STF declara guerra a Bolsonaro

Ofensiva antidemocrática contra o processo eleitoral e as instituições leva a uma reação inédita do Judiciário e coloca o presidente nas mãos dos ministros que ataca

A reportagem de capa da nova edição de Crusoé, disponível apenas para assinantes, mostra o cenário de guerra que se instalou em Brasília. Os recorrentes ataques de Jair Bolsonaro ao sistema eleitoral e a integrantes do Judiciário, especialmente Luís Roberto Barroso, deflagraram uma reação inédita e de consequências ainda imprevisíveis.

A busca pelo conflito está na gênese do atual governo.

“Apesar das recorrentes queixas de aliados e de empresários incomodados com a instabilidade provocada por suas ações e declarações, o presidente da República desde sempre se guiou por polêmicas barulhentas. Em paralelo, pôs em marcha a conhecida cartilha que garante a sobrevivência política aos poderosos de plantão quando as coisas apertam: interferiu nos órgãos de controle e de investigação para se blindar de denúncias e se aliou à ala mais fisiológica do Congresso para não ser alvo de um processo de impeachment. Embora tenha flertado com alguns ministros nos últimos anos, a relação com o Supremo Tribunal Federal nunca foi pacífica. Bolsonaro e sua tropa sempre dispararam petardos contra integrantes da corte. A artilharia se intensificava quando ele se sentia afetado por alguma decisão. Agora, na esteira da cantilena bolsonarista contra o sistema eleitoral e dos ataques diretos do presidente a integrantes da corte, o STF resolveu responder de maneira inédita e entrou na guerra.”

 

Inscrições para concurso do Banco do Brasil com 4.480 vagas terminam neste sábado

São 2.240 imediatas e 2.240 para formação de cadastro de reserva

Sede do Banco do Brasil, em Brasília — Foto: Adriano Machado/Reuters

As inscrições para o concurso público do Banco do Brasil podem ser feitas até este sábado (7). Ao todo, são oferecidas 4.480 vagas.

São 2.240 imediatas e 2.240 para formação de cadastro de reserva, para todos os estados e o Distrito Federal. A seleção é para o cargo de escriturário, com os nomes de relacionamento de agente comercial e agente de tecnologia.

As inscrições podem ser feitas pelo site da Cesgranrio até as 23h59 deste sábado, e têm valor de R$ 38,00.

A divisão das vagas é a seguinte:

  • 2 mil vagas para Escriturário – Agente Comercialmais 2 mil de cadastro reserva, para atuação nas unidades de negócios em todos os estados e no Distrito Federal;
  • 240 vagas de Escriturário – Agente de Tecnologia, e outras 240 para cadastro de reserva, com foco em Conhecimentos de TI, para vagas somente no Distrito Federal.

Barroso diz que ‘uma das vertentes do autoritarismo’ é ‘discurso de que se eu perder, houve fraude’

Barroso tem sido alvo de ataques do presidente Jair Bolsonaro

Foto: (REUTERS/Ueslei Marcelino)

O presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), Luís Roberto Barroso, realizou uma palestra nesta quarta-feira (4) num seminário do Tribunal Regional Eleitoral do Rio (TRE-RJ) sobre reforma política e eleitoral.

Barroso tem sido alvo de ataques do presidente Jair Bolsonaro, que vem ameaçando a realização de eleições do ano que vem.

Sem citar o Brasil especificamente, o presidente do TSE afirmou que a “democracia está sob pressão” em vários países do mundo, mas que, nela, há espaço para todos: liberais, conservadores e progressistas.

“A alternância no poder é a grande característica da democracia. A possibilidade de que quem perde hoje verá respeitada regras do jogo pra disputar amanha e tentar ganhar amanhã: é isso que é a democracia. Uma das vertentes do autoritarismo contemporâneo é o discurso de que ‘se eu perder houve fraude’, que é a inaceitação do outro. A inaceitação de que alguém diferente de mim possa ganhar as eleições”.

Bolsonaro afirma que há fraude nos votos da urna eletrônica, mas já admitiu não ter provas. Os supostos indícios apontados por ele em uma live na semana passada foram desmentidos não só pelo TSE, mas por órgãos independentes.

Na palestra desta quarta, o presidente do TSE opinou que há uma “erosão democrática” em vários países, liderada por “agentes políticos eleitos pelo voto popular” que “desconstroem alguns dos pilares da democracia”.

“Ocorre quando líderes carismáticos se elegem, se apresentando com ‘contra tudo isso que está aí’ e oferecem soluções simples e erradas para problemas complexos. ‘Soluções’ que vão cobrar o preço.”

“Não há salvação fora da democracia’

Ainda em sua dissertação sobre a erosão democrática no mundo, Barroso afirmou que o populismo extremista autoritário se vale de redes sociais para atacar as instituições. Ele afirma que estas, por sua vez, têm sido testadas ao limite para conter o retrocesso.

“Todo o mundo também, não só o Brasil, procura equacionar o problema da desinformação, do ódio, da mentira e das teorias conspiratórias em que nós temos os radicais que se beneficiam com isso, com ideologias extremistas; nós temos os mercenários, que recebem dinheiro e monetizam o seu radicalismo; e nós temos aqueles que não sabem o que estão fazendo e seguem o caminho. Estes nós precisamos conquistar”, opinou.

Na segunda-feira, o TSE abriu um inquérito administrativo para apurar os ataques de Bolsonaro à legitimidade das eleições. O Tribunal também enviou um pedido ao STF para que apure a disseminação de fake news sobre as urnas eletrônicas.

Sem citar a investigação aberta pelo TSE, Barroso cobrou que as instituições defendam a democracia.

“Precisamos defender a democracia no plano das ideias, conquistando corações e mentes, e no plano das ações tomando atitudes necessárias para impedir o avanço do autoritarismo e coibir as tentações golpistas em todo o mundo.”

Walkyria Santos não consegue ir ao enterro do filho

Corpo foi sepultado na Grande Natal

Corpo do filho da cantora Walkyria Santos foi velado em Natal. Enterro aconteceu no fim da manhã em Macaíba — Foto: Kléber Teixeira/Inter TV Cabugi

O corpo de Lucas Santos, de 16 anos, filho da cantora Walkyria Santos, foi sepultado no fim da manhã desta quarta (4) no cemitério Vila Flor, em Macaíba, na Grande Natal. O enterro foi restrito a familiares e amigos. Muito abalada, Walkyria não conseguiu ir ao sepultamento.

O adolescente foi encontrado morto em casa na manhã de terça (3). Horas depois, Walkyria postou um desabafo sobre os perigos das redes sociais e de ataques haters.

“Perdi meu filho, uma dor que só quem sente vai entender. Ele postou um vídeo no TikTok, uma brincadeira de adolescente com os amigos, e achou que as pessoas iriam achar engraçado, mas as pessoas não acharam, como sempre, as pessoas destilando ódio na internet. Meu filho acabou tirando a vida. Eu estou desolada, eu estou acabada, eu estou sem chão”, disse ela.

Após a repercussão, famosos deixaram comentários de apoio na publicação. “Vocês têm noção como haters são destrutivos literalmente?”, questionou Carlinhos Maia. “Força”, escreveu Luísa Sonza, que já foi vítima de ataques. Veja repercussão aqui.

A ex-vocalista da banda Magníficos reforçou o pedido “para que vigiem e fiquem alerta” quanto ao uso das redes sociais.

“Eu fiz o que pude. Ele já tinha mostrado sinais, eu já tinha levado a psicólogo, já tinha conversado várias vezes com ele, mas foi só isso, foram só os comentários na internet, que fez com que ele chegasse a esse ponto”, concluiu.

“Que Deus conforte o coração da minha família e que vocês vigiem, porque essa internet está doente”.

A escola onde Lucas estudava emitiu nota de pesar e suspendeu as aulas nesta quarta-feira. “Prestamos nossa mais sincera solidariedade aos familiares e amigos neste momento de dor e consternação, pela irreparável perda”, diz a nota.

Santos pega um na disputa de pênaltis, Brasil despacha México

Brasil disputa ouro contra a Espanha

Que Ochoa que nada! O Brasil tem Santos e vai para a final. O goleiro do Athletico-PR defendeu a primeira cobrança na disputa de pênaltis e ajudou o Brasil a passar pelo México nas penalidades por 4 a 1. No tempo regulamentar e na prorrogação, empate por 0 a 0 de raras emoções, poucas chances de gol, muitas faltas e 10 cartões amarelos.

Nas penalidades máximas, converteram Daniel Alves, Martinelli, Bruno Guimarães e Reinier. Os mexicanos Eduardo Aguirre – em defesa de Santos – e Vazquez – trave – desperdiçaram. Rodriguez marcou.

  • Que venha a Espanha!

    O sonho do bicampeonato olímpico continua. O Brasil vai enfrentar a Espanha, que venceu o Japão por 1 a 0, na prorrogação. A finalíssima está marcada para sábado que vem, às 8h30 (de Brasília), em Yokohama. TV Globo, SporTV e ge transmitem ao vivo, com Tempo Real no site.

    Os mexicanos vão tentar a segunda medalha olímpica no futebol masculino na disputa do bronze, marcada para sexta-feira, às 8h (de Brasília), contra o derrotado no duelo entre japoneses e espanhóis.

Martine Grael e Kahena Kunze conquistam a medalha de ouro na vela

Brasileiras levam o bicampeonato olímpico da classe 49erFX

 Martine Grael e Kahena Kunze medalha de ouro na vela — Foto: REUTERS

Elas fazem um ouro olímpico até parecer fácil. Com uma largada excelente, Martine Grael e Kahena Kunze administraram com tranquilidade a briga com as rivais e conquistaram, nesta terça-feira, na baía de Enoshima, a medalha de ouro na classe 49erFX de vela. Na última regata, elas ficaram em terceiro lugar, mas à frente das adversárias diretas pelo título, as holandesas Annemiek Bekkering e Anette Duetz, e as alemãs Tina Lutz e Susann Beucke. É a 19ª medalha da vela brasileira em Olimpíadas.

Barroso é o pior adversário que Bolsonaro poderia ter

O ministro é poderoso, frio, domina a arte do direito como poucos e tem princípios: não é alguém com quem se possa resolver diferenças na base da pizza

Barroso é o pior adversário que Bolsonaro poderia ter

Jair Bolsonaro fez mau negócio ao eleger Luís Roberto Barroso como alvo. Ao contrário de Hamilton Mourão, o vice-presidente constantemente humilhado pelo inquilino inadimplente do Palácio do Planalto, o ministro não ocupa cargo decorativoA sua caneta é das mais fortes da República. Ouvi certa vez de um integrante do tribunal que “um ministro do STF pode tudo”. A frase é ótimo resumo. Todos nós sabemos que pode mesmo, seja para o bem ou para o mal. Luís Roberto Barroso usa com relativa parcimônia a força que lhe confere a Constituição, mas está longe de ter uma personalidade titubeante. Sabe pesar a mão quando necessário.

Experimentado na advocacia de verdade, não na dos embargos auriculares que fazem a fortuna de espertalhões em Brasília, Luís Roberto Barroso adquiriu frieza para fulminar adversários nos embates e domina como poucos a arte do direito. Mesmo quando se exaltou em público, como ocorreu naquele memorável julgamento em que disse umas verdades a Gilmar Mendes, ele calculou o instante certo para fazê-lo, deixando o antípoda sem reação.

Não menos importante, Luís Roberto Barroso é um homem de princípios. Não é alguém com quem se possa resolver diferenças — ou encontrar afinidades — na base das trocas de favores e tapinhas nas costas. Jamais receberia o presidente da República para uma pizza em casa, por exemplo. Também não acha que deve favores a este ou aquele, como demonstra a sua defesa da Lava Jato. São os princípios que o levam a continuar habitando a selva hostil do Supremo Tribunal Federal. Em certos instantes, ele foi aconselhado a desistir da sua cadeira e voltar para a advocacia, em posição ainda mais estelar do que já tinha antes da indicação para ministro, mas decidiu permanecer, imbuído do que acredita ser a sua missão.

Luís Roberto Barroso agora partiu para cima de Jair Bolsonaroincluindo-o no rol de investigados no inquérito das fake news, pelas declarações irresponsáveis sobre as urnas eletrônicas. O presidente já estava na sua mira desde que o acusou mentirosamente de ser favorável à pedofilia. Fosse outro, Luís Roberto Barroso teria entrado no jogo de Jair Barroso e o processado por calúnia. Seria, no entanto, muito pessoal e, sendo assim, impossibilitaria que ele julgasse qualquer caso envolvendo o presidente. Pode ficar para depois: o crime de calúnia demora quatro anos para prescrever. Muito melhor pegar o adversário institucionalmente neste momento.

A obsessão por mim não faz nenhum sentido e não é correspondida”, disse ontem Luís Roberto Barroso sobre os ataques de Jair Bolsonaro. É verdade. Deveria ser mais um motivo para o sociopata temer o ministro.

Após ouro nas Olimpíadas do Rio, Thiago Braz conquista a medalha de bronze no salto com vara em Tóquio

Mais uma medalha

Thiago Braz tenta novamente os 5m92, mas não consegue. Mesmo assim, o Brasil ganha o ouro no salto com vara! São duas medalhas olímpicas seguidas para o brasileiro. Ouro no Rio de Janeiro, em 2016, e agora o bronze em Tóquio.

Ex-presidentes do TSE desde 1988 e atual cúpula divulgam nota em defesa do modelo de eleições do Brasil

Posicionamento explícito

Ex-presidentes do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) desde 1988 divulgaram nesta segunda-feira (2) uma nota em defesa do modelo de eleições no Brasil.

A nota também é assinada pelo atual presidente do TSE, ministro Luis Roberto Barroso, e pelo vice, Edson Fachin.

A manifestação do atual e dos ex-presidentes do TSE ocorre em um momento em que o presidente da República, Jair Bolsonaro, decidiu colocar em dúvida as urnas eletrônicas. O próprio Bolsonaro já admitiu que não tem provas, mas mesmo assim tenta emplacar o voto impresso.

Na nota, os ministros ressaltam que a volta da contagem manual seria um regresso a um cenário de “fraudes generalizadas”.

“A contagem pública manual de cerca de 150 milhões de votos significará a volta ao tempo das mesas apuradoras, cenário das fraudes generalizadas que marcaram a história do Brasil”, afirma um trecho do texto.

Mossoró retoma aplicação da D1 contra a Covid no Ginásio Pedro Ciarlini

A retomada da vacinação ocorreu logo após a Secretaria Municipal de Saúde (SMS) receber um novo lote de imunizantes

POR DE FATO 

A aplicação da primeira dose da vacina da Covid-19 foi retomada em Mossoró no novo Centro de Vacinação que funciona no Ginásio Pedro Ciarlini, na tarde deste domingo (1º). A retomada da vacinação ocorreu logo após a Secretaria Municipal de Saúde (SMS) receber um novo lote de imunizantes. O prefeito Allyson Bezerra (solidariedade) anunciou a redução da faixa etária de vacinação para pessoas a partir de 28 anos ou mais sem comorbidades.

Com a grande procura por imunizantes contra a Covid-19, o município de Mossoró utilizou todas as 3.948 doses destinadas para D1 (primeira dose) até última sexta-feira (30). O município tem vacinado rapidamente a população e aguardava a chegada de uma nova remessa para reiniciar a vacinação com a primeira dose. A segunda dose continuou sendo aplicada sem interrupção.

No início da tarde deste domingo, a Secretaria Municipal de Saúde mais de 7.252 doses de vacinas para aplicação da primeira dose (D1), sendo 2.050 do imunizante do Butantan/Coronavac e 5.202 da Pfizer. Outras 770 doses do Butantan/Coronavac foram recebidas para aplicação de segunda dose (D2). Logo após a chegada das vacinas, rapidamente os voluntários e servidores da Saúde começaram vacinar a população geral de 28 anos ou mais.