ESPAÇO DO GIVVA

OPINIÃO

POR GIVANILDO SILVA

REFLEXÃO 

Qual de vós, por mais que se preocupe, pode acescentar algum tempo à jornada da sua vida?

MATEUS 6:27

RN 2222

O nome é ROGÉRIO MARINHO.

No Rio Grande do Norte, 2022 já começa a correr paralelamente, sob os auspícios do capitão Bolsonaro.

REALIDADE

Compreendam-se os incautos, pois assim sendo, não há necessidade de perdoá-los.

No Rio Grande do Norte, o que existe, de bom e de ruim, foi trazido pelas oligarquias.

Aliás, quem não faz parte delas, nesse estado? Quem não é Bezerra, Mota, Faria, Maia, Marinho, Rosado ou Alves?

 

CONVITE

CULTO COM PARTICIPAÇÃO DE CÍCERO NOGUEIRA

A imagem pode conter: Cicero Nogueira, sorrindo, texto

GOVERNO FÁTIMA BEZERRA ENFRENTARÁ GREVE GERAL DE SERVIDORES

FÓRUM DOS SERVIDORES ANUNCIA PARALISAÇÃO POR DOIS DIAS

Os servidores do Estado do Rio Grande do Norte não suportam mais o governo Fátima Bezerra.

Diante do descaso governamental entidades sindicais anunciam a realização de uma greve geral, por dois dias, no início de fevereiro:

Caged: Brasil cria 644 mil novas vagas de trabalho em 2019 e desemprego cai

Dados são oficiais

Brasília (EBC) – O Brasil registrou a criação de 644 mil vagas de emprego formal no ano passado, 21,63% a mais que o registrado em 2018. De acordo com o Ministério da Economia, é o maior saldo de emprego com carteira assinada em números absolutos desde 2013.
Dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), divulgados hoje (24), mostram que o estoque de empregos formais chegou a 39 milhões de vínculos. Em 2018, esse número tinha ficado em 38,4 milhões.
Todos os oitos setores da economia registraram saldo positivo no último ano. O destaque ficou com o setor de serviços, responsável pela geração de 382,5 mil postos. No comércio, foram 145,4 mil novas vagas e na construção civil, 71,1 mil.
O menor desempenho foi o da administração pública, com 822 novas vagas.

ROSALBA VISITA O CER NO SANTO ANTÔNIO

CENTRO ESPECIALIZADO EM REABILITAÇÃO SERÁ INAUGURADO EM JUNHO

A prefeita de Mossoró, Rosalba Ciarlini, sequenciou sua agenda de visitas aos canteiros de obras de sua gestão.

Nesta quinta-feira (23), ela visitou o Centro Especializado em Reabilitação, no bairro Santo Antônio, e apresentou detalhes da obra:

ESPAÇO DO GIVVA

OPINIÃO

POR GIVANILDO SILVA

FANTASIA

Por que o coração é constantemente romanceado, quando, na verdade, o comando e/ou o descontrole dos sentimentos são unicamente do cérebro?

“DE CORAÇÃO, eu só queria que você fosse feliz
Que outro consiga ter fazer o que eu não fiz
Que você tenha tudo aquilo que sonhou
Mas vá embora antes que que a dor machuque mais meu…”

QUEM NUNCA?

Compreendam-se os incautos, pois assim sendo, não há necessidade de perdoá-los.

No Rio Grande do Norte, o que existe, de bom e de ruim, foi trazido pelas oligarquias.

Aliás, quem não faz parte delas, nesse estado? Quem não é Bezerra, Mota, Faria, Maia, Marinho, Rosado ou Alves?

NÃO AMARGURE-SE

Não amargure-se, não seja severo consigo, de si para si mesmo, por achar que deveria ter feito mais.

Porque o possível, em cada ente, introduz grau superlativo. E nada mais.

 

Na fritura de Moro, Bolsonaro se une a amigo dos filhos e secretário do PT

Presidente trabalha na tentativa de enfraquecer o ministro da Justiça

POR JOSIAS DE SOUZA

Jair Bolsonaro esforçou-se para terceirizar a secretários de Segurança dos Estados a articulação que devolveu Sergio Moro à frigideira. Fracassou. As digitais do Planalto estão impressas na manobra que ressuscitou a ideia de desmembrar a pasta da Justiça, retirando de Moro a área da Segurança Pública. Atento à movimentação, o ex-juiz da Lava Jato nunca esteve tão próximo da porta de saída do governo.

O epicentro da ação anti-Moro foi um gabinete do Planalto. Com a anuência do chefe, o ministro palaciano Jorge Oliveira (Secretário-Geral da Presidência) negociou o encontro dos secretários estaduais com Bolsonaro, sem a presença de Moro. Providenciou para que o teatro fosse ensaiado previamente numa conversa do presidente com o secretário de Segurança do Distrito Federal, Anderson Gustavo Torres.

Delegado federal de carreira, Anderson Torres é amigo de Flávio e Eduardo Bolsonaro, os filhos Zero Um e Zero Três do presidente da República. Utilizou como barriga de aluguel da proposta de cisão da pasta de Moro o Consesp, Colégio Nacional de Secretários de Segurança Pública. Sob o patrocínio do governador de Brasília, Ibaneis Rocha (MDB), o grupo reuniu-se na Capital, na quarta-feira.

O desejo de Bolsonaro de desgastar Moro é tão intenso que ele deu de ombros para o fato de que o Consesp é presidido por Maurício Teles Barbosa, um personagem vinculado ao petismo. Trata-se de outro delegado federal. Comanda a Secretaria de Segurança do governo petista da Bahia.

Nomeado pelo ex-governador Jaques Wagner, amigo de Lula, Maurício Barbosa foi mantido no posto pelo atual governador baiano, o também petista Rui Costa. Na gestão de Dilma Rousseff, esteve na bica de ser nomeado secretário Nacional de Segurança da pasta da Justiça, comandada à época por José Eduardo Cardozo.

Até bem pouco Bolsonaro tratava aliados de Lula na base do pontapé. Em julho do ano passado, foi flagrado despejando nos ouvidos do ministro Onyx Lorenzoni (Casa Civil) um cochicho que escancarou sua visão sobre o pedaço do mapa do Nordeste que é governado por petistas e aliados do PT.

“Desses governadores de Paraíba, o pior é o do Maranhão”, balbuciou Bolsonaro, num lapso captado pelas câmeras da empresa oficial de comunicação, durante café da manhã oferecido a correspondentes estrangeiros. Referia-se ao governador maranhense Flávio Dino (PCdoB).

Comum no Rio de Janeiro, onde todo nordestino é um “paraíba”, a metonímia pingou dos lábios de Bolsonaro acompanhada de um complemento: “Tem que ter nada pra esse cara”. Foi contra esse pano de fundo que o capitão deu cartaz ao secretário petista. Não bastasse o vínculo com os arquirrivais, Maurício Barbosa defende proposta que provoca arrepios no inquilino do Planalto: a legalização da maconha.

Na fase de ensaio, Anderson Torres, o amigo do Zero Um e do Zero Três, combinou com o ministro Jorge Oliveira e com o próprio Bolsonaro, que os secretários de Defesa formalizariam um pedido de recriação da pasta da Segurança Pública, nos moldes em que funcionava sob Michel Temer.

Dos 27 secretários estaduais de segurança, 20 estavam em Brasília na quarta-feira. Muitos estão irritados com o fato de Sergio Moro se autoatribuir méritos pela queda de cerca de 22% no número de homicídios em todo país. Avaliam que o feito é dos Estados, não de Brasília.

A despeito do mal-estar, a cisão da pasta de Moro não estava entre as prioridades da reunião do Consesp. Os secretários reivindicavam verbas federais, bloqueio de celulares nos presídios e isenção de IPI na aquisição de equipamentos para as polícias. O que não impediu que o documento urdido no Planalto fosse providenciado.

Redigido em papel timbrado do Colégio Nacional de Secretários de Segurança Pública, o texto ocupa duas folhas. Trata apenas da recriação da pasta da Segurança Pública. Nem sinal das outras reivindicações. Traz a assinatura do presidente da entidade, Maurício Barbosa, o secretário da Bahia. Estampa também as rubricas de outros 12 secretários. Ou seja: de duas dezenas de presentes, apenas 13 firmaram o documento.

Datado de quarta-feira (22/01), o texto foi formalmente protocolado no Planalto. Em condições normais, deveria ter sido entregue na Casa Civil. Mas quem assina o protocolo de recebimento é o ministro Jorge Oliveira. Curiosamente, ele imprimiu sobre sua assinatura um carimbo que usava na função que ocupava antes de ser nomeado ministro: subchefe de Assuntos Jurídicos da Casa Civil.

Quem lê o documento fica com a impressão de que Sergio Moro trata a segurança com descaso: “O colégio manifesta o entendimento de que a criação de uma pasta dedicada exclusivamente à Segurança Pública revela-se medida de grande acerto, pois dará ao tema a importância que merece, colocando-o ao lado de outros temas igualmente importantes, como a saúde e educação.”

O texto enaltece realizações da gestão de Michel Temer, quando Justiça e segurança eram pastas separadas: “Experiências recentes mostraram que quando a segurança pública recebeu a atenção devida nas mais elevadas instâncias políticas, resultados estruturantes foram alcançados, a exemplo da criação de uma política e um plano nacional de segurança pública, ou mesmo com a criação de Sistema Único de Segurança Pública, com suas formas de financiamento”.

Nesta quinta-feira (23/01), antes de embarcar para uma viagem à Índia. Bolsonaro repetiu o que dissera na reunião da véspera, transmitida pelas redes sociais: cogita a sério recriar a pasta da Segurança. Fez dois acréscimos: 1) Confirmando-se a mudança, Moro ficará com o Ministério da Justiça, sem a Polícia Federal. 2) Sabe que o ministro será “contra” o desmembramento.

 

BOLSONARO CONTINUA DESASTROSO

MAS SEM FORÇA PARA EXONERAR SÉRGIO MORO

Em nosso retorno, constamos que o Brasil continua o mesmo, com seu presidente, Jair Bolsoanro, diariamente, revelando-se um desastre ambulante.

Novamente, tentou atingir o ministro, Sérgio Moro, e pasme, atendendo uma sugestão do secretário de segurança da Bahia, de um governo do PT, para esvaziar o Ministério da Justiça.

Por isso, torcemos que Sérgio Moro entregue o ministério e comece a caminhar pelo Brasil, para ser eleito presidente, em 2020.

Do contrário o Brasil vai continuar sendo governado por um presidente destrambelhado, desequilibrado, tresloucado.

#MORO2020

DE VOLTA

AO BATENTE

O Velho Apache Antenado está de volta.

Depois de 15 dias em missão evangelizadora, ao trabalho.

Não sem antes agradecer ao trabalho competente, da jornalista Karla Viegas que esteve no comando do blog.

Valeu, Viegas!

 

Prefeita visita obras nesta quarta-feira

Agenda de hoje (22), ainda, conta com doação de terreno

Na manhã desta quarta-feira, 22, a prefeita Rosalba Ciarlini visitou obra de pavimentação na Rua Noeme da Escóssia e falou sobre o serviço.

Já às 17h30 a prefeita Rosalba Ciarlini participa de evento, onde faz a entrega da Lei Municipal que doa terreno à Paróquia Menino Jesus de Praga, na Praça/Quadra de Esportes do Conjunto Américo Simonetti.