precisa Medicamentos;
  • Francieli Fontana Fantinato, coordenadora do Programa Nacional de Imunização (PNI);
  • Flávio Werneck, ex-assessor de Relações Internacionais do Ministério da Saúde;
  • Antônio Elcio Franco Filho; ex-secretário Executivo do Ministério da Saúde;
  • Camile Giaretta Sachetti, ex-diretora do departamento de Ciência e Tecnologia da Secretaria de Ciência, Tecnologia e Insumos Estratégicos do Ministério da Saúde;
  • Arnaldo Correia de Medeiros, secretário de Vigilância em Saúde do Ministério da Saúde;
  • Alexandre Figueiredo Costa e Silva Marques, auditor do Tribunal de Contas da União (TCU);
  • Mayra Pinheiro, secretária de Gestão do Trabalho e da Educação do Ministério da Saúde;
  • Empresa PPR – Profissionais de Publicidade Reunidos;
  • Calya/Y2 Propaganda e Marketing;
  • Artplan Comunicação;

Também foi aprovada a transferência do sigilo bancário e fiscal de:

  • Associação Dignidade Médica de Pernambuco;
  • Empresa PPR – Profissionais de Publicidade Reunidos;
  • Calya/Y2 Propaganda e Marketing;
  • Artplan Comunicação;

Potiguares com menos de 60 anos começam a ser imunizados contra Covid: ‘Esperei muito por esse dia’

Vacinação do público em geral foi autorizada nesta quarta-feira (10)

A aposentada Sara de Souza, de 59 anos, foi a primeira pessoa a chegar em um dos pontos de vacinação contra Covid-19 montados pela prefeitura de Parnamirim, região metropolitana de Natal, na manhã desta quinta-feira (10).

Ela tomou a primeira dose de vacina contra Covid-19 e se emocionou. “Muito feliz por esse momento. Graças a Deus chegou meu dia. Esperei muito por esse dia”, declarou.

Após uma reunião entre as secretarias estadual e municipais de Saúde autorizar a vacinação de pessoas do público geral, fora das prioridades para a Covid-19, nesta quarta (9), vários municípios do Rio Grande do Norte começam a imunização do público de forma decrescente.

É o caso de Natal e Parnamirim, por exemplo, que começaram a imunização do público com 59 anos pela manhã. Já São Gonçalo do Amarante, que também fica na região metropolitana, imuniza pessoas a partir dos 57 anos.

No mesmo local em que Sara tomou a vacina em Parnamirim, na universidade Uninassau, no bairro Cohabinal, a autônoma Ana Lúcia Pereira de Oliveira, de 59 anos, também procurou por atendimento.

“Siginifica a perda do medo de ter um problema mais sério. Não vir a morrer. Me sinto grata, me sinto feliz”, considerou Ana, que já teve Covid-19.

Secretaria de Saúde investiga ‘festa de aniversário’ dentro de ala de Covid em UPA de Mossoró; vídeo mostra paciente soprando velas de bolo

Protocolos de biossegurança foram descumpridos

A Secretaria de Saúde de Mossoró, no Oeste potiguar, abriu uma investigação para apurar as circunstâncias de uma festa de aniversário que aconteceu dentro de uma ala com pacientes de Covid-19 no município.

O caso aconteceu na Unidade Pronto-Atendimento do bairro Belo Horizonte no último final de semana, foi filmado e compartilhado nas redes sociais.

O vídeo mostra várias pessoas entrando na sala da unidade de saúde com um bolo cheio de velas. Elas cantam “parabéns” para um paciente de 57 anos que está com uma máscara de oxigênio.

Em seguida, uma pessoa o ajuda a tirar a máscara e ele sopra as velas. Uma profissional de saúde diz que vai partir o bolo, que só não poderá ser consumido pelos diabéticos. A prefeitura confirmou que o homem era paciente de Covid-19.

Além da possibilidade de contaminação, apontada por vários internautas, as velas ficam bem próximas a equipamentos médicos com oxigênio, que é inflamável. A secretaria municipal confirmou que o fogo no local representava um risco.

“A Secretaria Municipal de Saúde de Mossoró tem clareza de que a conduta mostrada nas imagens não condiz com os protocolos de biossegurança de enfrentamento à Covid-19 amplamente adotados pela pasta e que são válidos para as unidades de Saúde do município. Iremos apurar o caso, uma vez que, só tomamos conhecimento do fato pelas redes sociais”, informou a pasta.

RN vai destinar vacinas da Janssen para população em situação de rua e caminhoneiros

Estado vai receber 46.600 dozes na próxima semana

RN vai destinar vacinas da Janssen para população em situação de rua e caminhoneiros — Foto: JN

A Secretaria Estadual de Saúde Pública (Sesap) definiu nesta quarta (9) que as doses da vacina da Janssen serão destinadas a população em situação de rua e caminhoneiros.

De acordo com a Sesap, o estado deve receber 46.600 doses do imunizante na próxima semana e distribuí-las a todos os 167 municípios.

A vacina requer a aplicação só de uma dose, ao contrário da maioria das vacinas aplicadas atualmente contra a Covid, que exigem duas doses.

“Inicialmente as doses serão destinadas a pessoas em situação de rua e caminhoneiros. Finalizado esse público, ou aqueles municípios que não tiverem esse público, deverão vacinar os trabalhadores da educação e também faixa etária por ordem decrescente”, explicou Lyane Ramalho, subsecretária de Gestão e Planejamento da Sesap.

O Brasil deve receber 3 milhões de doses da vacina da Janssen com prazo de validade até 27 de junho. Como o imunizante é importado, o país terá de 10 a 14 dias para receber, distribuir e aplicar todas as doses.

Pelo menos 44 agentes de segurança pública se recusaram a receber vacina contra Covid no RN

Metade dos servidores que recusaram é da Polícia Civil

Um levantamento feito pelo G1 aponta que até esta terça-feira (8) pelo menos 44 agentes de segurança pública do Rio Grande do Norte se recusaram a tomar vacinas contra a Covid-19.

Os números não incluem as forças de segurança federais e municipais (Políci Federal, Polícia Rodoviária Federal, Polícia Penal Federal e Guardas Municipais).

Entre os órgãos estaduais de segurança e administração penitenciária, apenas o Corpo de Bombeiros não teve nenhum caso de recusa à vacina, segundo o levantamento.

Já na Polícia Civil, pelo menos 22 servidores se recusaram a tomar a primeira dose do imunizante. Confira os números:

  • Polícia Civil: 22
  • Polícia Penal: 19
  • Itep: 2
  • Polícia Militar: 1
  • Bombeiros: 0

Guedes diz que governo renovará auxílio emergencial ‘por dois ou três meses’

Ministro não detalhou o valor das novas parcelas

O ministro da Economia, Paulo Guedes, anunciou nesta terça-feira (8) que o governo vai estender o pagamento do auxílio emergencial por mais dois ou três meses, até que, segundo ele, toda população adulta esteja vacinada no país.

Com isso, o pagamento, que estava previsto para terminar em julho, pode ser ampliado até outubro.

“Possivelmente nós vamos estender agora o auxilio emergencial por mais dois ou três meses, porque a pandemia está aí”, disse Guedes, em evento do setor de serviços.

“Os governadores estão dizendo que, em dois ou três meses, a população brasileira adulta vai estar toda vacinada. Então, nós vamos renovar por dois ou três meses o auxílio, e logo depois entra, então, o novo Bolsa Família, já reforçado”, completou o ministro.