Ladrões nativos não conseguem impedir que roubalheira na Petrobras seja investigada nos EUA e na Holanda…

É um vexame internacional! Ou: o estranho tempo da CGU

Por Reinaldo Azevedo

Que coisa! Muito ágil a Controladoria-Geral da União, não é mesmo? Vamos ver. Como vocês sabem, o Ministério Público da Holanda anunciou, nesta quarta-feira, que a empresa SBM Offshore foi multada em US$ 240 milhões por ter pagado US$ 200 milhões em propina para obter contratos em vários países, entre 2007 e 2011. O Brasil, claro!, está entre eles. A SBM é a maior fornecedora mundial de plataformas de petróleo e mantém contratos com a Petrobras que chegam a US$ 27 bilhões. A empresa confessou os seus crimes mundo afora, inclusive em nosso país: pagou suborno a funcionários e intermediários da Petrobras estimados em US$ 139 milhões. Atenção! Não se trata mais de suspeita. É um fato. O criminoso confessou.

O vexame é gigantesco. O caso foi denunciado pela VEJA em fevereiro. Em março, a Petrobras concluiu uma apuração interna, em tempo recorde, e, acreditem!, não viu nada de errado. Nesta quarta, horas depois de o Ministério Público da Holanda ter anunciado a punição da SBM, eis que o ministro Jorge Hage vem a público para informar que a Controladoria-Geral da União também constatou irregularidades. É mesmo?

Não quero maldar! Mas acho a coincidência, para dizer pouco, estranha. O caso de corrupção só veio a público porque um ex-funcionário a SBM tentou chantagear a empresa em 3 milhões de euros para não contar o que sabia. Ela não aceitou, e o escândalo veio à luz, com uma penca de evidências. A Petrobras, no entanto, não encontrou nada de errado. Não me digam!

“Sem dúvida houve irregularidade no relacionamento entre a SBM e seus representantes no Brasil e a Petrobras”, afirma Hage. A empresa — leiam aqui — já afirmou que está disposta a colaborar com as investigações e se dispõe a fornecer informações à Controladoria.

Tchau, Graça!
Graça Foster, a presidente da Petrobras, tem um mal semelhante ao de sua chefe e amiga, a Dilma: como está com o ar sempre enfezado, passa a impressão de que sempre tem razão ou de que pensa mais do que… pensa. Em maio, esta senhora negou que houvesse qualquer irregularidade na relação com a SBM e ainda lembrou que há contratos oriundos da era FHC. Ora, claro que sim! A empresa é a maior do setor. O ponto é outro: a corrupção admitida pela empresa se deu entre 2007 e 2011, quando o petista José Sérgio Gabrielli presidia a Petrobras.

O ar de severidade de Graça não me intimida. Ela deveria ter deixado a direção da empresa quando ficou claro que participara de uma conspirata para fraudar o funcionamento normal de uma CPI. Há agora mais um motivo — um escandaloso motivo.

Terceirizar o Brasil
Nessa toada, o nosso país ainda será salvo — ou, ao menos, conseguirá se livrar de certos problemas — em razão das leis vigentes em outras democracias. Foi preciso que a Price ameaçasse suspender a análise de balanço da Transpetro para que Sérgio Machado se afastasse da presidência da subsidiária da Petrobras. A estatal brasileira está sendo investigada hoje pelo órgão americano que regula as empresas que atuam em Bolsa nos EUA e por uma divisão do Departamento de Justiça. Se assarem pizza por aqui, ela não será assada por lá.

Agora, vemos a Holanda punindo uma empresa holandesa em razão de relações corruptas mantidas mundo agora, inclusive no Brasil. E só então a CGU anuncia que a investigação está chegando a algum lugar.

Será que é o caso de terceirizar o Brasil? Isso tudo explica por que tropa de choque do governo faz de tudo para sabotar a CPI, como voltou a fazer nesta quarta. O nome disso é medo.

Fonte: www.veja.com.br

Ricardo de Dodoca diz que está ao dispor do prefeito Francisco José Júnior

Vereador afirma que se for convidado irá para o secretariado municipal

Vereador Ricardo de Dodoca anuncia que se for convidado pelo prefeito, assume secretaria – Foto: Arquivo

Enquanto o prefeito de Mossoró, Francisco José Júnior (PSD), cumpre alguns dias de descanso, depois da maratona de campanhas eleitorais das quais participou, até se eleger para a chefia da municipalidade e comandar as vitórias de seus candidatos, Robinson Faria (governador), Fátima Bezerra (senadora), Fábio Faria (deputado federal), Galeno Torquato (deputado estadual e Dilma Rousseff (presidente da República), aumentam as especulações nos bastidores políticos da cidade.

E, conforme a lenda, quando reassumir os despachos administrativos, Francisco José Júnior deverá efetuar algumas mudanças no secretariado.

Um dos objetivos seria acomodar, dentre alguns aliados, o suplente de vereador, Gilberto Diógenes, do PT.

Para isso, será necessário a convocação de algum vereador eleito pelo coligação da qual o PT fez parte.

E, para que isso se concretize, se desejar, o prefeito não terá muitos problemas.

É o que fica claro, diante da posição externado ao blog, pelo vereador Ricardo de Dodoca, do PTB.

– Não fui convidado, mas se o prefeito me convocar, como soldado que sou do nosso grupo, topo na hora -, declarou, Ricardo de Dodoca.

Mais claro, impossível.

Aécio: abandono de meta fiscal é “atestado de fracasso” na economia

Tucano aproveitou o gancho para retomar a crítica à falta de transparência do governo federal com relação aos dados oficiais

Link permanente da imagem incorporada

O senador Aécio Neves (PSDB-SP) criticou na tarde desta quarta-feira (12/11) a proposta enviada pelo governo federal ao Congresso Nacional que altera as metas e o cálculo do superávit primário para 2014 – recursos reservados para pagamento de dívidas. “Daqui por diante não existe mais lei. Este é um dos tripés fundamentais da macroeconomia brasileira, que está sendo mais uma vez desrespeitado por este governo”, criticou o tucano. O senador disse que, “perdulário”, o governo não tem “autoridade moral” para enviar a proposta ao Congresso e fez ainda um apelo aos colegas parlamentares: “Espero que o Congresso se respeite, respeite as suas prerrogativas e impeça essa violência, que na verdade é o atestado definitivo de fracasso da condução da política econômica”, disse.

“Nós vamos discutir, inclusive do ponto de vista judicial, quais as medidas cabíveis. A presidente da República incorre em crime de responsabilidade se não cumprir a meta aprovada pelo Congresso Nacional”, anunciou. Neves disse ainda que a presidente Dilma Rousseff (PT) teria de devolver o mandato caso existisse um “Procon eleitoral”. “Eu já disse na semana passada que esse governo comete um estelionato eleitoral, ao propor imediatamente após as eleições medidas diametralmente opostas àquelas que anunciava no período pré-eleitoral, e quer agora, com essa medida anunciada, essa tentativa, colocar por chão todos os pilares fundamentais das boas práticas econômicas.”

Aécio aproveitou o gancho para retomar a crítica à falta de transparência do governo federal com relação aos dados oficiais. “O que estamos assistindo é a reedição, já no período pós-eleição, de tudo aquilo que nós assistimos nos últimos quatro anos. Mais uma vez querem mascarar os números. O governo, na verdade, quer produzir um déficit e chamá-lo de superávit”, disse. Aécio criticou ainda as explicações da ministra do Planejamento, Miriam Belchior, para a necessidade de revisão do superávit primário. “O governo tem de ter a humildade de dizer que fracassou, que falhou”, apontou.

Credibilidade

Aécio aproveitou o tom crítico para ironizar a carte de demissão da ex-minsitra da Cultura, Marta Suplicy, na qual a petista critica indiretamente a política econômica do governo federal. “Tenho que registrar, como crítico que sou do governo, que nesse momento eu concordo em grande parte com aquilo que dizem alguns dos ministros – em especial uma ex-ministra -, em relação à perda de credibilidade na condução da economia e à absoluta ausência de diálogo, durante esses últimos anos, com setores fundamentais da sociedade brasileira”.

Fonte: www.correiobraziliense.com.br

Gabarito oficial do ENEM

Confira abaixo

O Ministério da Educação divulgou na manhã desta quarta-feira (12) o gabarito oficial da edição de 2014 do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). Confira abaixo:

GABARITO DAS PROVAS DE SÁBADO (8/11)
PROVA AMARELA (sábado)
PROVA ROSA (sábado)
PROVA AZUL (sábado)
PROVA BRANCA (sábado)

GABARITO DAS PROVAS DE DOMINGO (9/11)
PROVA AMARELA (domingo)
PROVA ROSA (domingo)
PROVA AZUL (domingo)
PROVA CINZA (domingo)

Provas amarela e azul que foram aplicadas no Enem 2014 (Foto: G1)Provas amarela e azul que foram aplicadas no Enem
2014 (Foto: G1)

Segundo o ministro da Educação, as notas do Enem 2014 devem ser divulgadas em janeiro de 2015.

Acertou quantas questões do Enem? Entenda como sua nota será calculada

O Enem foi realizado no sábado (8) e domingo (9) e bateu recorde este ano com a participação de mais de 6,2 milhões de candidatos, segundo dados divulgados pelo próprio MEC na noite deste domingo (9). No total, 8,7 milhões de pessoas se inscreveram para a prova, mas o índice de abstenção foi de 28,6%, abaixo da taxa de 29% registrada na edição anterior. O número de pessoas que fizeram as provas foi cerca de 24% mais alto que em 2013, quando 5 milhões de candidatos compareceram ao exame.

Em 2014, pelo menos 1.519 pessoas foram eliminadas durante a aplicação das provas. Desses, 236 foram eliminados por uso de celular, disse o ministro Henrique Paim. As provas foram aplicadas em 1.752 municípios.

Professores elogiaram Enem
As provas do Enem 2014 foram elogiadas por professores de cursos pré-vestibulares ouvidos pelo G1. Em ciências humanas, aplicada no sábado (8), os docentes consideraram a prova bem contextualizada e com textos mais curtos e diretos. A prova de ciências da natureza, principalmente nas questões de química, privilegiou os candidatos que se prepararam para o exame, segundo eles. Alguns temas da cultura “pop” que foram citados nas questões foram o personagem Cebolinha, da Turma da Mônica, criada pelo cartunista Maurício de Sousa, e o Pequeno Príncipe (veja a íntegra da prova).

No domingo (9), a prova de matemática tevemenos cobrança de conteúdo e exigiu mais interpretação dos candidatos. As questões de linguagens mantiveram o “estilo Enem”, explicaram os professores: enunciados com textos longos e interdisciplinaridade. Neste ano, muitos autores consagrados da literatura brasileira apareceram nas questões, como Gregório de Matos, Augusto dos Anjos, Machado de Assis, Guimarães Rosa e Manuel Bandeira. Além disso, vários cartunistas tiveram charges inspiradoras de questões, como Will Leite, do Paraná. Uma questão abordou o MMA, modalidade de artes marciais.

A prova de redação teve como tema a “Publicidade infantil em questão no Brasil”. Para os professores, o tema refletiu a tendência do Enem de fugir das efeméridas e temas com grande repercussão midiática recente. Também no segundo dia  (veja a íntegra da prova).

Nos dois dias do exame, os candidatos usaram as redes sociais para comentar as provas e bolaram memes e piadas que estiveram entre os assuntos mais comentados.

Veja como usar o seu Enem

Sisu e Prouni são algumas das opções para quem prestou o Enem 2014 (Foto: Reprodução/Inep)Sisu e Prouni são algumas das opções para quem prestou o Enem 2014 (Foto: Reprodução/Inep)

O exame, maior do tipo no país e um dos maiores do mundo, pode ser usado de diversas formas:

Seleção para universidades (Sisu)
As notas do Enem são usadas para selecionar os candidatos para as vagas em universidades federais e outras instituições de ensino. As universidades podem usar o Enem como único método de seleção, pelo Sistema de Seleção Unificada (Sisu), que terá a primeira edição de 2015 em janeiro, ou fazer uma combinação entre as notas do Enem e seu vestibular próprio. O Sisu já recebeu a adesão da maioria das universidades e institutos federais e, na última edição, ofereceu mais de 170 mil vagas.

Programa Universidade para Todos (Prouni)
Para disputar uma bolsa de estudos do Prouni, que varia de 50% a 100% do curso de uma instituição de ensino superior privada, o candidato precisa ter obtido nota mínima de 400 pontos no Enem, entre outros requisitos. Desde 2004, quando foi criado, o Prouni já ofereceu mais de 1,2 milhão de bolsas de estudo em cursos de graduação e sequenciais de formação específica.

Financiamento estudantil (Fies)
Estudantes que concluíram o ensino médio a partir de 2010 e queriam solicitar o Fies devem ter feito Enem, caso contrário, não poderão solicitar o benefício. Não há nota mínima obrigatória. Estão isentos desta exigência os professores da rede pública de ensino. Pelo Fies é possível financiar os cursos de graduação bem avaliados junto ao MEC. A taxa de juros é de 3,4% ao ano para todos os cursos. Ele pode ser solicitado pelo estudante em qualquer etapa do curso e em qualquer mês. Em agosto deste ano, o governo afirmou haver assinado o milionésimo contrato do Fies.

Ciência sem Fronteiras
O programa de intercâmbio do governo federal prevê oferecer, até 2015, 101 mil bolsas de estudo para intercâmbios no exterior destinado a alunos de graduação e pós. A partir de 2013, o Enem, antes usado de mandeira classificatória no programa, passou a ser obrigatório aos alunos interessados nas bolsas de estudo da graduação-sanduíche. Para participar, é preciso ter feito qualquer edição do Enem a partir de 2009 e conseguido a média mínima de 600 pontos. Os candidatos também são avaliados de acordo com seu aproveitamento acadêmico na universidade.

Sisutec
O Sistema de Seleção Unificada da Educação Profissional e Tecnológica (Sisutec) é o sistema informatizado, gerenciado pelo Ministério da Educação (MEC), no qual instituições públicas e privadas de ensino superior e de educação profissional e tecnológica oferecem vagas gratuitas em cursos técnicos na forma subsequente para candidatos participantes do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem).

Certificação do ensino médio
Quem tem no mínimo 18 anos e não concluiu o ensino médio pode conseguir a certificação por meio do Enem. A pontuação mínima é 450 pontos em cada uma das áreas de conhecimento e 500 pontos na redação. Desde 2009, quando o Enem ganhou a função de conferir o certificado, o número de candidatos que solicitaram a certificação do ensino médio triplicou: foi de 197.991 naquele ano para 997.131 em 2014.

Fonte: www.g1.com.br

Robinson Faria trata de desafios da administração estadual

Governador eleito debate desafios da gestão na Assembleia

 IMG-20141112-WA0042 IMG-20141112-WA0045

Os desafios da administração estadual e do orçamento foram debatidos pelo governador eleito Robinson Faria (PSD) e os deputados da atual e da próxima legislatura nesta quarta-feira (12). Liderados pelo atual presidente da Casa, Ricardo Motta (Pros), os deputados fizeram reunião com Robinson e questionaram sobre os projetos da próxima administração.

Deputado estadual por 24 anos e oito anos como presidente da Assembleia Legislativa, Robinson afirmou que manterá o diálogo com o poder legislativo e pediu apoio aos parlamentares para superar os desafios da administração. “A missão de governar o Rio Grande do Norte não é apenas do governador. Cada um de nós tem obrigação como representantes do povo de promover o desenvolvimento do nosso Estado. Eu peço como governador eleito, como ex-deputado e como cidadão, apoio de vocês para juntos ajudarmos o Rio Grande do Norte”, destacou Robinson.

O governador eleito lembrou do papel da Assembleia de ser o “alicerce” na aprovação dos projetos que beneficiarão a população, na questão orçamentária e no atendimento ao cidadão. “A Assembleia é a casa do povo e sei que poderei contar com o apoio de vocês, independente de bandeiras partidárias. A campanha já acabou. Vamos olhar para o futuro, vamos pensar no Rio Grande do Norte”, justificou.

Aos deputados, o governador eleito disse que o gabinete no poder executivo estará aberto para eles a qualquer momento. “Vocês são representantes do povo. Representantes de segmentos que apoiaram Robinson. Estaremos na governadoria a partir do ano que vem trabalhando, dialogando e escutando de vocês as demandas do interior, da capital, dos projetos que precisam de mais atenção”, garantiu.

O presidente da Casa, Ricardo Motta agradeceu a visita do governador eleito ao legislativo estadual e afirmou que Robinson pode contar com a Assembleia.

Robinson falou ainda sobre elo com grupo de deputados do PSD e deputados que o apoiam. “A Assembleia contará com três deputados do PSD: José Dias, Dison Lisboa e Galeno Torquato e ainda com o apoio dos deputados Carlos Augusto Maia, Cristiane Dantas, Mineiro que estiveram junto conosco na campanha, que acreditaram no nosso projeto. Se depender de mim, os deputados ligados ao governador serão ótimos deputados para o Estado”, explicou.

O vice-governador eleito e atual deputado estadual Fábio Dantas (PCdoB) também participou da reunião e solicitou apoio dos parlamentares para informações para a equipe de transição.

 

Genivan Vale se posiciona sobre projetos culturais

Câmara Municipal de Mossoró promulgará seis projetos ligados à cultura

Vereador Genivan Vale

Com a presença de representantes da classe artística, a Câmara Municipal de Mossoró (CMM) leu hoje, 12, as mensagens de veto do Executivo sobre os 12 projetos ligados à cultura. Das matérias vetadas, o Legislativo promulgará seis devido à Prefeitura ter enviado as mensagens fora do prazo regimental.

O alerta de que o Executivo ultrapassou o prazo para vetar os projetos foi feito ao pelo vereador Genivan Vale (PROS). “Após aprovado na Câmara, a prefeitura tem 15 dias, a partir do recebimento, para aprovar ou vetar o projeto. Terminado esse prazo, cabe à Casa promulgar a matéria”, explica o parlamentar. Como base nesta prerrogativa, o presidente da CMM, o vereador Francisco Carlos (PV) decidiu promulgar as matérias.

Sendo assim, serão leis os projetos que preveem a obrigatoriedade da participação de artistas locais na abertura e encerramento de shows nacionais e internacionais no município, a inclusão de músicas regionais nas emissoras de rádio, e a propagação da arte de grafite nos muros das escolas públicas municipais e dos viadutos de Mossoró. Além disso, também serão promulgados os projetos que torna o “Pingo da Mei Dia” Patrimônio Imaterial de Mossoró e que institui o Programa Ciranda de Livros nas instituições de ensino da cidade.

Os demais projetos serão apreciados pela Comissão de Constituição, Justiça e Redação (CCJR). Genivan Vale, que é membro da comissão, sugeriu a apreciação dos vetos ainda na sessão de hoje, 12, no entanto, os demais membros da Comissão, Genilson Alves e Manoel Bezerra, não concordaram com a proposta. Assim, os vetos serão apreciados na próxima reunião da comissão, obedecendo ao regimento interno da Câmara.

Genivan Vale critica os motivos apontados pelo Executivo para justificar os vetos aos projetos. “Os argumentos usados pela prefeitura não convencem. Em alguns casos, o Executivo apenas copiou e colou a mensagem de veto de outras matérias com conteúdos totalmente diferentes para embasar o ato”, declara o vereador, destacando que todos os projetos beneficiam os artistas locais.

 

Mossoró: magistrado determina rescisão de contrários temporários da UERN

Pedro Cordeiro determina que o UERN tem doze meses para rescindir contratos 

A Universidade do Estado do Rio Grande do Norte (UERN) deverá rescindir, no prazo máximo de doze meses, os contratos temporários celebrados para atendimento de serviços de apoio, exercidos por auxiliares de serviços gerais, motoristas, vigilantes e outros profissionais. A decisão proferida pelo juiz Pedro Cordeiro Júnior, da Vara da Fazenda Pública de Mossoró, determina ainda que o Estado promova a contratação de empresa terceirizada de prestação de serviços e encaminhe projeto de lei à Assembleia Legislativa normatizando as contratações temporárias da UERN.
O Ministério Público Estadual ajuizou Ação Civil Pública, com pedido liminar, contra a Universidade e o Estado do Rio Grande do Norte, pedindo o fim dos contratos temporários relacionados aos serviços de apoio ou que o preenchimento deve ocorrer por meio de concurso. O MP também deseja que o Estado adote medidas administrativas e orçamentárias que garantam a realização de concurso público e a contratação de mão de obra terceirizada, em conformidade com a legislação.
O juiz Pedro Cordeiro aponta que documentos comprovam que a UERN há vários anos vem contratando trabalhadores com características de terceirizados sob a pecha de temporários, sendo contabilizados 239 servidores nessas condições.
Ocorre que a Constituição Federal estabelece a possibilidade de contratação de servidores temporários para atender a necessidade temporária de excepcional interesse público, sendo que os serviços de apoio, por não serem transitórios ou esporádicos, não podem ser enquadrados em tal categoria.
Prejuízos aos cofres públicos
Para o juiz, o chamado “periculum in mora” reside no fato de que a manutenção de servidores irregularmente pode causar graves prejuízos aos cofres públicos, “violando frontalmente os princípios da legalidade, moralidade, eficiência, impessoalidade e isonomia”.
Além de rescindir contratos irregulares, a UERN será obrigada, em prazo máximo de seis meses, a promover contratações temporárias com base na previsão legal própria, através de processo seletivo e nas situações permitidas pela Constituição. Enquanto isso, o Estado do Rio Grande do Norte deverá adotar medidas administrativas e orçamentárias suficientes para determinar a contratação de empresa terceirizada de prestação de serviços.

Fonte: Site do TJRN

Governador eleito diz que terá interferência mínima na eleição da AL

Robinson Faria tem posse confirmada para o dia 1º de janeiro, às 16h

IMG_6650.JPG

Robinson Faria conversa com deputados – Fotos: Blog de Anna Ruth

IMG_6655.JPG

IMG_6654.JPG

O governador eleito do Rio Grande do Norte, Robinson Faria (PSD) declarou, nesta quarta-feira, 12, durante visita aos deputados estaduais, na Assembleia Legislativa, que terá a “mínima interferência possível” na eleição para presidente da Casa.

Ele afirmou que sobre o assunto a primeira providência será conversar com a sua bancada de apoio.

Durante a visita o cerimonial da Assembleia Legislativa confirmou a posse de Robinson, para o dia 1º de janeiro, às 16h, no Centro de Convenções.

Fonte: Blog de Anna Ruth

Robinson Faria é recebido com festa na Assembleia Legislativa

Governador eleito faz visita de cortesia aos deputados estaduais

Governador eleito foi recebido pelo presidente da AL, Ricardo Motta, e demais deputados

Robinson Faria foi recebido pelo presidente da Assembleia Legislativa, Ricardo Mota e outros deputados – Foto: Humberto Sales

“Olê, olê, olê, olá, a Assembleia botou foi pra lascar”.

Foi ao som de uma canção com essa letra, improvisada por servidores da Assembleia Legislativa, que o governador eleito, Robinson Faria (PSD) foi recebido na Casa da qual foi presidente.

Robinson Faria foi até a Assembleia Legislativa nesta quarta-feira, 12, pela manhã, onde fez uma visita aos deputados estaduais do Estado.

Veja o vídeo do Blog de Thaisa Galvão:

 Presidente da Câmara promulgará leis de projetos vetados por Francisco José

O anúncio partiu de Francisco Carlos, em pronunciamento, esta manhã, na Tribuna do Poder Legislativo

vereador francisco carlos

Seis de doze projetos de lei vetados pelo prefeito Francisco José Júnior (PSD), e cujos vetos foram impostos fora dos prazos legais, serão promulgadas pela Câmara Municipal de Mossoró. Foi o que anunciou o presidente da Casa, vereador Francisco Carlos (PV), em pronunciamento no Grande Expediente, na Sessão Ordinária da manhã desta quarta-feira, 12.

_ As leis que perderam os prazos de veto serão promulgadas_, antecipou Francisco Carlos. Uma das leis vetadas por Francisco José e que será promulgada pela Cãmara, regulamenta a arte de grafismo nos muros das escolas municipais e de viadutos. Os demais vetos irão à Plenário, mas antes serão analisados pela Comissão de Constituição e Justiça da Câmara.

A oposição, atendendo apelo da classe artista, presente nas Galerias do Legislativo, defendeu a leitura dos pareceres da CCJ na sessão de hoje, em Plenário, de forma oral.
Porém, o presidente da Comissão, vereador Manoel Bezerra, deixou para a próxima semana, a análise dos vetos. A Comissão tem até 15 dias de prazo para analisar os vetos.

O presidente da Câmara, Francisco Carlos, lamentou a forma com que o prefeito Francisco José vetou as leis de incentivos à cultura. Para ele, os argumentos usados pelo prefeito para vetar as leis chegam a ser “absurdos”. “Se os fundamentos utilizados pelo prefeito estiverem certos, a Câmara Municipal pode fechar suas portas”, avaliou o edil.

_ São argumentos inconcebíveis, que deixam esta Casa ‘amarrada’ ao Poder Executivo”, alertou Francisco Carlos, para quem a autonomia entre os Poderes deve ser respeitada. O veto do prefeito ás leis mobiliza a classe artística, inclusive nas mídias sociais, com a criação de um movimento em defesa de melhorias para os artistas de Mossoró.