MDB é o partido que mais elegeu prefeitos nas capitais

DEM e PSDB empatam em 2º lugar

O MDB foi o partido que mais conquistou prefeituras nas capitais brasileiras. Ao todo, foram cinco. Os partidos DEM e PSDB empatam no segundo lugar, com quatro prefeitos cada um. Veja abaixo o desempenho dos partidos nas capitais brasileiras:

MBD

  • Arthur Henrique (MDB – RR), em Boa Vista
  • Emanuel Pinheiro (MDB – MT), em Cuiabá
  • Maguito Vilela (MDB – GO), em Goiânia
  • Sebastião Melo (MDB – RS), em Porto Alegre
  • Doutor Pessoa (MDB – PI), em Teresina

DEM

  • Rafael Greca (DEM – PR), em Curitiba
  • Gean Loureiro (DEM – SC), em Florianópolis
  • Bruno Reis (DEM – BA), em Salvador
  • Eduardo Paes (DEM – RJ), no Rio de Janeiro

PSDB

  • Alvaro Dias (PSDB – RN), em Natal
  • Cinthia Ribeiro (PSDB – TO), em Palmas
  • Hildon Chaves (PSDB – RO), em Porto Velho
  • Bruno Covas (PSDB – SP), em São Paulo

PDT

  • Edvaldo Nogueira (PDT – SE), em Aracaju
  • Sarto Nogueira (PDT – CE), em Fortaleza

PSB

  • João Henrique Caldas (PSB – AL), em Maceió
  • João Campos (PSB – PE), em Recife

PSD

  • Alexandre Kalil (PSD – MG), em Belo Horizonte
  • Marquinhos Trad (PSD – MS), em Campo Grande

PP

  • Tião Bocalom (PP – AC), em Rio Branco
  • Cicero Lucena (PP – PB), em João Pessoa

AVANTE

  • David Almeida (AVANTE – AM), em Manaus

PODEMOS

  • Eduardo Braide (PODE – MA), em São Luís

PSOL

  • Edmilson Rodrigues (PSOL – PA), em Belém

REPUBLICANOS

  • Delegado Pazolini (REPUBLICANOS – ES), em Vitória

 

Eleito, Paes diz que foi ‘vitória da política’ e cita pandemia como 1º desafio na Prefeitura do Rio

Candidato ao DEM voltou a criticar Crivela

Paes celebrou a vitória em entrevista ao lado do presidente da Câmara, Rodrigo Maia — Foto: Reprodução

Em seu primeiro discurso como prefeito eleito do Rio de JaneiroEduardo Paes (DEMcelebrou o que chamou de “vitória da política” contra a radicalização. Paes teve quase o dobro dos votos de Marcelo Crivella (Republicanos), que o sucedeu em 2017, e venceu em todas as 49 zonas eleitorais da cidade.

“A primeira mensagem que eu queria passar é de agradecimento aos cariocas que foram às urnas e acreditaram nas nossas propostas. Queria também celebrar aqui uma vitória da política. Nós passamos os últimos anos radicalizando a política brasileira. O resultado desse radicalismo certamente não fez bem a nenhum de nós cariocas, não fez bem a nenhum de nós brasileiros.”

Paes, que já governou a cidade entre 2009 e 2017, disse que a pandemia de Covid-19 será o primeiro desafio em seu terceiro mandato. “Nós precisamos recuperar as clínicas da família, prepará-las para o processo de vacinação”, detalhou.

O vice-prefeito eleito é Nilton Caldeira, um dos fundadores do Partido Liberal (PL).

Mais críticas a Crivella

No discurso, Paes voltou a atacar Crivella. “Quero anunciar que o Rio está livre do pior governo da sua história, do governo mais omisso, mais despreparado e mais preconceituoso”, afirmou.

“Todos aqueles que confiaram nas nossas propostas também queriam dar um ‘não’ contundente a esse governo reacionário, que foi ruim na gestão, piorou a vida das pessoas e que olhou a cidade com muito preconceito”, continuou.

‘São Paulo disse sim ao equilíbrio e à moderação’, diz Covas após vitória; tucano fez agradecimento especial ao vice Ricardo Nunes

Covas também afirmou que “agora é possível fazer política sem ódio”

Doria e Covas na coletiva pós vitória — Foto: Fábio Tito/G1

No discurso após a vitória, Bruno Covas (PSDB), reeleito prefeito de São Paulo neste domingo (29) com 59,3% dos votos válidos, disse que a cidade votou pelo “equilíbrio”, “moderação” e a “ciência”. O tucano também afirmou que agora é “possível fazer política sem ódio”.

“São Paulo disse ‘sim’ ao equilíbrio e à moderação. (…) As urnas falaram e a democracia está viva. São Paulo mostra que faltam poucos dias para o obscurantismo e negacionismo. São Paulo disse ‘sim’ à ciência e disse ‘sim’ à moderação”, afirmou.

Neto do ex-governador Mário Covas, Bruno afirmou ser fruto da democracia, respeitar as instituições e fez um agradecimento especial ao vice, Ricardo Nunes (MDB).

“Eu queria aqui fazer uma homenagem e um agradecimento especial ao meu vice, Ricardo Nunes, que sofreu muito durante essa campanha. Mas esteja certo, Ricardo, que, a partir de 1º de janeiro, nós vamos governar e nós vamos mostrar pra São Paulo quem nós somos e qual é a nossa visão de mundo. Eu tenho certeza que todo sacrifício vai valer a pena, pelo trabalho que nós vamos desenvolver juntos na prefeitura. Muito obrigado, Ricardo”, afirmou.

As principais críticas enfrentadas por Covas durante sua campanha foram em relação à escolha de Nunes para vice, cuja mulher registrou boletim de ocorrência em 2011 por violência doméstica. Nunes também é investigado por suposto envolvimento com esquema em creches conveniadas com a prefeitura na cidade. Durante a campanha, Covas chegou a afirmar que “coloca a mão no fogo” por Nunes, que “não responde a nenhum processo judicial, não há nenhuma denúncia no Judiciário”.

Prefeitos eleitos no 2º turno das eleições 2020

Veja a lista

Eleitores de 57 cidades brasileiras foram às urnas neste domingo (29) para voltar no 2º turno da eleição para prefeito.

Desses municípios, 18 são capitais.

Lista de prefeitos eleitos no 2º turno das eleições 2020

  1. Anápolis (GO): Roberto Naves (PP)
  2. Aracaju (SE): Edvaldo Nogueira (PDT)
  3. Bauru (SP): Suéllen Rosim (Patriota)
  4. Belém (PA): Edmilson Rodrigues (PSOL)
  5. Blumenau (SC): Mário Hildebrandt (Podemos)
  6. Boa Vista (RR): Arthur Henrique (MDB)
  7. Campinas (SP): Dário Saadi (Republicanos)
  8. Campos dos Goytacazes (RJ): Wladimir Garotinho (PSD) – sub judice
  9. Canoas (RS): Jairo Jorge (PSD)
  10. Cariacica (ES): Euclerio Sampaio (DEM)
  11. Caucaia (CE): Vitor Valim (PROS)
  12. Caxias do Sul (RS): Adiló (PSDB)
  13. Contagem (MG): Marília Campos (PT)
  14. Cuiabá (MT): Emanuel Pinheiro (MDB)
  15. Diadema (SP): Filippi Júnior (PT)
  16. Feira de Santana (BA): Colbert Martins (MDB)
  17. Fortaleza (CE): Sarto Nogueira (PDT)
  18. Franca (SP): Alexandre Ferreira (MDB)
  19. Goiânia (GO): Maguito Vilela (MDB)
  20. Governador Valadares (MG): André Merlo (PSDB)
  21. Guarulhos (SP): Guti (PSD)
  22. João Pessoa (PB): Cicero Lucena (Progressistas)
  23. Joinville (SC): Adriano Silva (Novo)
  24. Juiz de Fora (MG): Margarida Salomão (PT)
  25. Limeira (SP): Mario Botion (PSD)
  26. Maceió (AL): JHC (PSB)
  27. Manaus (AM): David Almeida (Avante)
  28. Mauá (SP): Marcelo Oliveira (PT)
  29. Mogi das Cruzes (SP): Caio Cunha (Podemos)
  30. Paulista (PE): Yves Ribeiro (MDB)
  31. Pelotas (RS): Paula Mascarenhas (PSDB)
  32. Petrópolis (RJ): Rubens Bomtempo (PSB) – sub judice
  33. Piracicaba (SP): Luciano Almeida (DEM)
  34. Ponta Grossa (PR): Professora Elizabeth (PSD)
  35. Porto Alegre (RS): Sebastião Melo (MDB)
  36. Porto Velho (RO): Hildon Chaves (PSDB)
  37. Praia Grande (SP): Raquel Chini (PSDB)
  38. Recife (PE): João Campos (PSB)
  39. Ribeirão Preto (SP): Duarte Nogueira (PSDB)
  40. Rio de Janeiro (RJ): Eduardo Paes (DEM)
  41. Rio Branco (AC): Tião Bocalom (PP)
  42. Santa Maria (RS): Jorge Pozzobom (PSDB)
  43. Santarém (PA): Nélio Aguiar (DEM)
  44. São Gonçalo (RJ): Capitão Nelson (Avante)
  45. São João de Meriti (RJ): Dr João (DEM)
  46. São Luís (MA)Eduardo Braide (Podemos)
  47. São Paulo (SP): Bruno Covas (PSDB)
  48. São Vicente (SP): Kayo Amado (Podemos)
  49. Serra (ES): Sergio Vidigal (PDT)
  50. Sorocaba (SP): Rodrigo Manga (Republicanos)
  51. Taboão da Serra (SP): Aprigio (Podemos)
  52. Taubaté (SP): Saud (MDB)
  53. Teresina (PI): Dr. Pessoa (MDB)
  54. Uberaba (MG): Elisa Araújo (Solidariedade)
  55. Vila Velha (ES): Arnaldinho Borgo (Podemos)
  56. Vitória (ES): Delegado Pazolini (Republicanos)
  57. Vitória da Conquista (BA): Herzem Gusmão (MDB)

ROSALBA REINAUGURA O GINÁSIO MUNICIPAL PEDRO CIARLINI

CAMPEONATO RELIGIOSO MARCA REABERTURA DO GINÁSIO

A prefeita de Mossoró, Rosalba Ciarlini reinaugurou o Ginásio Municipal Pedro Ciarlini na noite desta sexta-feira, 27.

Durante a solenidade a prefeita falou sobre a reestruturação do ginásio:

Pesquisa vai levantar perfil da Covid-19 em todo o Rio Grande do Norte

Nova medida para enfrentamento e controle da COVID-19

A pesquisa Inquérito Sorológico de Base Populacional – Prevalência de infecção por Covid-19 no RN é a nova medida para o enfrentamento e controle da Covid-19 do Governo do Rio Grande do Norte. Serão aplicados 24 mil questionários e testes às famílias em 7 mil domicílios, nas 8 regiões do estado – Pau dos Ferros, Mossoró, Assu, Natal, João Câmara, São José do Mipibu, Santa Cruz e Caicó.

O trabalho inicia na primeira semana de dezembro e será feito em três etapas, com intervalo de uma semana entre elas. A pesquisa tem o apoio do Comitê Científico de assessoramento ao Governo do Estado para a pandemia composto por especialistas e pesquisadores da UFRN, UERN, IFRN e do Laboratório de Inovação Tecnológica em Saúde (LAIS) da Universidade Federal do Rio Grande do Norte – UFRN.

O questionário terá perguntas referentes a sintomas, estado de saúde, idade, comorbidades, entre outras questões importantes. Em cada município serão vinte entrevistadores e pesquisadores que farão a aplicação do questionário. Ao todo serão 160 pesquisadores em campo.

Para cada município serão vinte entrevistadores e pesquisadores que farão a aplicação de um questionário com perguntas referentes a sintomas, estado de saúde, idade, comorbidades, entre outras questões importantes para embasar a pesquisa. Ao todo serão 160 pesquisadores em campo.

Em cada município sede serão sorteados 30 setores censitários do IBGE para a realização do inquérito e em cada setor serão realizadas 100 entrevistas, em domicílios previamente determinados pela UFRN.

A presença das equipes nas cidades e a visitação às residências será acompanhada por policiais militares, garantindo a segurança de todos.

A pesquisa também vai identificar a transmissão familiar da Covid-19. Além de responder aos questionários, as famílias serão testadas com exame de sangue que terão o resultado liberado em 20 minutos.

Moraes prorroga inquérito que apura se Bolsonaro interferiu na PF e dá 5 dias para PGR opinar sobre depoimento

Ministro é relator do processo

O ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal (STF), prorrogou nesta sexta-feira (27) por 60 dias o inquérito que apura se o presidente Jair Bolsonaro tentou interferir na Polícia Federal.

No mesmo despacho, Moraes, relator do inquérito, determinou que a Procuradoria Geral da República (PGR) se manifeste em até cinco dias sobre a necessidade de depoimento de Bolsonaro. Nesta quinta (26), o presidente desistiu de depor.

Após o parecer da PGR, Moraes deve decidir se atende à dispensa do depoimento e se manda o inquérito para a Polícia Federal concluir as investigações.

O inquérito foi aberto em abril após o ex-ministro da Justiça Sergio Moro ter acusado Bolsonaro de tentar interferir na Polícia Federal ao demitir o então diretor-geral da PF, Maurício Valeixo, com o objetivo de proteger familiares e aliados de investigações.

Covid-19: Brasil registra 501 mortes em 24 horas, diz consórcio

Dados do consórcio de imprensa

O consórcio de veículos de imprensa que acompanha os dados da Covid-19 junto às secretarias estaduais de Saúde registrou 501 mortes em razão da doença no Brasil nas últimas 24 horas.

O número desta sexta (27) é ligeiramente inferior ao do Ministério da Saúde, que contabilizou 511 óbitos no mesmo período.

De acordo com o “pool” de veículos, o número total de mortes no país subiu para 171.998. O total de casos confirmados agora é de 6.238.076, 33.506 a mais que na quinta (26).

 

Mossoró registra quinto mês seguido com saldo positivo de emprego

Dados do Caged

POR DE FATO

Mossoró registrou pelo quinto mês seguido saldo positivo na geração de emprego formal após os cinco primeiros meses do ano ter saldo negativo de emprego com carteira assinada no município. De acordo com o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) divulgado nesta quinta-feira, 26, pela Secretaria de Trabalho da Secretaria Especial de Previdência e Trabalho do Ministério da Economia, a Capital do Oeste teve 1.859 admissões contra 1.119 demissões. O saldo positivo foi de 740 vagas.

O resultado do décimo mês do ano é o segundo maior de 2020 no município. O maior saldo foi registrado no mês de agosto. Naquele mês, Mossoró criou 864 vagas de emprego formal. Foram 2.160 contratações ante 1.296 desligamentos no oitavo mês do ano.

Setembro tem a terceira maior marca do ano. O mês teve 1.940 admissões. Já o número de demissões ficou em 1.235. Saldo positivo de 705. O mês de julho teve 1.851 contratações e 1.181 demissões, com saldo positivo de 670 vagas. Por fim, junho teve saldo positivo de 625 vagas. Foram 1.840 registros de contratação e outros 1.215 de desligamentos.

QUEDAS

O Caged registrou queda na geração de emprego formal nos cinco primeiros meses em Mossoró. A maior redução foi registrada em abril. Este mês teve 574 admissões e 1.687 demissões. Saldo negativo de 1.113 vagas.

Outra grande queda foi verificada em fevereiro, antes da pandemia. O segundo mês do ano registrou 1.520 admissões contra 2.338 desligamentos. Saldo negativo na criação de postos de trabalho de 818. Maio teve queda de 690 vagas. Foram 896 contratações ante 1.586 demissões.

Janeiro e março registram as menores quedas. O primeiro teve registro de menos 436 vagas (1.472 admissões e 1.908 demissões). O último teve 1.311 contratações e 1.863 desligamentos. Saldo negativo de 552 postos de trabalho.

O acumulado dos dez primeiros meses do ano em Mossoró ainda traz saldo negativo na criação de empregos formais, mas com uma pequena margem. Foram criados no ano 15.423 vagas de trabalho com carteira assinada e houve o registro de 15.428 demissões no período. Saldo negativo de apenas cinco vagas.

SETORES

Todos os cinco setores registrados pelo Caged apresentaram saldo positivo no mês de outubro em Mossoró. Destaque para Serviços e Comércio.

O setor de Serviços contratou 712 pessoas com carteira assinada e demitiu 387. O saldo foi de 325 vagas a mais no período. Já o Comércio teve 513 admitidos e 337 desligados, com saldo positivo de 176 novos postos de trabalho.

Os demais setores tiveram aumento de vagas menor. A Construção Civil teve saldo de 98 vagas. Foram 228 contratações contra 130 demissões. O setor de da Indústria teve 220 admissões ante 131 desligamentos. A Agricultura realizou a contratação de 186 pessoas com carteira assinada contra 134 registros de desligamentos. Saldo de 52 vagas.

MÊS A MÊS

Outubro

1.859 admissões

1.119 demissões

740 vagas de saldo

Setembro

1.940 admissões

1.235 demissões

705 vagas de saldo

Agosto

2.160 admissões

1.296 demissões

864 vagas de saldo

Julho

1.851 admissões

1.181 demissões

670 vagas de saldo

Junho

1.840 admissões

1.215 demissões

625 vagas de saldo

Maio

896 admissões

1.586 demissões

-690 vagas de saldo

Abril

574 admissões

1.687 demissões

-1.113 vagas de saldo

Março

1.311 admissões

1.863 demissões

-552

Fevereiro

1.520 admissões

2.338 demissões

-818 vagas de saldo

Janeiro

1.472 admissões

1.908 demissões

-436 vagas de saldo

Acumulado

15.423 admissões

15.428 demissões

-5 vagas de saldo

Fonte: Caged

Rio Grande do Norte registra quase quatro mil casos confirmados de Covid-19 em 24 horas

Dados divulgados na tarde desta sexta mostram que o RN chegou a 92.647 infectados pela doença desde o início da pandemia

A Secretaria de Estado da Saúde Pública (Sesap) atualizou no início da tarde desta sexta-feira, 27, a situação do novo coronavírus no Rio Grande do Norte. De acordo com a pasta, o estado registrou em 24 horas quase 4 mil novos casos de Covid-19.

O balanço divulgado nesta tarde mostra que o território potiguar chegou a 92.647 infectados pela doença desde o início da pandemia. No boletim epidemiológico nº 228 divulgado no final da tarde desta quinta-feira, 26, o número pessoas infectadas era de 88.767.

Os óbitos registrados no estado também cresceram em relação ao levantamento anterior. Segundo o órgão, o RN contabiliza agora 2.678 mortes em decorrência do novo coronavírus. No boletim da quinta eram 2.666.

Destes 12 novos óbitos registrados, nenhum aconteceu nas últimas 24 horas anteriores ao anúncio, informou a pasta estadual. A Sesap aponta ainda que 382 óbitos estão em investigação e outros 709 já foram descartados para a doença.

Os casos suspeitos estão em 38.431. No boletim desta quinta eram 41.612. Já os casos descartados subiram de 214.608 para 223.706.

Em nota, a Sesap esclarece que o aumento de casos confirmados de Covid-19 apresentados no boletim epidemiológico desta sexta-feira (27) se deve a uma revisão dos casos que ainda estavam em aberto, aguardando encerramento, por parte dos municípios, e foram confirmados em períodos anteriores.

Com a atualização, consequentemente, o número de casos descartados para Covid-19 aumentou e o número de  suspeitos diminuiu.

Dados parciais – 27 de novembro de 2020

Epidemiológicos – Parciais

Casos:

Confirmados: 92.647

Suspeitos: 38.431

Descartados: 223.706

Óbitos:

Confirmados: 2.678, nenhum nas últimas 24h

Em investigação: 382

Descartado: 709