Category Archives: Artigos

ESPAÇO DO GIVVA

OPINIÃO

POR GIVANILDO SILVA

MÍDIA

Só existe um jeito da imprensa estabelecer um confronto equilibrado com o presidente Jair Bolsonaro, apoiada pela opinião pública.

É buscando os eventuais pontos negativos do governo e tratá-los de maneira civilizada, sem, necessariamente, ficar bem-comportada. Educada, basta.

Mas agindo, do modo observado até agora, como uma vaca louca, irrita, inclusive, os radicais de esquerda, visto que já foram alvo da insensatez e sabem que podem tornar a ser a vítima, dependendo dos acertos republicanos e de outros nem tão próprios da República; que dirá o pessoal colocado mais ao centro, cujos valores e ideias são, tradicionalmente, de moderação, desabastecidos de sectarismo..

Isso, vale frisar, se aplica, igualmente, a Mossoró e aos demais recantos desse continente chamado Brasil.

FAXINA

Hoje, a faina da casa está puxada.

Teresa, secretária há 24 anos, encontra-se, desde o início de março, confinada.

Varri o chão e, depois, fiz desinfecção com água sanitária.

Botei uma ruma de panos no varal, devido ao mofo que acha-se espalhado.

Somente agora é que terminei de lavar os pratos.

Para o almoço, o cardápio é arroz integral e carne de sol trazida pelo meu genro Mário Sampaio, assada numa panela invocada, por minha filha Nicole Maria presenteada.

“Estou morta!”. É o que devem dizer, todo santo dia, muitas donas de casa.

A elas, portanto, mando irrestrita solidariedade.

ESTRADA

Peço desculpas aos diletos amigos, pois não tenho a menor condição de conversar pelo messenger. E não pretendo desligá-lo, em respeito aos meus camaradas.

A propósito, me contou o maior poeta do Brasil, Antônio Francisco, que, viajando com o eclético Crispinianoneto Neto – figuraça – ao Vale do Açu, o notável auxiliar da governadora Fátima Bezerra passou-lhe o volante para aprumar o veículo, enquanto comia um sorvete e falava ao celular. Aí, num distraimento, levou o refresco ao ouvido e, por muito pouco, não engoliu o telefone.

 

ESPAÇO DO GIVVA

OPINIÃO

POR GIVANILDO SILVA

GUARDADOS 

Em dias de isolamento, por conta da pandemia, tenho viajado muito pelos guardados. E vejo como o tempo passa rápido.

Encontrei um mandado de citação datado de julho de 2002, quando fui processado por 15 juízes de direito e 17 promotores de Justiça.

Era advogado e a OAB, amedrontada, pudera, sequer, constituiu um profissional a patrocinar a minha “perdida” causa.

Foi um momento ruim. Não em razão do assombroso massacre, mas, sim, porque, hoje, constato que todos nós erramos e erramos demasiado, talvez, acreditando na imortalidade.

ENTREVISTA

Num sábado como hoje, década dos anos 70, se não estou traído pela memória, na Fazenda São João, eu e o colega Paulo Bertrand entrevistávamos o doutor Tarcísio Maia.

Eis que, para surpresa nossa, o educado então governador do Rio Grande do Norte, em determinado momento da oitiva – puta palavrão -, com tom de zabumba, ou seja, de batida ou pancada, determinou que nós nos retirássemos, imediatamente, reclamando da capciosidade – outro palavrão – das perguntas.

Aí, a gente saiu da casa grande, como definido pelo extinto, indo tomar banho no açude da belíssima propriedade, morrendo de rir, naturalmente.

Saudade, eu tenho muito saudade; porque quase tudo que vivi existiu.

PARCIMONIOSO

O doutor Celso de Mello foi nada parcimonioso em relação à reunião do Conselho de Governo do dia 26 de abril, ao suspender o sigilo da parte em que o ministro da Economia, Paulo Guedes, se refere a eventual privatização do Banco do Brasil.

Além do assunto não ser objeto da investigação que corre no Supremo Tribunal Federal, a instituição financeira é uma empresa de economia mista, com papéis em bolsas de valores e, portanto, sensível, muito sensível, diria, ao estado de espírito do mercado.

ESPAÇO DO GIVVA

OPINIÃO

POR GIVANILDO SILVA

RAZÃO 

A prefeita de Mossoró, doutora Rosalba Ciarlini, acha-se coberta de razão em chamar à ordem os empresários que estão desrespeitando as regras de segurança sanitária decretadas pelo município, mesmo porque, nenhuma delas veio abastecida de direção oblíqua ( viés) autoritária

O lamentável é que os que agem corretamente podem pagar pelo comportamento irrefletido de alguns, pois a chefe do Executivo já afirmou que, se for preciso recuar em favor do bem coletivo, não tergiversará.

Portanto, que os lojistas que encontram-se fora da ordem se alinhem à regulação, enquanto é tempo, para a felicidade geral e para evitar constrangimento desnecessário.

CONGELAMENTO

Os maiores interessados no congelamento dos salários dos servidores públicos até dezembro de 2021 são os governadores e os prefeitos, por razões evidentes.

O presidente Jair Bolsonaro, praticamente, estará ficando somente com o ônus, em um eventual veto, diferente do que tentam enfiar na cabeça dos trouxas segmentos descompostos da mídia.

REUNIÃO 

Nesta quinta-feira (21), o presidente Jair Bolsonaro irá se reunir com os 27 governadores.

Ainda é tempo – antes tarde do que nunca – de remendarem-se as fraturas, sem mais quebra de relações, embora o desacordo seja inerente ao regime democrático.

O que não constitui atuação positiva no processo de civilização é a ninharia, que, infelizmente, tem sido adotada como valor “moral” absoluto por determinadas dignidades da República.

LULA

Deixem o ex-presidente Lula em paz! É questão de humanidade!

Eu, depois de dois meses de prisão domiciliar, estou começando a arranjar problemas na capacidade cognitiva.

Então, imagine como deve achar-se o processo mental de alguém que passou um bom período na chave.

A propósito, será que o meu queridíssimo primo tem tomado “tubaína”?

 

O ESTELIONATO ELEITORAL DE BOLSONARO

EDITORIA O GLOBO

“Bolsonaro constrói o seu estelionato eleitoral”.

É o título do editorial de O Globo, que diz:

“Ao confiar o respaldo parlamentar do seu governo ao centrão e a políticos em geral especializados em vender apoio em troca de cargos e orçamentos, Bolsonaro radicaliza o seu processo de metamorfose para mostrar quem verdadeiramente é.”

BOLSONARO E O CENTRÃO

EDITORIAL DO ESTADÃO

“O presidente Jair Bolsonaro tem atraído cada vez menos simpatizantes para as manifestações antidemocráticas organizadas pelos camisas pardas do bolsonarismo”, diz o Estadão, em editorial.

“No domingo passado, diante do Palácio do Planalto, havia só um punhado de devotos, a quem o presidente qualificou de ‘povo’. Está cada vez mais claro que seu suporte real, hoje, depende fundamentalmente dos partidos fisiológicos que o bolsonarismo jurou varrer. Para estes, só existe crise quando o cheque que lhes compra o voto – isto é, a promessa de cargos na administração federal – não tem fundos.”

TENHO MEDO QUE MEU DINHEIRO VÁ PARA O CENTRÃO

OPINIÃO

POR JOSIAS DE SOUZA

Dois sentimentos me tomaram de assalto (ops!) depois que Jair Bolsonaro transformou Valdemar Costa Neto, Roberto Jefferson e assemelhados em heróis da resistência. Primeiro, me bateu uma saudade do dinheiro que pago em impostos federais. Depois, tive uma certa apreensão. Angustia-me a certeza de que jamais verei o meu dinheiro. E a incerteza quanto ao seu futuro.

Nunca se sabe o que pode acontecer ao dinheiro da gente depois que ele é enviado pelo Fisco para os cofres do Tesouro. Enquanto está lá dentro, tudo bem. Claro que sempre há o risco de o meu dinheiro, mirrado, topar com o dinheiro do Paulo Guedes, taludo. Ou do Jorge Paulo Lemann, ainda mais parrudo. Entretanto, a humilhação do convívio não é nada perto da falta de critério na saída.

Ali, na boca do caixa, meu dinheiro tanto pode ir para um leito hospitalar como para os gastos secretos dos cartões corporativos do Bolsonaro. Ou para um apadrinhado qualquer do centrão. Depois que um preposto do Valdemar levou uma diretoria do Fundo Nacional de Educação, até a merenda escolar e o livro didático tornaram-se refúgios de alto risco.

Um frio correu-me a espinha ao saber que o deputado Wellington Roberto (PL-PB) é, por assim dizer, sócio de Valdemar na indicação do advogado Garingham Amarante Pinto para a Diretoria de Ações Educacionais do FNDE, um fundo com orçamento de formidáveis R$ 52 bilhões.

Wellington integrou a milícia parlamentar do notório Eduardo Cunha. Adepto do ‘Lula livre’, o deputado levou a o rosto à vitrine da web para celebrar a “inocência” de Lula. Agora, alia-se a Bolsonaro. Imaginei para o meu dinheiro uma vida mais produtiva. Francamente, não esperava que, depois da Lava Jato, ele fosse correr tantos riscos.

Sei que não é usual. Mas gostaria que me fosse permitido visitar o meu dinheiro. Ou o que restou dele. Não o quero de volta. Desejo apenas identificá-lo. Não seria tão difícil. É um dinheiro de fisionomia banal, suado. Depois, pediria a Bolsonaro: “Esse aqui, presidente, prefiro que use no vale corona de R$ 600 reais para os brasileiros pobres. Eu sei, eu sei, é pouco. Mas é meu.

Fonte: Uol

IMEDIATA APURAÇÃO E APOIO DA IMPRENSA, OAB E SOCIEDADE

NOTA

POR ACLECIVAM SOARES

Aribanaldo Soares foi morto fria a covardemente por dois assaltantes

Em nome da família: irmãos, esposa, filhos e neta, venho pedir a imediata apuração do latrocínio de meu irmão Aribanaldo Soares da Silva, ocorrido na última quinta-feira, 14, no bairro Alto do Sumaré, em Mossoró.

Sei que as condições oferecidas para as polícias é por demais deficitárias, no entanto, acredito e confio que os excelentes profissionais que trabalham na segurança pública, principalmente com investigação, vão elucidar essa tragédia que abalou não apenas a nossa família, mas também a sociedade de Mossoró e de outras cidades onde meu irmão era conhecido por várias pessoas, por ele ser um homem de bem, trabalhador, bom filho, bom marido, excelente pai.

Aqui também peço o apoio dos colegas da imprensa de Mossoró especificamente, mas também de todo Estado, sejam eles dos blogues, rádio, televisão, pelo facebook, instagram. Enfim, o apoio de todos, para que sejam nossa voz diária e cobrem das autoridades competentes a elucidação do crime e que não venha a ser mais um a ficar impune.

Como advogado, peço também o apoio da Ordem dos Advogados do Rio Grande do Norte (OAB-RN) e da OAB Subseção Mossoró, tanto de seus presidentes e vices, bem como dos presidentes da Comissão de Segurança Pública, para que juntos cobrem das polícias a elucidação do crime, e do Governo do Estado o apoio devido para que este possa ser elucidado.

Também peço o apoio, e muito importante, que é o da sociedade, principalmente dos moradores do bairro Alto do Sumaré, que se algum chegou a testemunhar o crime possa anonimamente detalhar para a polícia. Às vezes, o que pensamos ser um pequeno detalhe, ele pode ser grande para a polícia. Contribua.

Aos comerciantes do bairro Alto do Sumaré, que eles olhem em suas câmeras de segurança os movimentos na última quinta-feira, 14, entre às 19h e 20h, se veem imagens de duas pessoas em uma moto preta e não usavam capacete.

Sei que pode parecer difícil para quem viu ou tenha uma câmera instalada e não queira passar informações, porém, espero que você leve em consideração que a próxima vítima pode ser você ou alguém de sua família.  Você ajudando, que será de forma anônima, vai contribuir para a sociedade toda.

Por último, peço a você das redes sociais que compartilhem esse pedido de socorro. Sei que muitos de vocês ficaram chocados, de coração partido, imagine nós da família que nos sentimos destroçados.

Nos ajude. Ajude a polícia a nos dar uma resposta.

ESPAÇO DO GIVVA

OPINIÃO

POR GIVANILDO SILVA

PODEROSA

A FIFA é poderosa. Na Europa, o futebol já voltou e jogadores festejam o retorno com beijos e abraços, mandando às favas as recomendações de distanciamento da Organização Mundial de Saúde.

Enquanto isso, no Brasil, ninguém quer abaixar a bola. Aí, não rola.

LÍNGUA 

Não merecem ser desconsiderados aqueles que fazem restrição à língua, digamos assim, espontânea do presidente Jair Bolsonaro, porque, inegavelmente, muita coisa que ele fala vai de encontro com a liturgia do cargo.

Mas, igualmente, em razão das responsabilidades que detém, na qualidade de chefe de estado, o capitão não pode ser desmerecido quando se preocupa com a saúde econômico-financeira do país, pois trata-se de gesto de nobreza, e, acima de tudo, imperativo, que se impõe como dever ou necessidade absoluta.

O grande problema do Brasil, no momento, é a brigalhada politiquenta que contaminou o meio, ainda mais do que o brutal vírus chinês.

Consequência, certamente, da atuação negativa de todos, ou, pelo menos, da maioria, no processo civilizatório, porque ninguém bate-boca sozinho.

IMPEACHMENT

Falar-se em impeachment, neste momento, como a Globo acaba de destacar, no jornal hoje, é a prova de que tem gente não interessada em que se resolva o problema do novo coronavírus, mas, decerto, torcendo pelo quanto pior melhor.

As instituições brasileiras, todas, sem exceção, são chamadas a ter sensatez, ante quadro sombrio de incertezas.

Atitude cautelosa é o menos que se espera. Senão, é falta de vergonha na parte frontal da cabeça.

COLUNA DEMOCRATIZANDO

INFORMATIVO

POR HERMES OLIVEIRA  

“Causos, crônicas, contos, poesias e prosas democráticos”:

GALINHA NA AL: Campanha Salarial 2006 – Um candidato a deputado estadual de Assu/RN que tem nome dos mais estranhos, a fauna política potiguar é Antônio Galinha. Ele, logicamente, não é da espécie “ave gali-forme” e muito menos volúvel com as mulheres como o termo popular dá significado. Entre os slogans o mais simples está definido, apesar de inspirar outras interpretações: “Vote no Galinha”! FONTE: Só Rindo 2 – A política do bom humor do palanque aos bastidores. Carlos Santos, Sarau das Letras – Junho/2011. Abraços, Mané Beradeiro – Cidadão da lendária e mítica São Sarauê. Contador de Causos e declamador de poesia matuta na literatura do Rio Grande do Norte. (Francisco Martins – Escritor e criador d’O Mané Beradeiro. [http://www.franc%09iscomartinsescritor.blogspot.com]www.franciscomartinsescritor.blogspot.com).

Estimados/as Amigos/as:

E OS DECRETOS? Saio de casa pelo menos dois dias por semana, a ir farmácia e supermercado já em sintonia com minha mãe a atender nossos lares. A cada “visita ao centro” é notório que estabelecimentos prestando “serviços essenciais” abrem as portas tranquilamente e autorizados. Já outros estabelecimentos, quando não ignoram totalmente “Os Decretos” municipal e estadual abrem a meia-porta – que até eu nem sei mais se estão em vigor… . E daí? Me respondam, “e os decretos”? Boa leitura nobre leitor/a.

 

7 MILHÕES DE TRABALHADORES FORMAIS TIVERAM SALÁRIO E JORNADA CORTADO PÓS PANDEMIA. O número de trabalhadores formais que tiveram salários e jornadas reduzidos ou contratos suspensos após a crise do novo coronavírus ultrapassou 7 milhões nesta segunda-feira (11), segundo dados do Ministério da Economia.

O saldo representa 21% do total de empregados com carteira assinada no país. No dia 1º de abril, o presidente Jair Bolsonaro editou uma MP que autoriza a suspensão de contratos ou redução de salários e jornadas de trabalho durante a crise provocada pela pandemia.

Trabalhadores afetados recebem uma compensação do governo que pode chegar a 100% do que receberiam de seguro-desemprego em caso de demissão. A pasta ainda não divulgou o detalhamento atualizado desse dado, com separação por tipo de acordo, porte da empresa e região do país.

Pelas contas da equipe econômica, a medida deve alcançar 24,5 milhões de trabalhadores com carteira assinada, mais de 70% de todos os empregados formais do país. FONTE: sosconsumidor.com.br, em 12/05/2020.

MILITARES TERÃO DE DEVOLVER AUXÍLIO EMERGENCIAL, determina TCU. Servidores não estão entre aqueles que podem receber o auxílio emergencial, segundo a Lei 13.982/2020. Por isso, o ministro do Tribunal de Contas da União Bruno Dantas determinou, em liminar, que os Ministérios da Defesa e da Cidadania não concedam o benefício a militares, cancelem os cadastros já feitos e obtenham a devolução dos valores pagos irregularmente.

O Ministério da Defesa informou que 73,2 mil militares das Forças Armadas receberam o auxílio emergencial de R$ 600. Segundo o TCU, esse contingente representaria, no mínimo, R$ 43,9 milhões pagos na primeira parcela e poderiam chegar a R$ 131,8 milhões caso as três parcelas sejam pagas.

O objetivo da concessão do benefício é proteger pessoas em situação de vulnerabilidade social, como trabalhadores informais e de baixa renda — além de reduzir os impactos econômicos das medidas de combate ao coronavírus.

A equipe de fiscalização da Secretaria de Controle Externo da Gestão Tributária da Previdência e da Assistência Social (SecexPrevidência) apresentou representação ao TCU, argumentando que a Lei 13.982/2020, que criou o auxílio emergencial, não autoriza que servidores públicos o recebam.

Ao conceder a liminar, Bruno Dantas afirmou que há fumaça do bom direito, pois os Ministérios da Defesa e da Cidadania reconheceram o recebimento do benefício por militares, e não há previsão legal que os torne aptos a obter o auxílio. Além disso, o ministro disse haver perigo da demora, já que a segunda parcela do programa está prestes a ser paga (…). FONTE: www.plantaobrasil.net, em 13/05/2020.

EDILEUZA MARTINS, REPÓRTER POR UMA EDIÇÃO. O portal www.portalcovid19.saude.rn.gov.br, criado por várias instituições e centros de pesquisa, reúne dados sobre a gestão, a comunicação, o monitoramento, as medidas e cuidado no enfrentamento da pandemia e disponibiliza serviços à população em geral e aos profissionais de saúde. Abraços, Edileuza – servidora pública do Estado do RN.

 

CONQUISTE SEU EMPREGO:

MA: A Prefeitura de Araioses/MA realizará CONCURSO PÚBLICO oferecendo 155 (CENTO E CINQUENTA E CINCO) VAGAS PARA VÁRIOS CARGOS, inscrições até o dia 12/06/2020. Escolaridade exigida: MÉDIO / TÉCNICO / SUPERIOR. Salário: até R$ 4.500,00;

 

PB: A Prefeitura de Capim/PB realizará CONCURSO PÚBLICO oferecendo 113 (CENTO E TREZE) VAGAS PARA VÁRIOS CARGOS, inscrições PRORROGADAS até 17/05/2020. Escolaridade exigida: FUNDAMENTAL / MÉDIO / TÉCNICO / SUPERIOR. Salário: até R$ 2.800,00. Maiores informações do edital acesse o site: www.pciconcursos.com/concursos.

PANO RÁPIDO:

DE FIES: Projeto de Lei nº 1.079, de 2020, do Deputado Denis Bezerra, que altera a Lei nº 10.260, de 12 de julho de 2001, para suspender temporariamente as obrigações financeiras dos estudantes beneficiários do Fundo de Financiamento Estudantil (FIES) por 60 (sessenta) dias, contados da data de publicação desta Lei, prorrogáveis por igual prazo pelo Poder Executivo. Relator: Senador Dário Berger. (Pendente de parecer). FONTE: http://www.senado.leg.br/atividade/plenario/ordemdodia, em 13/05/2020.

REGISTROS:

AMIGOS/AS DE PARABÉNS NA SEMANA! – “Chegou a hora de apagar a velinha / Vamos cantar, aquela musiquinha! / Parabéns! / Parabéns! Pelo seu aniversário”! DIA 14: João Vidal – SEBRAE, Kelly Janaína – Enfermeira; Leoniza Oliveira Esteticista, Luciano Lellys – Repórter Fotográfico, Maria Luiza – Estudante. SEGUIDOS POR: Arianny Carvalho – UERN, Gileno Fernandes – FUNDASE e Josué Damasceno – Prof., Marina – UFERSA e Marta Melo – Comerciária (15). E DIA 16: Elisângela Moura – Repórter, Ivaldo Ribeiro – Autônomo, Janeayre Souto – Educação, Osvaldo Nonato – Mov. Sociais, Pascoal Moreira – Autônomo e Yassonara Barbalho – FUNDASE;

DO AMIGO/A LEITOR/INTERNAUTA: “Seu Hermes, boa tarde. Obrigado pela comunicação e o Senhor é 10, temos que passar as alegrias, fraternidade e humildade principalmente. Maxwuel Arão. – Palavras do amigo MA, via celular em agradecimento a nossa comunicação virtual e em alguns segundos ao adentrar no nosso condomínio.

 

MEMÓRIA:

HÁ 111 ANOS! – Inaugurado o Grupo Escolar 30 de Setembro, em 12 de maio de 1909. Fonte: Mossoró Nossa Terra, 2009 – Vol. 1, por Prof. Almir Nogueira. Edição 898, maio/2020;

DA EDIÇÃO Nº 857 (em 02/06/2019): INSS vai revisar três milhões de benefícios; De ingerência militar; EMPARN: acordo judicial garante quitação a partir de janeiro; Eriberto Monteiro, repórter por uma edição; Bronca do leitor(a)/interna (627) – por Rubens Coelho; Fique sabendo… “Dia internacional da prostituta – objetiva denunciar a discriminação e a exploração a nível mundial”;

DIA: hoje é Dia Continental do Seguro e Dia do Segurador. Amanhã (15) Dia da Assistente Social / Dia do Assistência Social, Dia do Gerente Bancário, Dia Internacional da Família e Dia Nacional de Controle de Infecção Hospitalar.

DEMOCRATIZANDO A POESIA (poesia para crianças):

(https://rosangelatrajano.com.br).

POESIAS PARA CRIANÇAS.

“O Menino Silencioso” (Rosângela Trajano, 19/11/2019).

O menino silencioso
Ficava quietinho
Sentado num canto
Da janela pertinho.

Barulho não fazia
Nada falava
Era apenas silêncio
Que nele morava.

O menino silencioso
Barulhos tinha
Dentro de si
Feito uma bandinha.

ESTA EDIÇÃO É DEDICADA: aos profissionais de seguros, assistente sociais, gerentes bancos, as famílias e agentes de controle de infecção hospitalar.

QUEM canta …

“Minha querida, saudações / Escrevo esta carta / Não repare os senões / Para dizer-te o que sinto / Longe de ti / Amargurado na saudade / Das horas vividas com felicidade …” . (“A Carta.”. – Autor: Jorge Gonçalves & Júlio Louzada. – Canta: Waldick Soriano.).

O GENERAL HELENO INVENTA O PATRIOTISMO DE BOTEQUIM

OPINIÃO

POR JOSIAS DE SOUZA

Reuters

Comandante de uma escrivaninha no Planalto, o general Augusto Heleno desceu à trincheira das redes sociais armado de tambores e clarins. Estufando o peito como uma segunda barriga, Heleno proclamou que o ministro Celso de Mello, do Supremo, cometerá “um ato impatriótico, quase um atentado à segurança nacional” se mandar divulgar a íntegra da gravação da reunião ministerial de 22 de abril.

Heleno insinua que Jair Bolsonaro e seus ministros trataram na reunião de temas sensíveis. Na definição do general, abordaram-se “assuntos confidenciais e até secretos.” Em petição ao decano do Supremo, a defesa de Sergio Moro pede transparência total. Alega que a gravação não expõe “segredo de Estado”, apenas “constrangimentos”.

De fato, tomada pelos vazamentos, a reunião do Planalto transcorreu sob atmosfera constrangedora, marcada por xingamentos, desqualificações e alucinações..

Foi como se Bolsonaro e os ministros estivessem com a barriga encostada no balcão de um boteco de quinta categoria. Ou com os cotovelos recostados numa mesa de ferro —dessas que têm os pés em formato de ‘X’ e o tampo apinhado de garrafas de cerveja vazias.

Até para desfazer essa imagem, Heleno deveria defender o escancaramento da gravação. Sob pena de potencializar a sensação de que o general do GSI e seus companheiros de farda no Planalto inventaram uma modalidade nova de patriotismo: o patriotismo de botequim.

Fonte: Uol