UM LAMBE-LAMBE BAJULADOR NO PALÁCIO – I

EX-CARREGADOR DE BOLSA DE CLÁUDIA REGINA QUE CHAMAVA FRANCISCO JOSÉ JÚNIOR DE ‘CHIQUINHO’ AGORA É PUXA-SACO NÚMERO 1 DO PREFEITO

Quando o sabujo precisa tentar justificar seu soldo atacando profissionais é o fim da carreira – Foto: Arquivo

De acordo com pensamento do escritor francês, Honoré Balzac, “a felicidade só cria recordações”.

E, uma feliz e recente recordação, remete a uma figurinha carimbada, dos corredores do poder da mossoroen (cidade). Ele se queixa de ser lambe-lambe – e, o é, literalmente.

O lisonjeador anda atacando o presidente da Câmara Municipal de Mossoró, vereador Jório Nogueira.

Claro, com o único propósito e na tentativa de agradar ao prefeito de Mossoró, Francisco José Júnior – que duvido corrobore com o chaleira de plantão.

O problema, é que, esta mesma figurinha, em um passado não muito distante, costumava tratar o agora prefeito, em tom pejorativo de “Chiquinho”.

Lembro, que no período em que o então presidente da Câmara, Francisco José Júnior, assumiu interinamente, o cargo de prefeito de Mossoró, esta mesma figurinha virou uma fera.

Foi na redação de um jornal, o extinto Correio da Tarde, onde eu era diretor de Redação e, o mesmo, como fotógrafo – ops, lambe-lambe -, meu subordinado, entrou em meu gabinete de trabalho, irascível.

– Desde quando “Chiquinho” é prefeito, ele está lá de gaiato; a prefeita chama-se Cláudia Regina e vai voltar breve para o seu lugar -, esbravejou.

O motivo do ataque histriônico era uma chamada da editoria de política, acumulada pelo então editor, que tratava Francisco José Júnior, como “prefeito em exercício.”

Naquele momento, a figurinha era puxa-saco de Cláudia Regina. Sim, daqueles sabujos que até “carregava a bolsa” da então prefeita.

Como naquele período, fui o primeiro jornalista em Mossoró, a ter a coragem de tratar Francisco José Júnior, como prefeito em exercício e, Cláudia Regina, como prefeita afastada, fui alvo de críticas então adulador e claudista desde criancinha.

Aliás, essa figurinha não era a única nas redações locais, que fazia questão de tratar Cláudia Regina, como prefeita – mesmo ela afastada -, enquanto Francisco José Júnior era tratado apenas por “o interino.”

– Cláudia é a prefeita de Mossoró e “Chiquinho” – referência a Francisco José Júnior – é apenas um interino -, repetia o chaleira em tom de ameaça e de forma depreciativa, nos corredores do extinto, porém honrado, diário mossoroense. 

Mas, Cláudia Regina, perdeu o mandato e, Francisco José Júnior, assumiu o cargo e depois foi eleito prefeito de Mossoró.

A paixonite aguda por Cláudia morreu tão logo ela deixou o poder. Os bajuladores se portam sempre assim. São sempre soldados fervorosos, mas, só do poderoso da hora. 

E, claro, imediatamente, o sabujo que dispensava o tratamento de “Chiquinho”, se converteu em um fervoroso servil do prefeito.

No afã de (com) provar sua fidelidade canina ao prefeito, o lacaio, vinha, ultimamente, atacando o presidente da Câmara Municipal de Mossoró, vereador Jório Nogueira.

Todavia, ao comprovar sua conhecida fidelidade aos seus aliados, Jório Nogueira, durante o ato do PSD, no dia 18, em que reafirmou seu apoio ao prefeito Francisco José Júnior, desmoralizou o lacaio, bajulador, chaleira, servil, adulador.

Por isso, o bajulador que se queixa de ser ‘lambe-lambe’ virou piada até entre os seus…eheheh…

Se desejar, para reavivar sua memória, “Velhota Sabuja”, eu contO, aqui, outras historinhas que você decantava, nos bastidores e no mesmo período, do então presidente da Câmara Municipal de Mossoró. 

Como diria meu poeta favorito, Crispiniano Neto: 

– Cante lá, que eu canto cá!!!

Email this to someoneShare on Facebook0Tweet about this on TwitterPin on Pinterest0Share on Google+0

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

5 + 8 =