Entrevista: Robinson Faria

Candidato ao Governo pelo PSD  diz que voto de Rosalba Ciarlini 

Por: Thaisa Galvão

Thaisa Galvão – A governadora Rosalba Ciarlini está fora do páreo na disputa pelo Governo. Isso facilitou pra você?
Robinson Faria – Olhe, como cidadão, eu externei numa entrevista e nas redes sociais que fui contra o que fizeram com ela. Mesmo ela sendo minha adversária, ela teria todo o direito de ser candidata à reeleição, acho que foi usurpado o seu direito de ser candidata à reeleição. Mas esse assunto não diz respeito a im, eu apenas emiti uma opinião de cidadão, esse assunto é interno do partido dela. Sobre a sua saída, ainda está cedo para se analisar qual será a migração dos votos da governadora Rosalba Ciarlini, muito embora eu já tenha tido informações de que os seguidores dela se sentem traídos e abandonados pela parceria política do senador José Agripino com o candidato Henrique Alves, que se uniram para retirar o nome de Rosalba do páreo.

Thaisa Galvão – E essa história de Rosalba vir a lhe apoiar, você já recebeu algum sinal, alguém já falou com você sobre iso?
Robinson Faria – Não, Rosalba nunca sinalizou para mim e nem mandou recado. Mas, quero deixar claro que ha eleitores ligados a Rosalba que vêem com muita simpatia o nosso nome. Prova disso é que o deputado Betinho Rosado, do PP, cunhado dela, faz parte hoje de nossa coligação. Que não é nenhuma incoerência já que o PP faz parte da base da presidente Dilma Rousseff, apóia a reeleição da presidente igual a mim e ao PSD, igual ao PT de Dilma e igual ao PCdoB que tambem faz parte de nossa coligação. Então ele veio para somar, para apoiar Robinson, para apoiar Fátima. Ouviu seus prefeitos, ouviu suas bases e suas bases sinalizaram para que ele viesse apoiar o nosso nome. Então ele é bem-vindo. Nós não temos arrogância, soberba, e orgulho de escolher quem quer nos apoiar. Todos serão bem-vindos.

Thaisa Galvão – Até a governadora Rosalba Ciarlini? Você quer o voto dela?
Robinson Faria – Claro. Tanto eu quanto a deputada Fátima já conversamos sobre isso. Ela como cidadã, como governadora do Estado, tem todo direito de escolher em quem quer votar. Se ela quiser votar em Robinson, se quiser votar em Fátima ou em qualquer outro candidato, deve ser respeitado o seu direito democrático de escolha.

Thaisa Galvão – Quando a prefeita Micarla de Sousa, já fora do páreo, disse que iria votar no então candidato a prefeito Carlos Eduardo, ele disse que não queria o voto dela. Você não repetiria isso?
Robinson Faria – São circunstâncias diferentes. A ex-prefeita de Natal queria prejudicar o candidato já que existia entre eles, não um rompimento político, masuma inimizade pessoal. E ela, reconhecendo o desgaste que vivia, queria prejudicar o candidato. Não foi uma declaração verdadeira, não existia verdade no seu voto, ela queria confundir a cabeça do eleitor.

Thaisa Galvão – Um possível apoio da governadora à sua eleição mudaria seu discurso e o discurso da deputada Fátima Bezerra?
Robinson Faria – O meu discurso é de discordância, não é de radicalismo e de raiva. Eu discordei do que achei que não estava certo na questão da saúde, na questão da educação, da segurança pública, portanto, não é nenhuma novidade nem nenhum segredo oque eu já falei durante esses quatro anos. Então não mudará até porque meu discurso agora será de propostas.

Thaisa Galvão – E Fátima Bezerra, do PT, ela já tem recebido muito apoio do DEM, para quem sempre combateu o DEM…
Robinson Faria – Muitos prefeitos do DEM estão se identificando com Fátima. É que os partidos são importantes, mas hoje as pessoas votam em quem acreditam, em quem confiam, independente de partidos.

Fonte: www.thaisagalvao.com.br

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

dois × um =